Notificação

Certifique-se de que visita A sua página do AdSense, onde pode encontrar informações personalizadas acerca da sua conta para ajudar a ter sucesso com o AdSense.

Políticas

Políticas para Publicadores Google

(23 de março de 2022) Devido à guerra na Ucrânia, vamos pausar a rentabilização de conteúdo que explora, aprova ou nega a existência da guerra.

(10 de março de 2022) Devido à recente suspensão dos sistemas de publicidade da Google na Rússia, iremos pausar a criação de novas contas russas no AdSense, AdMob e Google Ad Manager. Além disso, vamos pausar os anúncios em redes e Propriedades da Google a nível global para anunciantes sediados na Rússia.

(3 de março de 2022) Devido à guerra na Ucrânia, vamos pausar temporariamente a publicação de anúncios para utilizadores localizados na Rússia.

(26 de fevereiro de 2022) Devido à guerra na Ucrânia, vamos pausar a rentabilização da Google relativamente aos meios de comunicação financiados pelo Estado da Federação Russa. 

Continuaremos a acompanhar ativamente a situação e a efetuar ajustes conforme necessário.

Estamos a proceder à migração e a consolidação de todas as Políticas para Publicadores Google e restrições para publicadores Google para o novo Centro de Ajuda das Políticas para Publicadores. Por enquanto, ainda pode ver todas as políticas nos Centros de Ajuda do AdMob, do AdSense e do Ad Manager

Ao rentabilizar conteúdo com o código do anúncio Google, tem de aceitar as seguintes políticas. A não conformidade com estas políticas pode resultar no bloqueio da apresentação de anúncios no seu conteúdo ou na suspensão ou rescisão da sua conta por parte da Google.

Estas políticas aplicam-se juntamente com outras políticas que regem a utilização de produtos para publicadores Google.

A Google contribui para a existência de uma Internet gratuita e aberta ao ajudar os publicadores a rentabilizar o respetivo conteúdo e os anunciantes a alcançar potenciais clientes com produtos e serviços úteis e relevantes. Manter a confiança no ecossistema de anúncios requer a definição de limites sobre o que será rentabilizado.

As Políticas para Publicadores Google estão organizadas nas seguintes categorias:

Saiba mais sobre os termos de políticas utilizados frequentemente e o respetivo significado no glossário

Políticas de Conteúdos 

Conteúdo ilegal

Não permitimos conteúdo que:

  • seja ilegal, promova atividades ilegais ou viole os direitos legais de terceiros.

 Saiba mais acerca de conteúdo ilegal

Abuso de propriedade intelectual

Não permitimos conteúdo que:

  • viole direitos de autor. É nossa política responder aos avisos de alegadas infrações em conformidade com a Digital Millennium Copyright Act (DMCA). Pode apresentar uma contranotificação através deste formulário.
  • venda ou promova a venda de produtos contrafeitos. Os produtos contrafeitos contêm uma marca comercial ou um logótipo idêntico ou dificilmente diferenciável da marca comercial original. Estes produtos imitam as caraterísticas da marca do produto, numa tentativa de se fazerem passar por um produto genuíno do proprietário da marca.

Saiba mais acerca do abuso de propriedade intelectual

Conteúdo perigoso ou derrogatório

Não permitimos conteúdo que:

  • incite ao ódio, promova a discriminação de ou rebaixe um indivíduo ou um grupo de pessoas pela sua raça ou etnia, religião, deficiência, idade, nacionalidade, situação militar, orientação sexual, sexo, identidade sexual ou outra caraterística associada a discriminação ou marginalização sistémica.

    Exemplos: promover grupos de ódio ou artigos relacionados com grupos de ódio, incentivar outras pessoas a acreditar que uma pessoa ou um grupo é inumano, inferior ou passível de ser alvo de ódio

  • assedie, intimide ou persiga um indivíduo ou um grupo de indivíduos.

