Requisitos de destino

A Google pretende proporcionar uma boa experiência aos consumidores quando estes clicam num anúncio, pelo que os destinos dos anúncios têm de oferecer um valor único aos utilizadores e devem ser funcionais, úteis e de fácil navegação.

Abaixo encontra alguns exemplos do que deve evitar nos seus anúncios. Saiba o que acontece se violar as nossas políticas.

Experiência de destino

A Google não permite o seguinte:

Não permitido Destinos ou conteúdo com navegação desnecessariamente difícil ou frustrante

Exemplos: Websites com pop-ups ou anúncios intercalares que interferem com a capacidade de o utilizador ver o conteúdo solicitado; sites que desativam ou interferem com o botão de retrocesso do navegador; Websites que não carregam rapidamente nos navegadores e dispositivos mais conhecidos ou que requerem a transferência de uma aplicação adicional para visualização da página de destino (para além de plug-ins comuns do navegador)

Não permitido Links que iniciam uma transferência direta a partir do anúncio ou que direcionam para um endereço de email ou um ficheiro

Exemplos: imagens, vídeo, áudio, documentos

Nota: esta política inclui ficheiros PDF, mesmo que o PDF seja informativo ou inclua especificações de produtos.

Not allowed Destinos que contêm experiências abusivas

Exemplos: Websites que redirecionam automaticamente a página sem uma ação por parte do utilizador; Websites que contêm anúncios semelhantes a avisos ou mensagens de erro de sistema ou de site.

Resolução de problemas: experiência de destino
  1. Localize o problema. Utilize a política acima e as explicações adicionais abaixo para identificar o problema.

    Pop-ups: consideramos um pop-up qualquer janela apresentada além da página de destino original, independentemente do conteúdo. Seguem-se alguns exemplos:

    • Pop-ups temporizados
    • Pop-ups de fecho automático
    • Pop-ups intermitentes
    • Pop-ups gerados a partir do próprio anúncio
    • Pop-ups de transferência
    • Pop-unders

    Permitimos anúncios intercalares, desde que não impeçam um utilizador de sair de um site. Embora semelhante a um pop-up, um anúncio intercalar aceitável é um tipo de gráfico que aparece na página de destino, em vez de abrir uma nova janela do navegador, e que não impede que um utilizador saia de um site ou de uma aplicação.

    Se não controlar a funcionalidade da sua página de destino, contacte o seu fornecedor de alojamento ou o proprietário do Website ou da aplicação e peça-lhe para remover quaisquer pop-ups da página de destino.

  2. Corrija o destino do anúncio. Se não conseguir corrigir o destino do anúncio, atualize o anúncio com um novo destino que esteja em conformidade com esta política.
  3. Edite o anúncio. Esta ação irá reenviar o anúncio e o respetivo destino para revisão.

    Revemos a maioria dos anúncios no prazo de 1 dia útil, mas alguns podem demorar mais tempo se necessitarem de uma revisão mais complexa.

Se o seu Website continha experiências abusivas, siga as instruções abaixo para resolver a violação:

  1. Verifique o estado do seu site na Google Search Console.
  2. Remova quaisquer experiências abusivas do seu Website.
  3. Siga estas diretrizes para uma nova revisão.
  4. Se a revisão indicar que o Website já não contém experiências abusivas, os seus anúncios serão aprovados para apresentação.
Se não conseguir corrigir estas violações ou se optar por não o fazer, remova o anúncio para ajudar a impedir que a sua conta seja suspensa futuramente por ter demasiados anúncios reprovados.

Conteúdo original insuficiente

A Google não permite o seguinte:

Não permitido Conteúdo de destino concebido com o objetivo principal de apresentar anúncios

Exemplos: direcionar tráfego (através de "arbitragem" ou de outros métodos) para destinos com mais anúncios do que conteúdo original, com pouco ou nenhum conteúdo original ou com publicidade em excesso

Não permitido Conteúdo de destino que é replicado de outra origem sem acrescentar valor sob a forma de conteúdo original ou de funcionalidade adicional

Exemplos: espelhamento, apresentação em frames, cópia de conteúdo de outra origem, modelos ou Websites pré-gerados que fornecem conteúdo duplicado

Não permitido Destinos concebidos com o objetivo único de enviar os utilizadores para outro local

Exemplos: página intermédia, página de entrada, página de passagem, outras páginas intermédias utilizadas apenas para ligar a outros sites

