Relatório de status da cobertura do índice

Use este relatório para saber quais páginas do seu site foram indexadas e como corrigir as que não foram. Cada barra no gráfico representa o número total de URLs em um status específico (válido, erro, entre outros) conhecido pelo Google.

ABRIR O RELATÓRIO DE COBERTURA DO ÍNDICE

 

Como compartilhar o relatório

Para compartilhar detalhes de problemas, clique no botão Compartilhar da página. Qualquer usuário que receber o link só terá acesso à página atual e às páginas do histórico de validação desse problema. O link não dá acesso a outras páginas relacionadas ao seu recurso nem permite que o usuário compartilhado realize qualquer ação na sua propriedade ou conta. Você pode revogar o link a qualquer momento ao desativar o compartilhamento da página.

 

O que procurar

À medida que seu site se desenvolve, o ideal é que você veja uma contagem cada vez maior de páginas indexadas válidas.

  • Um aumento nos erros de indexação pode ser causado por uma alteração no seu modelo que gera um novo problema. Você também pode ter enviado um sitemap com URLs bloqueados para o rastreamento (por exemplo, com robots.txt, noindex ou requisito de login).
  • Uma queda no total de páginas indexadas sem erros correspondentes pode indicar que você está bloqueando o acesso a páginas existentes (por robots.txt, noindex ou com requisito de autenticação). Se esse não for o problema, confira os problemas descartados e classificados por número de páginas afetadas para identificar a possível causa dessa redução no número de indexações.
  • Se você tiver um número significativo de páginas que não foram indexadas, observe os URLs excluídos para descobrir porque isso ocorreu. É possível que você esteja usando robôs ou noindex em várias das suas páginas.
Como esses URLs são encontrados? O Google descobre URLs de várias maneiras. A mais comum é seguindo links de páginas rastreadas ou usando sitemaps. Às vezes, esses links estão errados e podem levar a mensagens de erro 404 no seu site. Outras vezes, a página existia, mas foi desativada. No entanto, se o Google já tiver encontrado um URL alguma vez, continuará tentando rastreá-lo por um tempo. Esse processo é normal. Se você quiser evitar isso, bloqueie a indexação e o acesso ou use um redirecionamento 301 (quando adequado).

Relatório de nível superior

O relatório de nível superior mostra o status do índice de todas as páginas que o Google tentou rastrear no seu site, agrupadas por status e motivo.

Status

Cada página pode ter uma das classes de status geral a seguir:

  • Erro: indica que a página não foi indexada. Veja a descrição do tipo específico de erro para saber mais e aprender como corrigi-lo. Você deve se concentrar nesses problemas primeiro.
  • Aviso: indica que a página está ou estava indexada até recentemente e que tem um problema que você deve saber.
  • Excluída: significa que a página não foi incluída no índice por motivos que você normalmente não pode resolver. A página pode estar em um estágio intermediário do processo de indexação ou foi deliberadamente excluída por você (por exemplo, por uma diretiva noindex) e, assim, se comporta conforme o esperado.
  • Válida: determina que a página foi indexada.

Motivo

Cada status (válida, aviso, erro e excluída) pode ter um motivo específico. Os dados na tabela são agrupados por motivo, e cada linha pode descrever um ou mais URLs. Consulte as descrições do tipo de status abaixo para saber como lidar com cada um deles e ver mais informações.

Validação

É o status de um fluxo de validação iniciado pelo usuário para esse problema. Você deve priorizar problemas com falhas ou não iniciados.

Filtro suspenso de descoberta de URL

Você pode usar o filtro suspenso acima do gráfico para ver os resultados do índice pelo mecanismo usado pelo Google para descobrir o URL. Estes são os valores disponíveis:

  • Todas as páginas conhecidas [padrão]: mostra todos os URLs descobertos pelo Google por qualquer meio.
  • Todas as páginas enviadas: mostra somente as páginas enviadas em um sitemap por meio do Search Console, um arquivo robots.txt ou um ping de sitemap.
  • URL do sitemap específico: mostra só os URLs listados em um sitemap específico que foi enviado por meio do Search Console. Se for um índice de sitemaps, todos os URLs em qualquer sitemap incluído serão registrados.