    Exemplos: selecionar uma pessoa para ser vítima de abuso ou assédio, sugerir que um evento trágico não aconteceu, que as vítimas ou as suas famílias são atores ou que são cúmplices num encobrimento do evento

  • ameace ou tenha a finalidade de prejudicar, física ou mentalmente, a própria pessoa ou terceiros.

    Exemplos: conteúdo que defenda o suicídio, a anorexia ou outro ato de automutilação; ameaças de prejudicar uma pessoa na vida real ou apelo ao ataque de outra pessoa; conteúdo que promova, glorifique ou aceite a violência contra terceiros; conteúdo produzido por ou que apoie grupos terroristas ou organizações transnacionais de tráfico de droga, ou conteúdo que promova atos terroristas, incluindo o recrutamento, ou que celebre ataques de grupos terroristas ou organizações transnacionais de tráfico de droga

  • explore outros através da extorsão.

    Exemplos: remoções que promovam a exploração, pornografia de vingança, chantagem

Saiba mais acerca de conteúdo perigoso e depreciativo

Crueldade contra animais

Não permitimos conteúdo que:

  • Promova a crueldade ou violência gratuita contra animais.

    Exemplos: promoção de atos de crueldade contra animais para fins de entretenimento, como combates de galos ou cães

  • Promova a venda de produtos obtidos a partir de espécies ameaçadas ou em vias de extinção.

    Exemplos: venda de tigres, barbatanas de tubarão, marfim de elefante, peles de tigre, cornos de rinoceronte, óleo de golfinho

Saiba mais acerca dos conteúdos relativos à crueldade contra animais

Conteúdo fraudulento

Representação enganadora

Não permitimos conteúdo que:

  • deturpe, distorça ou oculte informações sobre o publicador, o criador do conteúdo, a finalidade do conteúdo ou o próprio conteúdo.
  • implique falsamente a afiliação com outro indivíduo, entidade, produto ou serviço ou o apoio de outro indivíduo, entidade, produto ou serviço.

    Exemplos: roubo de identidade dos produtos Google, utilização indevida dos logótipos da empresa

 Saiba mais acerca da representação enganadora

Afirmações não fiáveis e prejudiciais

Não permitimos conteúdo que:

  • contenha afirmações comprovadamente falsas e que possam comprometer significativamente a participação ou a confiança num processo eleitoral ou democrático.

    Exemplos: informações acerca de procedimentos de votação pública, a elegibilidade de candidatos políticos com base na idade ou no local de nascimento, resultados de eleições ou a participação em recenseamentos que contradigam as fontes oficiais do governo

  • promova afirmações prejudiciais relacionadas com saúde ou esteja relacionado com uma atual e grave crise de saúde e que contrarie um consenso autoritário e científico.

    Exemplos: defesa da antivacinação, negação da existência de condições médicas como a SIDA ou a COVID-19, defesa da terapia de conversão de orientação sexual

  • contrarie um consenso autoritário e científico sobre as alterações climáticas.

 Saiba mais acerca das afirmações não fiáveis e prejudiciais

Práticas fraudulentas

Não permitimos:

  • apelar aos utilizadores para interagirem com o conteúdo sob pretextos falsos ou pouco claros.
  • tentar roubar informações pessoais ou induzir os utilizadores a partilhar informações pessoais

    Exemplo: engenharia social, como phishing

  • promover conteúdo, produtos ou serviços através de afirmações falsas, desonestas ou enganosas.

    Exemplos: esquemas "enriqueça rapidamente"

  • coordenar com outros sites ou contas e ocultar ou representar de forma fraudulenta a sua identidade ou outros detalhes relevantes sobre si, quando o seu conteúdo estiver relacionado com política, questões sociais ou questões de interesse público.

  • direcionar conteúdo acerca de política, questões sociais ou questões de interesse público para utilizadores num país diferente do seu, se prestar informações falsas ou ocultar o seu país de origem ou outros detalhes relevantes sobre si.