Não permitido Utilizar um domínio temporário como um destino do anúncio

Exemplos: um site destinado apenas a reservar um endereço Web

Não permitido Destinos que são incompreensíveis ou não fazem sentido

Exemplos: páginas em branco, texto incompreensível na página de destino

Resolução de problemas: conteúdo original insuficiente

Existem duas formas de resolver esta violação:

  1. Corrija o destino do anúncio. Concentre-se em fornecer aos utilizadores conteúdo útil, único e original imediatamente e não sobrecarregue o destino com anúncios, independentemente da relevância que tenham para o texto do anúncio. Remova todos os conjuntos de frames HTML que copiem conteúdo de domínios diferentes do domínio da página de destino do anúncio. Se o seu site ou aplicação tiver uma funcionalidade de pesquisa, certifique-se de que os resultados da pesquisa não são apenas copiados de outros sites ou aplicações. Verifique se o registo do site expirou.

    Depois de atualizar o destino de forma a ficar em conformidade com as nossas políticas, edite o anúncio e guarde-o. Esta ação irá reenviar o anúncio e o respetivo destino para revisão.

  2. Escolha um destino diferente. Se não conseguir ou não quiser fazer alterações ao destino, edite o URL final do anúncio para direcionar para outra parte do Website ou da aplicação que esteja em conformidade com a política.

Se não conseguir corrigir estas violações ou se optar por não o fazer, remova o anúncio para ajudar a impedir que a sua conta seja suspensa futuramente por ter demasiados anúncios reprovados.

Destino não correspondente

A Google não permite o seguinte:

Não permitido Anúncios que não refletem de forma exata o local para onde o utilizador está a ser direcionado

Exemplos: utilizar o URL de visualização "www.google.com", mas direcionar para uma página de destino com o URL "www.youtube.com"; utilizar a funcionalidade de inserção de palavras-chave no domínio de nível superior ou secundário do URL de visualização, como "www.{keyword}.com"

Não permitido Um domínio ou uma extensão de domínio no URL de visualização que não corresponde aos URLs final e para dispositivos móveis

Exemplos: URL de visualização: google.com e URL final: example.com; URL de visualização: example.com e URL final: example.org

Não permitido Não utilizar um subdomínio para diferenciar de forma clara um site de todos os outros sites alojados nesse domínio ou do domínio superior

Exemplo: URL de visualização: blogspot.com e URL final: mycompany.blogspot.com

Nota: não é necessário um subdomínio se o domínio for utilizado exclusivamente por uma empresa.

Não permitido Redirecionamentos do URL final que conduzem o utilizador a outro domínio

Exemplo: o URL final http://example.com redireciona para http://example2.com

Não permitido Modelos de acompanhamento que não direcionam para o mesmo conteúdo que o URL final

Exemplo: o URL final direciona para uma página de categoria de produtos, mas o modelo de acompanhamento direciona o utilizador para a página de um produto específico

Resolução de problemas: destino não correspondente
  1. Reveja os URLs. A aplicação ou o Website apresentado no anúncio (o URL de visualização) tem de mostrar com exatidão a aplicação ou o Website para onde as pessoas serão direcionadas quando clicarem no anúncio (a página de destino). A página de destino é onde as pessoas efetivamente chegam após passarem por redirecionamentos associados ao URL de destino, ao URL final ou ao modelo de acompanhamento definido.

    O email de reprovação mostra o domínio para o qual o anúncio apontava na altura da revisão. Também pode utilizar o serviço Search Console para verificar a página de destino final do URL e certificar-se de que o domínio resultante corresponde ao domínio do URL de visualização.

    URLs de palavras-chave: esta política aplica-se a URLs de palavras-chave que não correspondem ao URL de visualização. Saiba como editar URLs de palavras-chave.

    Acompanhamento: um parâmetro de acompanhamento no URL final pode causar um destino não correspondente se não existir um {ignore} inserido antes do parâmetro de acompanhamento. Se utiliza acompanhamento no URL final, incluindo um ID dinâmico de um sistema de acompanhamento de terceiros, tem de incluir {ignore} antes do parâmetro de acompanhamento no URL final.

    Não permitido Não permitido: http://example.com/?tracking=123&id=DynamicId

    Não permitido Permitido: http://example.com/?{ignore}tracking=123&id=DynamicId

    Modelos de acompanhamento: se necessitar de redirecionar para outro domínio, pondere configurar um modelo de acompanhamento. Lembre-se de que os modelos de acompanhamento devem direcionar o utilizador para o mesmo conteúdo que o URL final. Qualquer diferença introduzida pelo modelo de acompanhamento no URL, incluindo em parâmetros e subdomínios, pode direcionar o utilizador para um conteúdo diferente do do URL final.