Um URL é considerado enviado por um sitemap mesmo que tenha sido descoberto também por meio de outro mecanismo (por exemplo, pelo rastreamento orgânico de outra página).

Relatório detalhado por status e motivo

Clique em uma linha na parte superior da página para ver os detalhes de um tipo específico de status. O relatório de motivos apresenta as seguintes informações:

  • um gráfico que mostra URLs por status geral (válido, erro, aviso, excluído)
  • uma tabela que mostra os URLs por tipo de status e a última vez que eles foram rastreados

Importante: um URL marcado tem um problema que já foi corrigido? Talvez você tenha corrigido esse erro DEPOIS do último rastreamento feito pelo Google. Por isso, caso você veja um URL com um problema que já foi resolvido, verifique a data do rastreamento dele.

  • Caso o URL tenha sido rastreado novamente depois da sua correção, isso significa que não foi possível confirmar essa ação. Verifique e confirme sua correção. Depois, espere por um novo rastreamento.
  • Caso o URL tenha sido rastreado antes da correção, aguarde até que o Google rastreie a página novamente ou clique em "Iniciar correção" (se exibido) e corrija o erro usando o fluxo de gerenciamento de problemas.

Solução de problemas das suas páginas

  1. Tente identificar se há correspondências entre o número total de erros de indexação ou na contagem total de páginas indexadas e no gráfico sparkline de um problema específico. Isso poderá indicar o que está afetando esse valor ou a contagem total de páginas indexadas.
  2. Corrija os problemas:
    1. Na tabela, os URLs agrupados por gravidade e aviso são classificados por uma combinação de gravidade, número de páginas afetadas e validação. É recomendável analisá-los na ordem padrão mostrada.
    2. Se houver um aumento no número de erros, procure por picos de frequência ocorridos no mesmo período na linha da parte superior do gráfico. Depois, clique na linha para saber mais com o relatório de detalhamento descrito a seguir.
    3. Clique em uma linha de erro para acessar a página de detalhamento e ver mais informações (abaixo). Leia a descrição sobre o tipo específico de erro para saber como lidar com ele da melhor forma possível.
    4. Corrija todas as instâncias de cada motivo e solicite a validação. Para isso, clique em Validar correção nos detalhes de cada motivo. Leia mais sobre validação.
    5. Você receberá notificações sobre o progresso da sua validação, mas será possível verificar novamente depois de alguns dias para ver se o número de erros diminuiu.
  3. Remova periodicamente o filtro de URLs excluídos, classifique-os por número de páginas afetadas e verifique se eles apresentam problemas indesejados.
Como corrigir erros do servidor
Um erro de servidor significa que o Googlebot não conseguiu acessar seu URL, a solicitação expirou ou o site estava ocupado. Como resultado, o Googlebot teve que abandonar a solicitação.

Como testar a conectividade do servidor

Você pode usar a ferramenta de inspeção de URL para ver se é possível reproduzir um erro de servidor exibido no relatório de status de cobertura do índice.