 Saiba mais sobre práticas fraudulentas

Conteúdos multimédia manipulados

Não permitimos conteúdo que:

  • induza os utilizadores em erro através de conteúdos multimédia manipulados em assuntos relacionados com política, questões sociais ou de interesse público.

 Saiba mais sobre conteúdos multimédia manipulados 

Permissão de comportamentos desonestos

Não permitimos conteúdo que:

  • ajude os utilizadores a induzir outros em erro.

    Exemplos: criação de documentos falsos, como passaportes, diplomas ou credenciais; venda ou distribuição de monografias, serviços de elaboração de trabalhos ou realização de exames; informações ou produtos para evitar a deteção de drogas em exames toxicológicos

  • promova qualquer forma de pirataria informática e/ou forneça aos utilizadores instruções, equipamento ou software que interfira com ou permita o acesso não autorizado a dispositivos, software, servidores ou Websites.

    Exemplos: páginas ou produtos que permitem o acesso ilegal a telemóveis e outros dispositivos ou sistemas de comunicação ou transmissão de conteúdos; produtos ou serviços que ignoram a proteção dos direitos de autor e que contornam as tecnologias de gestão dos direitos digitais; produtos que descodificam de forma ilegal os sinais de cabo ou satélite para obter serviços gratuitos; páginas que ajudam ou permitem que os utilizadores transfiram streaming de vídeo se proibido pelo fornecedor dos conteúdos

  • permita a um utilizador, ou que promova produtos e serviços que permitam a um utilizador, acompanhar ou monitorizar outra pessoa ou as suas atividades sem a respetiva autorização.

    Exemplos: spyware e tecnologia utilizados para vigilância de parceiros íntimos, incluindo, entre outros, spyware/software malicioso que permitem a um utilizador monitorizar mensagens de texto, chamadas telefónicas ou o histórico de navegação de outra pessoa; controladores de GPS especificamente comercializados para espiar ou monitorizar alguém sem o respetivo consentimento; promoção de equipamento de vigilância (por exemplo, câmaras, gravadores de áudio, câmaras de tablier, câmaras de vigilância para bebé) comercializado com o objetivo expresso de espiar

    Isto não inclui (a) serviços de investigação privados ou (b) produtos ou serviços concebidos para os pais localizarem ou monitorizarem os seus filhos menores.

 Saiba mais acerca da Permissão de comportamentos desonestos

Conteúdo sexualmente explícito

Não permitimos conteúdo que:

  • inclua texto, imagem, áudio, vídeo ou jogos sexualmente explícitos.

    Exemplos: atos sexuais como sexo genital, anal e oral; masturbação; banda desenhada pornográfica ou hentai; nudez explícita

  • contenha temas sexuais ilegais, não consensuais, quer simulados ou reais.

    Exemplos: violação, incesto, bestialidade, necrofilia, snuff (sexo com mortes reais), pornografia lolita ou infantil, encontros com menores

    Saiba mais acerca de conteúdo sexualmente explícito

Atos sexuais em troca de compensação

Não permitimos conteúdo que:

  • possa ser interpretado como promoção de um ato sexual em troca de qualquer compensação.

    Exemplos: prostituição; serviços de companhia e de acompanhantes; massagens íntimas; sites de contactos corporais não sexuais; encontros em troca de compensação ou acordos de cariz sexual onde seja esperado que um dos participantes forneça dinheiro, presentes, apoio financeiro, mentoria ou outras vantagens valiosas ao outro participante como, por exemplo, encontros com pessoas mais velhas movidos por interesses financeiros

     Saiba mais acerca dos conteúdos relativos a atos sexuais em troca de compensação

Noivas por correspondência

Não permitimos conteúdo que:

  • facilite o casamento com estrangeiros.

    Exemplos: noivas por encomenda, mediadores de casamentos internacionais, tours românticas

      Saiba mais acerca dos conteúdos relativos a noivas por correspondência

Temas para adultos em conteúdo familiar

Não permitimos conteúdo que:

  • seja criado de forma a parecer adequado para um público-alvo geral, mas que contenha temas para adultos, incluindo sexo, violência ou outras representações de crianças ou personagens infantis populares, impróprios para o público-alvo geral.