    As alterações a modelos de acompanhamento ao nível do anúncio, da palavra-chave ou do sitelink são automaticamente revistas. No entanto, se criou o modelo de acompanhamento para um grupo de anúncios, uma campanha ou uma conta completa, tem de solicitar uma revisão depois de corrigir o modelo.

    URLs de visualização proxy: por vezes, determinadas plataformas de compras, termos farmacêuticos, revendedores e domínios com linguagem imprópria podem utilizar um domínio diferente para evitar mostrar a linguagem imprópria. Solicite uma revisão para ver se é elegível. Tenha em atenção que esta opção não está disponível para anúncios de texto expandidos.

  2. Edite os URLs para que fiquem em conformidade com a política.

    Assim que editar e guardar o anúncio, este é enviado para revisão. Revemos a maioria dos anúncios no prazo de 1 dia útil, mas alguns podem demorar mais tempo se necessitarem de uma revisão mais complexa. Se determinarmos que removeu o conteúdo inaceitável do anúncio e da página de destino, podemos aprovar a apresentação do anúncio.

Se não conseguir corrigir estas violações ou se optar por não o fazer, remova o anúncio para ajudar a impedir que a sua conta seja suspensa futuramente por ter demasiados anúncios reprovados.

O destino não funciona

A Google não permite o seguinte:

Não permitido Destinos que não funcionam corretamente ou que foram configurados incorretamente

Exemplos: um site que devolve um código de erro HTTP, como 403 Proibido ou 404 Não encontrado; um site que não funciona em todas as localizações ou em navegadores e dispositivos comuns; erros de procura de DNS; erros internos do servidor; site em construção

Resolução de problemas: o destino não funciona
  1. Verifique o URL introduzido. Verifique os URLs das páginas de destino, os URLs de palavras-chave, os URLs de acompanhamento dinâmicos e os URLs de links diretos para se certificar de que estão corretos e de que não contêm gralhas.
  2. Corrija o destino do anúncio. Se o URL introduzido estiver correto, é possível que o seu site ou a sua aplicação não estejam a funcionar devidamente. Seguem-se algumas questões a verificar:

    Sites e aplicações o anúncio não pode direcionar para uma aplicação atualmente em desenvolvimento ou para um Website que devolva um código de estado HTTP inválido. Mesmo que consiga carregar o seu site com êxito, tal pode não acontecer noutras circunstâncias, como noutros navegadores de Internet e noutros dispositivos ou pelo sistema do Google Ads. O seu site ou a sua aplicação têm de funcionar corretamente em todas as localizações, independentemente do local de segmentação do anúncio. Verifique o destino do anúncio em vários navegadores e dispositivos para se certificar de que o mesmo efetua sempre a ligação a um Website ou a uma aplicação em funcionamento. Não é possível promover aplicações em locais onde as mesmas não estão disponíveis para transferência.

    Códigos de resposta HTTP: descubra qual o erro que está a ocorrer no seu destino e onde. Tenha em atenção que um componente específico na sua página (como Javascript) pode causar um erro. Seguem-se exemplos de ferramentas de cabeçalho HTTP que podem ajudar:

    Assim que souber qual o código produzido pela página de destino, consulte uma definição e sugestões para corrigir cada um destes códigos de estado HTTP. Se ainda assim não conseguir identificar o problema da página de destino, contacte o seu webmaster ou o seu fornecedor de alojamento na Web para obter ajuda.

    No caso de sites migrados recentemente de HTTP para HTTPS, deve configurar um redirecionamento para o novo URL HTTPS ou atualizar os URLs nos anúncios e extensões. Se não o fizer, o URL pode ser inacessível, o que resulta na reprovação do anúncio ou da extensão.

    Anúncios de interação com aplicações: certifique-se de que configurou corretamente o seu URL de link direto e de que não está a utilizar um acompanhamento de terceiros. Esta funcionalidade não é atualmente suportada para anúncios de interação com aplicações.

    Anúncios de promoção de aplicações: certifique-se de que qualquer acompanhamento de terceiros redireciona corretamente o utilizador para a aplicação certa na loja de aplicações certa.

  3. Envie a campanha para revisão. Assim que confirmarmos que o destino está a funcionar, podemos aprovar os seus anúncios.
  4. Se não conseguir corrigir o site ou a aplicação, pondere utilizar para o seu anúncio um destino diferente que funcione. Edite o URL final do seu anúncio para direcionar para outra parte do Website ou da aplicação que não viole as nossas políticas e, em seguida, guarde o anúncio para podermos voltar a revê-lo.
Se não conseguir corrigir estas violações ou se optar por não o fazer, remova o anúncio para ajudar a impedir que a sua conta seja suspensa futuramente por ter demasiados anúncios reprovados.