Como corrigir erros de conectividade do servidor

  • Reduza o carregamento de página excessivo para solicitações de página dinâmica.
    Os sites que exibem o mesmo conteúdo para diversos URLs são considerados de exibição dinâmica. Por exemplo, www.example.com/shoes.php?color=red&size=7 mostra o mesmo conteúdo que www.example.com/shoes.php?size=7&color=red).  As páginas dinâmicas podem levar muito tempo para carregar, resultando em problemas de tempo limite. O servidor também pode retornar um status sobrecarregado para solicitar que o Google rastreie o site mais lentamente. Em geral, recomendamos que você mantenha os parâmetros curtos e os use com moderação. Se você tiver certeza de como os parâmetros funcionam para seu website, informe ao Google como lidar com esses parâmetros.
  • Certifique-se de que o servidor de hospedagem do site não esteja inativo, sobrecarregado ou mal configurado.
    Se os problemas de conexão, de tempo limite ou de resposta persistirem, consulte seu hoster da Web e considere aumentar a capacidade do seu website de lidar com o tráfego.
  • Verifique se você bloqueia o Google de modo não intencional.
    Talvez você esteja bloqueando o Google devido a um problema no nível do sistema, como um problema de configuração do DNS, um firewall ou sistema de proteção DoS configurado incorretamente ou uma configuração do sistema de gerenciamento de conteúdo. Os sistemas de proteção são uma parte importante da hospedagem adequada e com frequência são configurados para bloquear automaticamente uma quantidade grande e incomum de solicitações do servidor. No entanto, como o Googlebot normalmente faz mais solicitações do que um usuário humano, ele pode acionar esses sistemas de proteção, o que bloqueia o Googlebot e impede o rastreamento do seu website. Para solucionar problemas como esse, identifique qual parte da infraestrutura do seu website está bloqueando o Googlebot e remova o bloqueio. É possível que você não tenha controle sobre o firewall. Por isso, talvez seja necessário discutir isso com seu provedor de hospedagem.
  • Controle a indexação e o rastreamento de sites do mecanismo de pesquisa com sabedoria.
    Alguns webmasters impedem, intencionalmente, o acesso do Googlebot a seus sites. Isso pode ser feito com o uso de um firewall, conforme descrito acima. Em alguns casos, a intenção não é bloquear o Googlebot, e sim controlar a forma como o site é rastreado e indexado. Caso isso se aplique a você, verifique o seguinte: Se você desejar mudar a frequência com que o Googlebot rastreia seu website, solicite uma alteração na taxa de rastreamento do Googlebot. Os provedores de hospedagem também podem verificar a propriedade dos seus endereços IP.
Como corrigir erros 404

A maioria dos erros 404 não afeta a classificação do site no Google. Por isso, não há problema em ignorá-los. Em geral, eles são causados por erros de digitação, configurações incorretas do site ou pelos avanços do Google no reconhecimento e rastreamento de links em conteúdos incorporados, como JavaScript. Veja algumas indicações para ajudar você a investigar e corrigir erros 404:

  1. Decida se vale a pena corrigir o erro. Muitos (talvez a maioria) dos erros 404 não valem o esforço da correção. O motivo: Classifique seus erros 404 por prioridade e corrija aqueles que precisam ser corrigidos. Ignore os outros, pois erros 404 não prejudicam a classificação ou a indexação do site.
    • Se o erro for devido a uma página excluída que não tem substituto ou equivalente, retornar um erro 404 é a coisa certa.
    • Se for devido a um URL nocivo gerado por um script ou que nunca existiu no seu site, provavelmente você não precisa se preocupar com isso. Talvez ter essa informação no relatório possa ser incômodo para você, mas não será necessário corrigir o erro, a menos que o URL seja um link comumente escrito incorretamente (veja abaixo).
  2. Veja onde estão os links inválidos. Clique em um URL para ver as informações de Links dessas páginas. A correção dependerá do local do link, se ele vem do seu ou de outro site:
    1. Corrija links do seu site para páginas ausentes ou exclua-os, se necessário.
      • Se o conteúdo tiver sido movido, adicione um redirecionamento.
      • Se você excluir um conteúdo permanentemente sem a intenção de substituí-lo por um conteúdo mais recente ou relacionado, deixe que o URL antigo retorne um erro 404 ou 410. O Google trata os erros 410 (Não existe mais) da mesma forma que os erros 404 (Não encontrado). Pode ser problemático retornar um código que não seja o 404 ou 410 para uma página não existente ou redirecionar os usuários para outra página, como a página inicial, em vez de retornar um 404. Essas páginas são chamadas de erro soft 404 e podem confundir tanto usuários quanto mecanismos de pesquisa.
      • Se o URL for desconhecido: talvez você veja erros 404 ocasionais para URLs que nunca existiram em seu site. Esses URLs inesperados podem ser gerados quando o Googlebot tenta seguir links encontrados em arquivos Flash, JavaScript ou outro conteúdo incorporado ou que só exista em um sitemap. Por exemplo, talvez o site use um código como este para rastrear downloads de arquivos no Google Analytics:
        <a href="helloworld.pdf"
          onClick="_gaq.push(['_trackPageview','/download-helloworld']);">
          Hello World PDF</a>

        Se o Googlebot encontrar esse código, ele talvez tente rastrear o URL http://www.example.com/download-helloworld, mesmo que não seja de uma página real. Nesse caso, o link poderá aparecer como um erro 404 (não encontrado) no relatório de erros de rastreamento. O Google está trabalhando para evitar esse tipo de erro de rastreamento. Esse erro não afeta o rastreamento ou a classificação do site.