       Saiba mais acerca dos temas para adultos em conteúdo familiar

Abuso e exploração sexual infantil

Não permitimos conteúdo que:

  • explore ou abuse sexualmente de crianças nem conteúdo que promova a exploração sexual ou o abuso de crianças. Tal abrange todos os materiais relativos a abuso sexual infantil.
  • coloque crianças em perigo, incluindo, entre outros:
    • aliciamento e sedução de menores (por exemplo, tornar-se amigo de uma criança online para facilitar o contacto sexual, tanto online como offline, e/ou trocar imagens de cariz sexual com essa criança);
    • extorsão sexual (por exemplo, ameaçar ou chantagear uma criança através de um acesso real ou alegado a imagens de cariz íntimo da criança);
    • sexualização de um menor (por exemplo, conteúdo que represente, incentive ou promova o abuso ou a exploração sexual de crianças); e
    • tráfico de crianças (por exemplo, publicidade ou aliciamento de uma criança para exploração sexual comercial).

Tomaremos as medidas necessárias que podem incluir desativar contas e enviar uma denúncia para o Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas (NCMEC, National Center for Missing & Exploited Children). Se suspeitar que uma criança se encontra em risco ou foi sujeita a abuso, exploração ou tráfico, contacte imediatamente a polícia. Se considerar que uma criança está ou esteve em risco no âmbito da utilização dos nossos produtos, pode denunciar o comportamento à Google.

        Saiba mais acerca dos conteúdos relativos a exploração e abuso sexual infantil


Políticas comportamentais 

Declarações desonestas

As informações que os publicadores fornecem para poderem utilizar os sistemas de publicidade da Google ou interagir com os mesmos:

  • têm de ser materialmente corretas e completas, sem omissões enganadoras; e
  • não podem ser expressas de uma forma enganadora ou fraudulenta.

    Exemplos: as informações pessoais ou os detalhes de pagamento fornecidos por um publicador estão materialmente incompletos, obscurecidos ou incorretos. As informações fornecidas acerca do Website (por exemplo, no ficheiro ads.txt) ou da app (por exemplo, no ficheiro app-ads.txt) de um publicador estão incorretas. Pedidos de anúncios que contêm URLs parciais ou IDs de apps parciais ou incorretos.

               Saiba mais acerca de declarações desonestas

Interferência de anúncios 

Anúncios publicados pela Google que interferem com o conteúdo ou as interações dos utilizadores

Não permitimos anúncios publicados pela Google que:

  • se sobreponham ou estejam adjacentes a itens de navegação ou outros itens de ação e possam originar interações com o anúncio não intencionais,
  • interfiram significativamente com o consumo de conteúdo, incluindo sobrepor o conteúdo ou retirar o conteúdo do display,
  • sejam posicionados num ecrã "sem saída", onde o utilizador não possa sair do ecrã sem clicar no anúncio. 

               Saiba mais acerca da interferência de anúncios

Valor do inventário

Anúncios publicados pela Google em ecrãs sem conteúdo do publicador

Não permitimos anúncios publicados pela Google em ecrãs:

  • sem conteúdo do publicador ou com conteúdo de baixo valor,
  • que estejam em construção,
  • que sejam utilizados para alertas, navegação ou outros objetivos comportamentais

Saiba mais acerca dos anúncios publicados pela Google em ecrãs sem conteúdo do publicador

Anúncios fora de contexto

Não permitimos anúncios publicados pela Google:

  • em apps ou páginas Web executadas em segundo plano,
  • que sejam apresentados fora do ecrã,
  • quando se prevê que a atenção do utilizador esteja noutro local, e não no ecrã que aloja o anúncio.

Deve ser claro para o utilizador a que conteúdo do publicador o anúncio está associado.