O destino não é rastreável

A Google não permite o seguinte:

Não permitido Destinos não rastreáveis pelo Google Ads

Exemplos: utilizar ficheiros de exclusão (como ficheiros "robots.txt") para restringir o acesso a um site completo ou à maior parte de um site; restringir, de forma desproporcional, a capacidade de rastreio ao número de anúncios enviados

Resolução de problemas: o destino não é rastreável

Verifique as definições do seu Website ou da sua aplicação para se certificar de que não está a impedir o Google Ads de rastrear o seu conteúdo. Também pode utilizar a Google Search Console para ver como pode tornar as suas páginas acessíveis e verificar se existem erros de rastreio. Em seguida, veja como corrigir os ficheiros de exclusão.

Se não estiver a impedir o Google Ads de rastrear o seu conteúdo, pode estar a limitar rastreios eficientes inadvertidamente. Isto é particularmente provável se tiver enviado um grande número de anúncios para a Google há pouco tempo. Para se certificar de que não está a restringir rastreios de forma excessiva, verifique se definiu uma taxa de rastreio baixa na Google Search Console. Se utiliza um controlador de cliques para os seus anúncios, verifique se isso pode estar a afetar a capacidade de rastreio. Se o seu Website não tiver capacidade de rastreio suficiente, pondere dividir os envios de anúncios em lotes mais pequenos distribuídos por vários dias.

Após efetuar as alterações necessárias, envie a campanha para revisão. Assim que confirmarmos que o problema foi resolvido, podemos aprovar os seus anúncios.

Violação de política da loja de aplicações ou da Web Store do Chrome

A Google não permite o seguinte:

Não permitido Destinos que violam as políticas da loja de aplicações ou da Web Store do Chrome

Exemplos: extensões que violam as Políticas do Programa para Programadores do Chrome ou aplicações que violam as Políticas do Google Play

Resolução de problemas: experiência de destino

Para obter detalhes sobre as violações, reveja a notificação que a equipa da loja de aplicações (ou seja, da Google Play Store) ou da Web Store do Chrome lhe enviou. Assim que existir uma resolução para a loja de aplicações ou a Web Store do Chrome, a publicação de anúncios poderá ser retomada.

URL inaceitável

A Google não permite o seguinte:

Não permitido URLs que não seguem a sintaxe padrão

Não permitido Utilizar um endereço IP como URL de visualização

Exemplo: 123.45.678.90

Não permitido URLs de visualização que utilizam carateres inaceitáveis

Exemplos: carateres como !, *, #, _, @

Aplicação não reconhecida

A Google não permite o seguinte:

Não permitido Aplicações que a Google não consegue reconhecer

Exemplos: ID da aplicação ou loja de aplicações com formato incorreto, aplicação eliminada ou suspensa na loja de aplicações

Número de telefone não validado

A Google não permite o seguinte em anúncios apenas de chamadas, extensões de chamada e extensões de localização:

Not allowed Números de telefone não validados pela Google
Resolução de problemas: número de telefone não validado
  1. Valide o número de telefone. Existem duas formas de validar um número de telefone:

    Apresente o número no seu site. O número de telefone no seu anúncio tem de estar no Website apresentado nesse anúncio. Isto significa que, se o número de telefone for apresentado em anúncios de diferentes Websites, deve aparecer em pelo menos uma página de cada Website. Lembre-se de que o URL de validação tem de ter o mesmo domínio do URL de visualização do seu anúncio. O número tem de aparecer em texto e não vai estar a cumprir a política se aparecer como uma imagem. O número de telefone é detetado e validado mais facilmente se for apresentado em destaque numa página de destino que seja visitada com frequência.

    Valide a propriedade do domínio. Também pode validar o seu número de telefone ao provar a propriedade do domínio do URL de visualização do seu anúncio. Pode fazê-lo ao associar as suas contas da Google Search Console e do Google Ads ou ao adicionar a etiqueta de acompanhamento de conversões ou a etiqueta de remarketing única do Google Ads ao seu Website.

  2. Edite a extensão de localização. Se utiliza uma extensão de localização, o número de telefone associado tem de respeitar os requisitos acima. Existem duas formas de editar a extensão com base no endereço que pretende utilizar.

    Endereço do Google My Business: se a localização reprovada for um endereço do Google My Business, tem de iniciar sessão na sua conta do Google My Business e atualizar as informações de localização na mesma, que são transferidas automaticamente para o Google Ads. Saiba como editar uma ficha do Google My Business.