    2. Corrija links com erros de digitação de outros sites com redirecionamentos 301. Por exemplo, um erro ortográfico de um URL legítimo (www.example.com/sapatosvermelhoz em vez de www.example.com/sapatosvermelhos) provavelmente ocorreu quando alguém cometeu um erro de digitação durante a vinculação ao seu site. Nesse caso, é possível capturar o URL com erro de digitação criando um redirecionamento 301 para o URL correto. Você também pode entrar em contato com o webmaster do site com um link incorreto e solicitar que ele seja atualizado ou removido.
  3. Ignore os erros restantes. Não crie conteúdo fictício, redirecione para sua página inicial nem use o robots.txt para bloquear esses URLs. Essas opções dificultam o reconhecimento da estrutura do seu site e o processamento correto dele. Chamamos esses erros de soft 404. Clicar em Este erro foi corrigido no relatório de erros de rastreamento oculta temporariamente o erro 404. Ele será exibido novamente da próxima vez que o Google tentar rastrear o URL.Depois que o Google conseguir rastrear um URL, ele poderá tentar rastrear esse URL para sempre. Gerar um redirecionamento no nível 300 atrasará essa tentativa de novo rastreamento, possivelmente por um longo período.  O envio de uma solicitação de remoção de URL usando a ferramenta de remoção de URL não removerá o erro desse relatório.

Se você não reconhecer um URL no seu site, ignore-o. Esses erros ocorrem quando alguém acessa um URL inexistente no seu site. Talvez alguém tenha digitado incorretamente um URL no navegador ou um URL de um link. No entanto, talvez você queira ver alguns desses URLs digitados incorretamente, como descrito na lista acima.

Motivos dos status

Veja aqui os motivos possíveis do status de cada uma das suas páginas.

Enviado x não enviado

Um resultado de índice com a palavra "Enviado" indica que você pediu de maneira explícita ao Google para indexar o URL enviando-o em um sitemap.

Erro


As páginas com erros não foram indexadas.


Erro de servidor (5xx): seu servidor retornou um erro de nível 500 quando a página foi solicitada. Veja Como corrigir erros do servidor

Erro de redirecionamento: o URL tinha um erro de redirecionamento. Isso pode acontecer pelos seguintes motivos: a cadeia de redirecionamento era muito longa; havia um loop de redirecionamento; o URL de redirecionamento ultrapassou o tamanho máximo permitido; ou havia um URL em branco ou com problemas na cadeia de redirecionamento.

URL enviado bloqueado pelo arquivo robots.txt: a página foi enviada para indexação, mas está bloqueada por robots.txt. Analise a página usando a ferramenta Testar robots.txt.

URL enviado marcado como "noindex": a página foi enviada para indexação, mas tem uma diretiva "noindex" em uma metatag ou um cabeçalho HTTP. Se você quiser que a página seja indexada, terá que remover a tag ou o cabeçalho HTTP.

URL enviado parece ser um Soft 404: você enviou a página para indexação, mas o servidor retornou o que parece ser um erro soft 404.

URL enviado retorna solicitação não autorizada (401): você enviou a página para indexação, mas o Google recebeu uma resposta 401 (não autorizada). Remova os requisitos de autorização da página ou verifique a identidade do Googlebot para permitir que ele acesse suas páginas.

URL enviado não encontrado (404): você enviou um URL inexistente para indexação. Veja Como corrigir erros 404.

URL enviado tem problema de rastreamento: a página foi enviada para indexação, mas o Google encontrou um erro de rastreamento não especificado que não se enquadra nos outros motivos. Tente depurar a página usando a ferramenta de inspeção de URL.

Aviso


Talvez as páginas com status de aviso precisem de ajustes. Além disso, dependendo do resultado específico, elas podem ou não ter sido indexadas.