Saiba mais acerca dos anúncios fora de contexto

Anúncios publicados pela Google em ecrãs com conteúdo replicado

Não permitimos anúncios publicados pela Google em ecrãs:

  • com conteúdo incorporado ou copiado de outras entidades sem acrescentar qualquer valor através de organização ou comentários adicionais.

Também tem de agir em conformidade com a nossa Política de Abuso de Propriedade Intelectual.

Saiba mais acerca dos anúncios publicados pela Google em ecrãs com conteúdo replicado

Mais anúncios ou material promocional pago do que conteúdo do publicador

Não permitimos anúncios publicados pela Google em ecrãs:

  • com mais anúncios ou outro material promocional pago do que conteúdo do publicador.

Saiba mais acerca de Mais anúncios ou material promocional pago do que conteúdo do publicador

 

 Idiomas não suportados

Não permitimos conteúdo que:

Saiba mais acerca dos idiomas não suportados

 

 


Políticas de vídeo

Políticas para o inventário de vídeo

A rentabilização do inventário de vídeo é uma forma de acrescentar valor ao conteúdo de vídeo para beneficiar publicadores, utilizadores e anunciantes. Para garantir que o inventário de vídeo rentabilizado com o código do anúncio Google ("Inventário de vídeo") proporciona uma experiência positiva para publicadores, utilizadores e anunciantes, definimos requisitos abaixo sobre a natureza e a implementação do inventário de vídeo.

Descreva o inventário com exatidão

  1. O inventário de vídeo tem de facultar declarações com sinais precisos (para o Ad Manager, consulte os parâmetros de URL da etiqueta do anúncio VAST), incluindo:
    • Audibilidade do posicionamento de anúncios: audível por predefinição ou com o som desativado (para o Ad Manager, consulte o parâmetro vpmute).
    • Tipo de posicionamento de anúncios: os anúncios de vídeo publicados em leitores de vídeo com conteúdo de vídeo têm de ser declarados com exatidão como posicionamentos do tipo "In-stream" ou "Conteúdo complementar" (para o Ad Manager, consulte o parâmetro plcmt). Os anúncios de vídeo publicados em posicionamentos que não sejam leitores de vídeo não requerem declarações e vão ser determinados automaticamente pela Google com base no formato do inventário como posicionamentos do tipo "Anúncio intercalar" ou "Autónomo".
      • "In-stream" refere-se a um anúncio de vídeo ou áudio apresentado na stream de conteúdo de vídeo ou áudio, em que o conteúdo de vídeo ou áudio é o foco da visita do utilizador ou é pedido explicitamente por este.

        Exemplo: um anúncio de vídeo que é apresentado antes, durante ou após a stream de um conteúdo de vídeo pedido pelo utilizador.

      • "Conteúdo complementar" refere-se a um anúncio de vídeo reproduzido na stream de conteúdo de vídeo complementar ao conteúdo principal da visita do utilizador, em que o conteúdo de vídeo não é o foco da visita do utilizador nem foi pedido explicitamente por este. Os posicionamentos do tipo Conteúdo complementar têm de ser carregados no corpo da página e ter o som desativado por predefinição.

        Exemplo: um anúncio de vídeo que é apresentado antes, durante ou após a stream de conteúdo de vídeo com o som desativado e ocupa uma pequena parte de uma página maioritariamente editorial.

      • "Anúncio intercalar" refere-se a um anúncio de vídeo apresentado sem a presença de outro conteúdo de streaming de vídeo numa transição entre conteúdos, em que o anúncio de vídeo é o foco principal da página e ocupa grande parte da área visível.

        Exemplo: um anúncio de vídeo que é independente de qualquer outro conteúdo de streaming de vídeo e que é posicionado em vista total numa transição ou pausa natural entre conteúdos.

      • "Autónomo" refere-se a um anúncio de vídeo apresentado sem a presença de outro conteúdo de streaming de vídeo, em que o anúncio de vídeo não é o foco da página.

        Exemplo: um anúncio de vídeo que é independente de outro conteúdo de streaming de vídeo e que é posicionado numa faixa na barra direita da página de um artigo.