    Endereços introduzidos manualmente: se introduziu manualmente o endereço, coloque o cursor do rato sobre esse endereço e clique no ícone de lápis para editar as informações de localização. Reveja o nome da empresa e certifique-se de que não está a utilizar uma marca comercial não autorizada.

  3. Edite o anúncio apenas de chamadas ou a extensão de chamada. Altere o número de telefone no anúncio ou na extensão para que a Google possa aprovar o anúncio.

    Assim que editar e guardar a extensão ou o anúncio, é enviado para revisão. Revemos a maioria dos anúncios no prazo de 1 dia útil, mas alguns podem demorar mais tempo se necessitarem de uma revisão mais complexa. Se determinarmos que removeu o conteúdo inaceitável do anúncio e da página de destino, podemos aprovar a apresentação do anúncio.

Se não conseguir corrigir estas violações ou se optar por não o fazer, remova o anúncio para ajudar a impedir que a sua conta seja suspensa futuramente por ter demasiados anúncios reprovados.

Número de telefone inaceitável

A Google não permite o seguinte em anúncios apenas de chamadas, extensões de chamada e extensões de localização:

Not allowed Números de telefone incorretos, inativos, irrelevantes ou não associados à empresa publicitada.

Nota: ocasionalmente, a Google pode fazer breves chamadas de teste para o número de telefone fornecido de modo a confirmar a respetiva validade, correção e relevância, podendo inclusivamente gravar essas chamadas.

Not allowed Números de fax, números de valor acrescentado ou números intuitivos

Exemplo de números de valor acrescentado: qualquer número que implique taxas ou cobranças adicionais para efetuar a chamada, tais como os números 1-900 nos Estados Unidos ou os números 871 no Reino Unido

Exemplo de números intuitivos: números de telefone em que os números foram substituídos por letras, tal como "1-800-GOOG-411" em vez de "1-800-466-4411"

Nota: pode utilizar números de telefone com custos repartidos, mas estes são apresentados com uma exclusão de responsabilidade que indica que poderão ser aplicadas taxas adicionais.

Not allowed Números de telefone que não são locais nem nacionais do país que está a segmentar

Exemplo: utilizar um número local alemão num anúncio que segmenta o Canadá

Not allowed Serviços de números de telefone virtuais ou numeração pessoal

Nota: este serviço está disponível apenas em determinados países, como o Reino Unido e a Espanha.

Not allowed Números de telefone que não têm um serviço de correio de voz ativo

Restrições específicas do país: Brasil

Para números de telefone no Brasil, certifique-se de que inclui o código do operador escolhido. Por exemplo, em vez de "11 5555-1234", utilize "0XX11 5555 1234" (onde "XX" indica o código do operador). Para números gratuitos ou números de custo repartido, como 4004 ou 0800, não são necessários códigos do operador.

Resolução de problemas: número de telefone inaceitável
  1. Corrija o número de telefone. Forneça um número de telefone funcional e relevante que esteja associado à empresa anunciada e que seja nacional do país que pretende segmentar.
  2. Edite a extensão de localização. Existem duas formas de editar a extensão com base no endereço que pretende utilizar.

    Endereço do Google My Business: se a localização reprovada for um endereço do Google My Business, tem de iniciar sessão na sua conta do Google My Business e atualizar as informações de localização na mesma, que são transferidas automaticamente para o Google Ads. Saiba como editar uma ficha do Google My Business.

    Endereços introduzidos manualmente: se introduziu manualmente o endereço, coloque o cursor do rato sobre esse endereço e clique no ícone de lápis para editar as informações de localização. Reveja o nome da empresa e certifique-se de que não está a utilizar uma marca comercial não autorizada.

  3. Edite o anúncio apenas de chamadas ou a extensão de chamada. Introduza um número de telefone que esteja em conformidade com a política.

    Assim que editar e guardar a extensão ou o anúncio, é enviado para revisão. Revemos a maioria dos anúncios no prazo de 1 dia útil, mas alguns podem demorar mais tempo se necessitarem de uma revisão mais complexa. Se determinarmos que removeu o conteúdo inaceitável do anúncio e da página de destino, podemos aprovar a apresentação do anúncio.

Se não conseguir corrigir estas violações ou se optar por não o fazer, remova o anúncio para ajudar a impedir que a sua conta seja suspensa futuramente por ter demasiados anúncios reprovados.

Precisa de ajuda?

Se tiver perguntas sobre esta política, informe-nos: entre em contacto com o apoio técnico do Google Ads
A informação foi útil?
Como podemos melhorá-la?