Indexada, mas bloqueada pelo robots.txt: a página foi indexada, apesar de estar bloqueada pelo robots.txt. O Google sempre respeita o robots.txt, mas isso não impede a indexação quando há um link para a página em outro lugar. Isso é marcado como um aviso porque não temos certeza se você pretende bloquear a página dos resultados da pesquisa. Caso sua intenção seja bloquear a página, o robots.txt não é o recurso certo para evitar a indexação. Para isso, você deve usar "noindex" ou incluir autorizações para proibir o acesso anônimo à página. Use o teste de robots.txt para determinar qual é a regra que bloqueia a página. Também é provável que o arquivo robots.txt afete a qualidade dos snippets da página que forem exibidos. Caso sua intenção não seja bloquear a página, atualize o arquivo robots.txt para desbloqueá-la.

Válidas


Páginas com status de válidas foram indexadas.

Enviada e indexada: você enviou o URL para indexação, e ele foi processado.

Indexada, não enviada no sitemap: o URL foi descoberto e indexado pelo Google. Recomendamos enviar todos os URLs importantes por meio de um sitemap.

Indexada, considere marcá-la como canônica: o URL foi indexado. Existem cópias de URLs, mas identificamos este como o canônico. Ele não é explicitamente marcado como canônico, por isso recomendamos marcá-lo dessa forma.

Exclusões


Em geral, as páginas não são indexadas, mas essa exclusão costuma ser intencional.


Bloqueada pela tag "noindex": ao tentar indexar a página, o Google encontrou uma diretiva "noindex". Por isso, não indexou o conteúdo. Caso você não queira que a página seja indexada, esse é o resultado esperado. Se você quiser que a página seja indexada, remova a diretiva "noindex".

Bloqueada pela ferramenta de remoção de página: no momento, a página está bloqueada por uma solicitação de remoção de URL. Se você é um proprietário do site verificado, use a ferramenta de remoção de URL para ver quem enviou a solicitação relacionada. As solicitações de remoção só são válidas por um período determinado. Veja mais informações no link da documentação. Após esse período, o Googlebot poderá acessar e indexar a página, mesmo sem uma nova solicitação de indexação. Se você não quiser que o conteúdo seja indexado, use "noindex", exija autorização de acesso ou remova a página.

Bloqueada pelo robots.txt: o acesso do Googlebot à página foi bloqueado com um arquivo robots.txt. Para conferir isso, use a ferramenta de teste de robots.txt. Esse bloqueio não impede a indexação da página por outros meios. Se o Google encontrar outras informações sobre a página sem carregá-la, ela ainda poderá ser indexada, embora isso seja menos frequente. Para garantir que uma página não seja indexada pelo Google, remova o bloqueio de robots.txt e use uma diretiva "noindex".

Bloqueada devido à solicitação não autorizada (401): o acesso do Googlebot à página foi bloqueado por uma solicitação de autorização (resposta 401). Se você quiser que o Googlebot rastreie a página, remova os requisitos de autorização ou permita que o Googlebot acesse sua página.

Anomalia no rastreamento: ocorreu uma anomalia não especificada ao buscar o URL. Isso pode significar um código de resposta de nível 4xx ou 5xx. Tente buscar a página usando a ferramenta Fetch as Google para ver se há problemas. A página não foi indexada.

Rastreada, mas não indexada no momento: a página foi rastreada pelo Google, mas não foi indexada. Ela poderá ou não ser indexada no futuro, e não é necessário reenviar o URL para rastreamento.

Detectada, mas não indexada no momento: o Google identificou a página, mas ainda não a rastreou. Normalmente, esse status significa que o Google tentou rastrear o URL, mas o site estava sobrecarregado. Como resultado, o Google teve que adiar o rastreamento. É por isso que a última data de rastreamento está em branco no relatório.

Página alternativa com tag canônica adequada: essa página é uma cópia de outra que o Google reconhece como canônica. Ela redireciona o usuário corretamente à página canônica. Nesse caso, nenhuma ação é necessária.

Cópia da página sem tag canônica: há outras cópias da página, e nenhuma delas foi marcada como canônica. A página em questão não parece ser a canônica. Você deve marcar explicitamente a versão canônica da página. A inspeção desse URL precisa mostrar o URL canônico selecionado pelo Google.

Cópia da página não HTML: uma página não HTML (por exemplo, um arquivo PDF) é uma cópia de outra, marcada pelo Google como canônica. Em geral, somente o URL canônico é exibido na Pesquisa Google. Se você quiser, use o cabeçalho HTTP "Link" em uma resposta para especificar uma página canônica.

O Google e o usuário selecionaram uma página canônica diferente: o URL está marcado como versão canônica de um conjunto de páginas. No entanto, de acordo com o Google, há outro URL mais apropriado para essa função. O Google indexou a página que consideramos canônica em vez desta. Recomendamos que você marque explicitamente essa página como uma cópia do URL canônico. Ela foi descoberta sem uma solicitação de rastreamento explícita. A inspeção do URL precisa mostrar o URL canônico selecionado pelo Google.

Não encontrado (404): a página retornou a solicitação com um erro 404. O Google descobriu esse URL sem qualquer solicitação explícita nem sitemap. O Google pode ter descoberto o URL como um link de outro site, ou talvez a página já existiu e foi excluída. O mais provável é que o Googlebot continue tentando acessar o URL por algum tempo. Não existe uma maneira de remover permanentemente um URL da memória do Googlebot, mas ele rastreará esse endereço cada vez menos. As respostas 404 não são um problema quando são intencionais. Se a página tiver sido movida, use um redirecionamento 301 para o novo endereço. Leia Como corrigir erros 404

Página removida devido à petição inicial legal: a página foi removida do índice devido a um Pedido legal de remoção.

Página com redirecionamento: o URL é um redirecionamento, por isso não foi adicionado ao índice.

Na fila para rastreamento: a página está na fila de rastreamento. Verifique novamente em alguns dias se ela foi rastreada.

Erro soft 404: a solicitação da página retorna o que parece ser uma resposta Soft 404. Isso significa que ela exibe ao usuário uma mensagem amigável de página não encontrada sem o código de resposta 404 correspondente. Retorne um código de resposta 404 em páginas que realmente não foram encontradas ou adicione mais informações à página para nos avisar que esse não é um erro soft 404. Saiba mais

Ignorada por motivos não especificados: a página foi enviada para indexação, mas foi retirada do índice por um motivo indeterminado.

URL enviado não selecionado como canônico: o URL faz parte de um conjunto de cópias de URLs sem uma página canônica claramente marcada. Você solicitou explicitamente a indexação desse URL, mas ele é uma cópia, e o Google identificou outro URL mais adequado para a função de canônico. Por isso, esse URL não foi indexado, e sim a versão canônica selecionada pelo Google. O Google só indexa o URL canônico em um conjunto de cópias. A diferença entre esse status e "O Google e o usuário selecionaram uma página canônica diferente" é que, nesse caso, a indexação foi solicitada. A inspeção desse URL precisa mostrar o URL canônico selecionado pelo Google.

 

Sobre a validação

Depois de corrigir todas as instâncias de um determinado problema no site, você pode solicitar ao Google que valide as alterações. Se todas as instâncias conhecidas desaparecerem, o problema será marcado como corrigido e movido para a parte inferior da tabela de status. O Search Console rastreia o estado de validação do problema como um todo, além da situação de cada uma das instâncias dele. Quando todas as instâncias do problema desaparecerem, ele será considerado resolvido. Para ver os estados registrados, consulte Estado de validação do problema e Estado de validação da instância.

Mais informações sobre o ciclo de vida do problema…

O ciclo de vida de um problema começa na primeira vez que uma instância dele é detectada no site e termina 90 dias após a última instância ter sido marcada como eliminada. Após 90 dias sem recorrências, o problema será removido do histórico do relatório.

A primeira data detectada do problema é a primeira vez que ele foi identificado durante o ciclo e ela não se altera. Assim:

  • se todas as instâncias de um problema forem corrigidas e, 15 dias depois, uma nova instância surgir, o problema será marcado como aberto, e a "primeira data detectada" continuará sendo a data original;
  • se o mesmo problema ocorrer 91 dias após a última instância ter sido corrigida, o problema anterior terá sido encerrado, e o problema será registrado como novo. Além disso, a primeira data detectada será definida como "hoje".

Fluxo básico de validação

Esta é uma visão geral do processo de validação depois que você clica em Validar correção para um problema. Esse processo pode demorar vários dias, e você receberá notificações do andamento dele por e-mail.

  1. Quando você clica em Validar a correção, o Search Console imediatamente verifica algumas páginas.
    • Se a instância atual existir em qualquer uma dessas páginas, a validação terminará, e o estado de validação permanecerá inalterado.
    • Se as páginas de amostra não tiverem o erro atual, a validação continuará com o estado Iniciado. Se a validação encontrar outros problemas não relacionados, eles serão registrados como esse outro tipo, e a validação continuará.
  2. O Search Console processa toda a lista de URLs conhecidos afetados pelo problema. Apenas os URLs com instâncias conhecidas do problema ficarão na fila para novo rastreamento, não o site inteiro. O Search Console mantém um registro de todos os URLs verificados no histórico de validação, que pode ser acessado a partir da página de detalhes do problema.
  3. Quando um URL é verificado:
    1. Se o problema não for encontrado, o estado de validação da instância mudará para Aprovado. Se esta for a primeira instância verificada após o início da validação, o estado do problema mudará para Tudo certo até agora.
    2. Se o URL não estiver mais acessível, o estado de validação da instância mudará para Outro (o que não é um estado de erro).
    3. Se a instância ainda continuar presente, o estado do problema mudará para Reprovado, e a validação terminará. Se a página for nova e tiver sido descoberta pelo processo normal de rastreamento, ela será considerada outra instância do problema existente.
  4. Quando todos os URLs de erro e aviso tiverem sido verificados, e a contagem de problemas for zero, o estado do problema mudará para Aprovado. Importante: mesmo quando o número de páginas afetadas cair para zero, e o estado do problema mudar para Aprovado, o rótulo original de gravidade ainda será Erro ou Aviso.

Mesmo que você nunca clique em "Iniciar validação", o Google poderá detectar as instâncias corrigidas de um problema. Se o Google detectar que todas as instâncias de um problema foram corrigidas durante o processo normal de rastreamento, o estado do problema mudará para "N/D" no relatório.

Quando o problema de um URL ou item é considerado "corrigido"?

O problema de um URL será marcado como corrigido quando uma das seguintes condições for cumprida:

  • Quando o URL for rastreado e o problema não for mais encontrado na página. Para um erro de tag AMP, talvez isso signifique que você corrigiu a tag ou que ela foi removida (se ela não for obrigatória). Durante uma tentativa de validação, isso será considerado "Aprovado".
  • Se a página não estiver disponível para o Google por que requer autenticação, foi removida, marcada como "noindex", entre outros, o problema desse URL será considerado como corrigido. Durante uma tentativa de validação, ele será registrado como o estado de validação "Outro".

Revalidação

Quando você clicar em Revalidar para uma validação reprovada, a validação será reiniciada para todas as instâncias reprovadas, além de todas as novas instâncias do problema descobertas no processo normal de rastreamento.

É necessário aguardar o fim de um ciclo de validação para solicitar outro, mesmo que você tenha corrigido alguns problemas durante o ciclo atual.

As instâncias que foram aprovadas na validação (marcadas como Aprovado) ou que não podem mais ser acessadas (marcadas como Outro) não serão verificadas novamente e serão removidas do histórico quando você clicar em "Revalidar".

Histórico de validação

É possível ver o progresso de uma solicitação ao clicar no link da validação na página de detalhes do problema.

As entradas na página do histórico de validação são agrupadas por URL nos relatórios de AMP e de Status do índice. Nos relatórios de Usabilidade em dispositivos móveis e de Pesquisa aprimorada, os itens são agrupados pela combinação de URL + item de dados estruturados (conforme determinado pelo valor "Nome" do item). O estado de validação se aplica ao problema específico que você está examinando. Você pode ter um problema marcado como "Aprovado" em uma página, mas outros problemas denominados "Reprovado", "Pendente" ou "Outros".

Estado de validação do problema

Os seguintes estados de validação podem ser aplicados a um problema:

  • Não iniciado: há uma ou mais páginas com uma instância do problema que você nunca tentou enviar para validação. Próximas etapas:
    1. Clique no problema para ver os detalhes do erro. Inspecione cada página para ver exemplos do erro na página ativa usando o teste de AMP. Se o teste de AMP não mostrar o erro, é porque o erro foi corrigido na página ativa depois que o Google o detectou e gerou o relatório do problema.
    2. Clique em "Saiba mais" na página de detalhes para ver informações sobre a regra violada.
    3. Clique na linha de um URL de exemplo na tabela para ver detalhes sobre esse erro específico.
    4. Corrija as páginas e clique em Validar correção para que o Google faça um novo rastreamento delas. O Google notificará você sobre o andamento da validação. A validação pode levar desde alguns dias até cerca de duas semanas. 
  • Iniciado: você iniciou uma tentativa de validação e ainda não foram encontradas as instâncias remanescentes do problema. Próxima etapa: o Google enviará notificações durante o andamento da validação informando o que você deve fazer, conforme necessário.
  • Tudo certo até agora: você iniciou uma tentativa de validação, e todas as instâncias do problema verificadas até agora foram corrigidas. Próxima etapa: nenhuma ação é necessária. No entanto, o Google enviará notificações durante o processo de validação informando o que você deve fazer.
  • Aprovado: todas as instâncias conhecidas do problema foram eliminadas (ou o URL afetado não está mais disponível). Provavelmente, você clicou em "Validar correção" para chegar a esse estado. Se as instâncias tivessem desaparecido sem que você tivesse solicitado a validação, o estado teria mudado para "N/D". Próxima etapa: nenhuma ação é necessária.
  • N/D: o Google descobriu que o problema foi corrigido em todos os URLs, mesmo que você nunca tenha iniciado uma tentativa de validação. Próxima etapa: nenhuma ação é necessária.
  • Reprovado: um determinado número de páginas ainda contém o problema depois de você ter clicado em "Validar". Próximas etapas: corrija o problema e refaça a validação.

Estado de validação da instância

Uma vez que a validação é solicitada, cada instância conhecida recebe um dos seguintes estados de validação a respeito de um problema específico. Os estados Aprovado e Outro não são utilizados no relatório de Status do índice. Veja as opções:

  • Validação pendente: na fila para validação. Na última verificação feita pelo Google, o problema ainda existia.
  • Aprovado: a verificação feita pelo Google não detectou instâncias do problema. Esse estado só poderá ser alcançado se você clicar em Validar para a instância do problema.
  • Reprovado: a verificação feita pelo Google detectou a presença do problema. Esse estado só poderá ser alcançado se você clicar em Validar para a instância do problema.
  • Outro: o Google não conseguiu acessar o URL que hospeda a instância ou (para dados estruturados) não foi possível encontrar o item na página de novo. Esse estado é equivalente a Aprovado.

O mesmo URL pode ter estados diferentes para problemas distintos. Por exemplo, se uma única página tiver os problemas X e Y, talvez o problema X tenha o estado de validação Aprovado, e o Y exiba o estado Pendente.

 

Problemas conhecidos

Estes são os problemas conhecidos nessa versão Beta do novo Search Console. Não é necessário denunciá-los, mas gostaríamos de receber seu feedback a respeito de qualquer outro recurso ou erro que você identificar. Use o mecanismo de feedback na barra de navegação.

  • Os dados de indexação não são atualizados diariamente. Por essa razão, podem apresentar um atraso de alguns dias. Além disso, alguns pontos de dados são interpolados.
  • Os gráficos devem cobrir os últimos 90 dias, mas atualmente podem mostrar menos que isso. 
  • O filtro suspenso de sitemaps inclui somente sitemaps enviados por meio do Search Console ou das diretivas robots.txt.
  • A lista de status vem sendo refinada e poderá ser alterada. Por exemplo:
    • Os itens rotulados como "Erro" misturam diferentes tipos de respostas (4xx/5xx).
    • Você pode ignorar os itens "Ignorada por motivos não especificados" ou "Outro".
  • No momento, o clique na linha de um motivo específico direciona você a ferramentas no antigo Search Console. Esperamos melhorar isso no futuro.
  • A experiência do Search Console para dispositivos móveis vem sendo aprimorada.
  • Os conjuntos de propriedades e as propriedades de aplicativos para dispositivos móveis ainda não são compatíveis com essa versão.
Este artigo foi útil para você?
Como podemos melhorá-lo?