Nota: para o Ad Manager, os termos "instream" ou "in-stream" nas páginas do Centro de Ajuda e nos controlos no produto referem-se aos termos "In-stream" e "Conteúdo complementar", conforme definido nas presentes políticas. O inventário de vídeo do Ad Manager que seja do tipo "In-stream" ou "Conteúdo complementar" de acordo com estas políticas tem de estar em conformidade com os respetivos requisitos nas mesmas.

Use implementações suportadas

  1. Os posicionamentos do tipo In-stream ou Conteúdo complementar têm de usar o SDK para Anúncios Multimédia Interativos da Google ou a biblioteca de acesso programático da Google em plataformas suportadas, a menos que seja através de um programa beta oficial da Google.
    • Os parceiros e os publicadores não podem usar produtos de Anúncios Multimédia Interativos para rentabilizar conteúdo do YouTube. Para rentabilizar o conteúdo do YouTube, têm de usar o Programa de Parceiros do YouTube.
  2. Os posicionamentos do tipo Anúncio intercalar ou Autónomo têm de usar soluções fornecidas pela Google: na Web, as Etiquetas do Publicador Google; na app, o SDK de Anúncios para Dispositivos Móveis da Google (para o Ad Manager; para o AdMob).
    • O SDK para Anúncios Multimédia Interativos da Google não é permitido para posicionamentos do tipo Anúncio intercalar nem Autónomo, exceto no caso de posicionamentos em jogos.

Proteja o valor do anunciante

  1. O conteúdo ou os controlos (por exemplo, ver, pausar, desativar som, ignorar ou rejeitar) do inventário de vídeo, incluindo o conteúdo ou os controlos dos anúncios, quando disponíveis, não podem estar obstruídos nem ocultos e têm de funcionar.
  2. Para os posicionamentos do tipo In-stream, os anúncios de áudio não podem ser pedidos nem publicados em posicionamentos com o som desativado.

Respeite o utilizador

  1. O inventário de vídeo pode começar automaticamente nos seguintes casos:
    • Só é possível começar automaticamente com som um inventário de vídeo de cada vez em todos os tipos de posicionamentos.
      • Além disso, para posicionamentos do tipo In-stream ou Conteúdo complementar, só é possível começar automaticamente um leitor de vídeo de cada vez no modo de visualização.
    • O anúncio não pode começar automaticamente até que, pelo menos, 50% do bloco de anúncios esteja visível.
  2. O inventário de vídeo pode ser fixo nos seguintes casos:
    • É apresentada uma opção para ignorar ao longo de toda a duração do conteúdo do vídeo ou do anúncio. Esta opção não pode estar oculta nem obstruída e tem de funcionar.
    • Para posicionamentos do tipo In-stream ou Conteúdo complementar, o leitor de vídeo tem de ser iniciado no conteúdo principal e só passar para um posicionamento fixo quando o utilizador deslocar a página de forma que o leitor de vídeo fique fora desta.
Nota: as nossas políticas definem o tipo de conteúdo que os criadores e os publicadores podem rentabilizar com o código do anúncio Google. Os requisitos acima não garantem aos anunciantes a qualidade dos posicionamentos que compram.

            Saiba mais acerca das políticas para o inventário de vídeo


Políticas relacionadas com privacidade

Divulgações sobre privacidade

Os publicadores têm de cumprir os seguintes requisitos:

  • Ter e cumprir uma política de privacidade que divulgue claramente qualquer recolha, partilha e utilização de dados que ocorra em qualquer site, app, publicação de email ou outra propriedade como consequência da sua utilização dos produtos Google. A política de privacidade deve divulgar aos utilizadores que terceiros podem estar a colocar e a ler cookies nos navegadores dos seus utilizadores ou a utilizar beacons Web para recolher informações na sequência da publicação de anúncios no seu Website.

    Para agir em conformidade com esta obrigação de divulgação relativamente à utilização de dados da Google, tem a opção de apresentar um link destacado para a página De que forma a Google trata os dados quando utiliza os sites ou as apps dos nossos parceiros.

           Saiba mais acerca das divulgações sobre privacidade

Cookies em domínios da Google

Os publicadores têm de cumprir os seguintes requisitos:

  • Não definir cookies nos domínios da Google nem modificar, intercetar ou eliminar cookies definidos nos domínios da Google.

           Saiba mais acerca dos cookies nos domínios Google

Identificar utilizadores

Os publicadores têm de cumprir os seguintes requisitos:

  • Não utilizar pegadas digitais do dispositivo nem objetos partilhados localmente (por exemplo, cookies Flash, objetos auxiliares do navegador, armazenamento local HTML5) que não sejam cookies HTTP ou identificadores de dispositivos móveis concebidos para utilização em publicidade e que o utilizador possa reajustar. Isto não limita a utilização do endereço IP para a deteção de fraude.
  • Não transmitir informações aos dados da Google que a Google possa utilizar ou reconhecer como informações de identificação pessoal, ou que identifiquem permanentemente um determinado dispositivo (como um identificador de dispositivo único de um telemóvel, se a reposição do identificador em questão não for possível);
  • Não utilizar os nossos serviços para identificar utilizadores nem promover a intercalação de informações de identificação pessoal com informações recolhidas previamente como informações que não contêm dados de identificação pessoal sem notificação explícita e o consentimento prévio (ou seja, "aceitação") do utilizador para essa identificação ou intercalação. Independentemente do consentimento dos utilizadores, não pode tentar desagregar os dados que a Google comunica de forma agregada.

    Para mais informações, consulte Orientações para agir em conformidade com a Política de Identificação de Utilizadores.

  • Agir em conformidade com a Política de Consentimento de Utilizadores da UE.

           Saiba mais acerca de identificar utilizadores

Utilização de dados de localização e do dispositivo

Se os publicadores recolherem, processarem ou divulgarem informações que identifiquem ou possam ser utilizadas para inferir a localização geográfica exata de um utilizador final, como dados de GPS, Wi-Fi ou torre de rede móvel,

os publicadores têm de cumprir os seguintes requisitos:

  • Divulgar ao utilizador, através de um aviso intercalar ou "just-in-time", os fins para os quais os dados podem ser utilizados (incluindo personalização de anúncios, análise e atribuição, conforme aplicável), incluindo a partilha dos dados com parceiros;
  • Obter o consentimento expresso (ou seja, "aceitação") dos utilizadores finais antes de recolher, processar ou divulgar essas informações;
  • Enviar essas informações para a Google num estado encriptado ou através de um canal encriptado; e
  • Divulgar a recolha, o tratamento ou a divulgação dessas informações em todas as políticas de privacidade aplicáveis.

            Saiba mais acerca da utilização de dados de localização e do dispositivo

Lei de Proteção à Privacidade da Criança na Internet (COPPA)

Se implementar um serviço de publicidade da Google numa app, num site ou numa secção de um site abrangido pela Lei de Proteção à Privacidade da Criança na Internet (COPPA), tem de cumprir os seguintes requisitos:

  • Notificar a Google desses sites ou secções de sites abrangidos pela COPPA através da Google Search Console, etiquetar o pedido de anúncio através do SDK do AdMob ou etiquetar o seu site, app ou pedido de anúncio com a indicação de tratamento dirigido a crianças;
  •  Não utilizar publicidade baseada em interesses (incluindo remarketing) para segmentar:
    • Atividades passadas ou atuais de utilizadores que saiba terem menos de 13 anos de idade.
    • Atividades passadas ou atuais em sites direcionados para utilizadores com idade inferior a 13 anos.

               Saiba mais acerca da Lei de Proteção à Privacidade da Criança na Internet (COPPA)


Requisitos e outras normas

Políticas de Spam para a Pesquisa Web do Google

Não pode:

               Saiba mais acerca das Políticas de Spam para a Pesquisa Web do Google

Experiências abusivas 

Não pode:

               Saiba mais acerca das experiências abusivas

Software malicioso ou indesejado

Não pode:

  • Posicionar anúncios publicados pela Google em ecrãs que contenham software malicioso que possa danificar ou obter acesso não autorizado a um computador, um dispositivo ou uma rede.

    Exemplos: vírus informáticos, ransomware, worms, cavalos de troia, rootkits, keyloggers, programas de marcação, spyware, software de segurança fraudulento e outras apps ou programas maliciosos

  • Posicionar anúncios publicados pela Google em ecrãs que violem a Política de Software Indesejável da Google.

    Exemplos: falta de transparência acerca da funcionalidade que o software fornece ou de todas as implicações de instalação do software; não inclusão de Termos de Utilização ou de um Contrato de Licença de Utilizador Final; integração de software ou aplicações sem o conhecimento do utilizador; fazer alterações ao sistema sem o consentimento do utilizador; dificultar a desativação ou a desinstalação do software por parte dos utilizadores; não utilização adequada das APIs Google disponíveis para o público ao interagir com serviços ou produtos Google

   Saiba mais acerca de software malicioso ou indesejável

Better Ads Standards 

Não pode:

  • posicionar anúncios publicados pela Google em ecrãs que não estejam em conformidade com as Better Ads Standards. Para mais informações acerca dos tipos de experiências de anúncios não permitidas, visite o Website da Coalition for Better Ads.

               Saiba mais acerca das Better Ads Standards

Inventário autorizado

Não pode:

  • posicionar anúncios publicados pela Google num domínio que utilize o ficheiro ads.txt. Não pode constar do ficheiro ads.txt como vendedor autorizado do inventário. 

No caso dos parceiros de distribuição, os parceiros principais têm de assegurar que os parceiros secundários adicionam prontamente o ficheiro ads.txt aos domínios secundários e que os parceiros principais estão indicados como vendedores autorizados do inventário secundário.

               Saiba mais acerca do inventário autorizado

Conformidade com sanções

A Google tem de agir em conformidade com as sanções e os controlos de exportações mantidos pelo Gabinete de Controlo de Ativos Estrangeiros (OFAC) do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos e pelo Gabinete de Indústria e Segurança (Bureau of Industry & Security) do Departamento do Comércio dos Estados Unidos, bem como outras sanções aplicáveis. Como resultado, os produtos para publicadores da Google não estão disponíveis para os publicadores nos seguintes países ou territórios:

  • Crimeia
  • Cuba
  • As chamadas Repúblicas Populares de Donetsk (DNR) e de Luhansk (LNR) 
  • Irão
  • Coreia do Norte
  • Síria

Os produtos para publicadores da Google também não podem ser utilizados em nome ou em benefício de uma entidade localizada nos países ou regiões sancionados listados acima. 

Além disso, os produtos para publicadores da Google não estão disponíveis para entidades ou indivíduos sujeitos a restrições ao abrigo de sanções comerciais e leis de conformidade de exportações aplicáveis. Os produtos para publicadores da Google não são elegíveis para entidades ou indivíduos pertencentes a ou controlados por estes indivíduos ou entidades sujeitos a restrições, ou que atuem em nome ou em benefício dos mesmos. 

Os publicadores também têm de agir em conformidade com as sanções e os regulamentos de exportações aplicáveis, incluindo as sanções impostas pelo OFAC, e de concordar em não fazer com que a Google viole estes regulamentos. Não é permitido utilizar os produtos para publicadores da Google em nome ou em benefício de entidades ou indivíduos sujeitos a restrições. Não é permitido utilizar os produtos para publicadores da Google em nome ou em benefício de entidades ou indivíduos localizados em países ou regiões sujeitos a sanções.

               Saiba mais acerca da conformidade com sanções

A informação foi útil?

Como podemos melhorá-la?
true
A sua página do AdSense

Apresentamos a página do AdSense: um novo recurso onde pode encontrar informações personalizadas e novas oportunidades na sua conta para ajudar a ter sucesso com o AdSense.

Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal