Notificação

Receba respostas para suas perguntas rapidamente twittando ao @TeamYouTube em português. Estamos aqui para ajudar e trazer a você as últimas notícias e atualizações!

Diretrizes de conteúdo adequado para publicidade

Simplificamos as opções de formatos de anúncios que aparecem antes ou depois dos vídeos para aumentar a receita dos criadores de conteúdo. Removemos as opções individuais de anúncios precedentes, finais, puláveis e não puláveis. A partir de agora, quando você ativar os anúncios em novos vídeos mais longos, vamos mostrar os formatos precedentes, finais, puláveis ou não puláveis conforme apropriado. Com essa mudança, a prática recomendada e padrão para todos é ativar todos os formatos de anúncio. Suas escolhas para os anúncios intermediários continuam as mesmas. Mantemos suas opções de anúncios para os vídeos mais longos, a menos que você mude as configurações de monetização.
Se você fizer parte do Programa de Parcerias do YouTube, poderá compartilhar a receita de anúncios. Nosso objetivo com este artigo é ajudar você a entender quais vídeos ou Shorts do seu canal são adequados para publicidade. Os criadores de conteúdo podem usar este artigo para compreender o questionário de autocertificação da plataforma e as regras específicas sobre o que pode veicular anúncios limitados ou não limitados, e o que não pode veicular anúncios, devendo manter a monetização desativada. Nossas políticas se aplicam a todas as partes do seu conteúdo (vídeo, Short ou transmissão ao vivo, miniatura, título, descrição e tags). Saiba mais sobre nossas práticas recomendadas.

Nossos sistemas nem sempre acertam. Por isso, é possível solicitar uma revisão humana sobre as decisões tomadas pelos mecanismos automatizados.

23 de março de 2022: devido à guerra na Ucrânia, o conteúdo que explora, menospreza ou aprova a situação não está qualificado para monetização até segunda ordem. A intenção dessa atualização é esclarecer e, em alguns casos, ampliar nossas orientações relacionadas à guerra.
Observação: todo o conteúdo enviado ao YouTube precisa obedecer às diretrizes da comunidade e à Política para editores do Google na Ajuda do AdSense. Caso seu conteúdo viole essas diretrizes, ele poderá ser removido do YouTube. Se você vir conteúdo impróprio, pode fazer uma denúncia.

O contexto é muito importante. Conteúdo artístico, como vídeos de música, pode ter elementos como linguagem imprópria, referências ao uso de drogas ou temas sexuais não explícitos e, mesmo assim, ser adequado para publicidade.

Mostrar todos os detalhes da política de uma vez pode ser útil se você quiser pesquisar termos específicos na página. Clique aqui para abrir todos os guias.

Linguagem imprópria

Conteúdo que apresenta linguagem obscena ou vulgar no início ou durante a maior parte do vídeo pode não ser adequado para publicidade. O uso casual de linguagem obscena (como nos vídeos de música e nas músicas de apoio, de abertura/encerramento ou reproduzidas em segundo plano) não necessariamente torna o conteúdo inadequado para publicidade.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário

Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Linguagem obscena abreviada ou censurada e palavras como "inferno" ou "droga" no título, na miniatura ou no vídeo. Linguagem obscena moderada, como "vadia", "droga", "babaca" e "merda" usada com frequência no vídeo. Linguagem obscena usada em músicas ou vídeos de stand-up de comédia.

Definições:
  • “Linguagem obscena censurada” refere-se a ações que tentam encobrir um palavrão com efeitos sonoros ou cobrir o texto escrito com faixas pretas, símbolos ou efeitos adicionados na edição.
  • "Linguagem obscena abreviada" se refere a siglas como "PQP" ("p*ta que pariu").
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Linguagem obscena mais pesada, como palavrões, nos primeiros sete segundos ou linguagem obscena moderada, como “merda”, no título ou na miniatura.

Alguns exemplos de conteúdos que também se encaixam nessa categoria:
  • Uso frequente de linguagem obscena durante um vídeo, por exemplo, na maioria das frases.
  • Linguagem obscena no título ou na miniatura da música ou em conteúdo de stand-up de comédia.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Linguagem obscena mais pesada, como palavrões, em miniaturas ou títulos.

Alguns exemplos de conteúdos que também se encaixam nessa categoria:

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Violência

Conteúdo com foco em sangue, violência ou ferimentos não é adequado para publicidade caso seja apresentado sem um contexto adicional. Se você exibir conteúdo violento em um contexto jornalístico, educativo, artístico ou documental, o contexto adicional é importante. Por exemplo, se um vídeo fornece notícias confiáveis sobre uma situação violenta, ele pode se qualificar para gerar receita. A violência em um vídeo de gameplay sem edição é geralmente aceitável para publicidade. No entanto, isso não se aplica a montagens com foco em violência desnecessária. Todos os jogos, realistas ou não, estão no escopo dessa política.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

O cumprimento da lei, incluindo sua aplicação (como prisão forçada, controle de multidão, conflito com policial, invasão); violência de gameplay não editada que aparece depois dos primeiros 15 segundos; violência leve com pouco sangue; cadáveres totalmente censurados, desfocados, preparados para enterro ou exibidos em eventos históricos (por exemplo, em guerras) como parte de um vídeo educativo.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Violência em geral

  • Conteúdo encenado com representação de violência explícita ou não explícita.
    • Durante uma narrativa mais longa, representar uma cena breve que envolva ferimentos (por exemplo, por arma de fogo) como parte de uma cena de ação violenta.
    • Trechos de violência em combate de um filme de ação (por exemplo, conteúdo roteirizado) em que os ferimentos são quase imperceptíveis.
    • Pessoas de luto devido a uma morte em conteúdo roteirizado.
  • Representação de um ferimento sem conteúdo explícito.
    • Um personagem caindo de joelhos sem mostrar sangue ou apenas uma quantidade limitada.
    • Queda de uma montanha ou colisão com uma parede, acidentalmente ou de propósito, seja em conteúdo roteirizado ou na prática de esportes.
Jogos
  • Violência em jogos, incluindo o seguinte:
    • Cenas explícitas (como um ataque sangrento a uma pessoa) fora dos primeiros 15 segundos do vídeo.
    • Violência não realista, em tom de brincadeira e, em geral, aceitável para todas as idades (por exemplo, videogames adequados a todas as idades que mostrem alguém fugindo de monstros).
    • Violência censurada, desfocada ou disfarçada de alguma maneira (por exemplo, uma cena de decapitação desfocada).
Morte e tragédia
  • Conteúdo educativo ou histórico com:
    • representações não explícitas de cadáveres;
      • homenagem pública a um falecido com o cadáver mostrado de forma não explícita;
    • cadáveres explícitos totalmente censurados (por exemplo, desfocados);
  • cobertura de tragédias que envolvam uma ou mais mortes (exceto eventos sensíveis, como tiroteios ou ataques terroristas) sem exibição ou com exibição limitada de atos violentos ou das consequências;
    • reportagens sobre homicídios sem descrições explícitas das vítimas ou mortes.
  • Vídeos educativos, encenados, de música ou reportagens jornalísticas que contenham:
    • Situação implícita de morte ou lesões corporais graves.
    • Danos patrimoniais graves em que provavelmente ocorreram mortes ou lesões corporais graves, como bombardeios, incêndios, desmoronamentos de edifícios etc.
    • Exibição de cadáveres não preparados em funerais públicos com caixões abertos.
Caça
  • Conteúdo de caça no qual não haja representações explícitas de ferimentos em animais ou sofrimento prolongado.
    • Vídeos de caça em que o momento da morte ou do ferimento não é discernível e sem filmagem focal do processamento do animal morto para fins de troféu ou alimentação.
Violência contra animais
  • Representações não explícitas de violência animal na natureza.
    • Predadores perseguindo presas, em que os detalhes explícitos, como partes sangrentas dos corpos ou momentos da captura, não são incluídos. É possível que algum sangue seja visível rapidamente, mas não é o assunto central do conteúdo.
Abuso de animais
  • Animais em sofrimento durante treinamento de animais adequado à espécie, intervenção médica ou realocação.
  • Cobertura ou discussão de abuso animal sem imagens reais do ato.
Violência em prática esportiva
  • Violência em esportes de luta que envolvem armas, como esgrima, independentemente do equipamento de proteção usado ou das medidas de segurança garantidas.
  • Ferimentos em práticas esportivas, explícitos ou não, em que há exibição de sangue.
    • Esportes de combate, como boxe, praticados em ambiente profissional (como academia ou arena).
  • Ferimentos não explícitos (por exemplo, um tornozelo torcido) mostrados durante uma prática esportiva.
Lutas (exceto esportes de combate)
  • Representações de lutas em um contexto educativo sem exibição explícita de ferimentos ou pessoas sendo deixadas inconscientes.
    • Movimentos de defesa pessoal que são compartilhados como um tutorial.
  • Representações breves de pessoas lutando sem ferimento visível.
Cumprimento da lei e atrito físico
  • Interações não combativas e não ofensivas segundo restrições legais.
    • Interações normais com a polícia (como perguntar sobre rotas, receber uma multa de trânsito etc.).
  • Discussões não físicas com a polícia, apreensão ou entrada forçada da polícia em uma propriedade e perseguição policial.
  • Interações violentas, combativas ou ofensivas com autoridades policiais em um contexto educativo ou em reportagem jornalística.
    • Comentários usando trechos de uma reportagem sobre um protesto violento (por exemplo, imagens de policiais batendo ou empurrando civis no chão).
    • Reportagens que mostrem a polícia jogando água nos civis em manifestações.
Guerra e conflito
  • Cobertura educativa não explícita ou discussões sobre guerra e/ou conflito.
    • Tiros voltados a alvos fora de enquadramento, sem exibição ou representações de sofrimento ou agonia.
Violência contra menores
  • Vídeos de lutas em tom de brincadeira entre menores sem ferimentos ou sofrimento.
  • Conteúdo musical sobre violência entre menores sem exibição ou com cenas breves das brigas.
Definições:
  • “Violência leve” refere-se a brigas em conteúdo realista ou atos violentos breves, como troca de socos.
  • "Violência não explícita" refere-se a representações de comportamento físico agressivo contra outra pessoa, como apontar o dedo enquanto grita ou atos isolados de violência (como jogar uma garrafa contra uma parede).
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Cumprimento explícito da lei, como ferimentos visíveis, cadáveres com ferimentos ou danos expostos em contextos educativos ou documentais, como em um canal que ensina história, violência explícita de jogos na miniatura ou no início do conteúdo, filmagens não editadas de conflito armado sem ferimentos, descrição de detalhes explícitos de tragédias, conteúdo encenado com a exibição de ferimentos graves e chocantes.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Violência em geral

  • Violência dramatizada que resulte em ferimento sério, com consequência ou impacto que seja visível e presente.
    • Cenas com sangue ou violência extrema com ossos visivelmente quebrados.
    • Conteúdo encenado de vídeo mais longo com uma cena curta de violência extremamente explícita, como um assassinato em massa, ou uma compilação de vídeo com cenas desse tipo.
    • Descrições muito explícitas de tragédias (em áudio ou vídeo).
    • Pessoas sufocando ou sofrendo agonia e dores extremas, como tosse ininterrupta.
    • Cenas de desastres que envolvem ferimentos visíveis a pessoas ou as consequências desses desastres, como no caso de sofrimento emocional extremo.
  • Filmagem sem edição de ruínas de edifícios destruídos resultantes de um evento violento, como ruínas de escolas após um tufão, ou pessoas com ferimentos leves, como torções de tornozelos ou aplicando bandagens nos dedos.

Jogos

  • Violência explícita em jogos na miniatura ou nos primeiros 8 a 15 segundos do vídeo. 
    • "Violência explícita em jogos" inclui assassinatos brutais ou ferimentos graves com foco em fluidos e partes corporais, como decapitações e desmembramentos. 

Morte e tragédia

  • Reportagens de tragédias que envolvam várias vítimas e que incluam detalhes explícitos ou repulsivos.
    • Um documentário sobre um homicídio recente com descrição das circunstâncias da morte.

Lutas (exceto esportes de combate)

  • Lutas de rua com ferimentos visíveis ou nocautes em um contexto educativo.
    • Lutas de rua explícitas, incluindo cenas com ferimentos e sofrimento emocional (por exemplo, gritos).

Cumprimento da lei e atrito físico

  • Contenções altamente combativas com as autoridades legais, geralmente incluindo atos de brutalidade cometidos por ou contra as autoridades.
    • Bater em civis com força, gerando ferimentos
    • Cuspir em policiais 

Violência em prática esportiva

  • Ferimentos esportivos explícitos como parte de um vídeo maior com contexto.
    • Compilações ou destaques que envolvam esse ferimentos explícitos, mas não especialmente focadas neles.

Violência contra animais

  • Violência contra animais na natureza que não seja causada por humanos ou por animais treinados por humanos (por exemplo, leões selvagens caçando cervos, mas não cães treinados caçando coelhos).
    • Vídeos com foco prolongado em animais com ferimentos explícitos (por exemplo, sangue ou ossos).

Caça

  • Conteúdo de caça com exibição breve de imagens explícitas de animais feridos ou sofrendo (por exemplo, partes de corpos ensanguentados).

Guerra e conflito

  • Filmagem real e não explícita com imagens não editadas de conflito armado (por exemplo, guerra) sem contexto educativo e sem cenas sangrentas ou de ferimentos explícitos.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Cadáveres explícitos em um vídeo não educativo. Vídeo de gameplay com temas proibidos, como agressão sexual. Atos violentos explícitos (inclusive aqueles que envolvem policiais) e ferimentos. Incitação ou promoção da violência.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Violência em geral

  • Foco em sangue, vísceras, cortes, fluidos corporais (humanos ou animais), cenas de crime ou fotos de acidentes com pouco ou nenhum contexto.
  • Mostrar as consequências explícitas de um ato de violência com imagens extremamente chocantes, incluindo:
    • Exibição intensa de sangue ou cortes. Por exemplo, feridas abertas como uma perna amputada ou queimaduras graves.
    • Agonia intensa, como pessoas chorando ou desmaiando devido à dor extrema causada por feridas abertas.
  • Conteúdo com cenas que incitem ou exaltem a violência ou que mostrem imagens chocantes, explícitas e/ou violentas.

Jogos

  • Foco em jogos feitos para criar uma experiência chocante. Por exemplo: 
    • Agregação de personagens não jogáveis para assassinatos em massa.
  • Violência explícita em jogos na miniatura ou nos primeiros sete segundos do vídeo.
    • “Violência explícita em jogos” inclui ferimentos graves, como decapitações e desmembramentos, com foco em fluidos e/ou partes corporais, assim como em agonia prolongada ou grave.
  • Vídeo de gameplay mostrando violência sexual.
  • Vídeo de gameplay que apresenta violência motivada por ódio ou voltada a grupos protegidos.
  • Vídeo de gameplay que contém tortura explícita.
  • Vídeo de gameplay que mostra violência explícita direcionada a menores.
  • Vídeo de gameplay com violência explícita direcionada a pessoas reais nomeadas.

Morte e tragédia

  • Exibição de cadáveres não preparados ou com ferimentos ultraexplícitos.
  • Exibição de cadáveres não preparados fora de contextos educativos.
  • Exibição visível do momento da morte de uma ou mais pessoas em qualquer contexto.
    • Morte por sufocamento.
    • Carro com passageiros aparentes caindo de uma ponte.
  • Situação implícita de morte ou lesões corporais graves.
    • Danos patrimoniais graves em que provavelmente ocorreram mortes ou lesões corporais graves, como bombardeios, incêndios, desmoronamentos de edifícios etc.
  • Cadáveres explícitos censurados (por exemplo, desfocados) em contextos não educativos.

Lutas (exceto esportes de combate)

  • Vídeos com foco ou exibição prolongada de lutas de rua, mesmo sem ferimentos, em contextos não educativos.

Caça

  • Conteúdo de caça com foco em imagens explícitas de ferimentos ou animais sofrendo (por exemplo, partes do corpo ensanguentadas).

Abuso de animais

  • Exibição ou representação de abuso de animais (físico ou emocional) ou atos cruéis contra animais, como chutes.
  • Promoção ou glorificação de violência animal comandada por humanos (por exemplo, briga de galos ou cães), envolvendo imagens explícitas ou não.
  • Cenas de animais sofrendo devido à intervenção humana, como colocar animais em situações perigosas intencionalmente, em posições que causem sofrimento ou outras situações perigosas que não sejam naturais aos animais ou que possam causar estresse.

Cumprimento da lei e atrito físico

  • Conteúdo com foco em brutalidade policial em um contexto não educativo.

Violência em prática esportiva

  • Vídeos esportivos em que a exibição de ferimentos explícitos seja o tema principal do conteúdo.

Guerra e conflito

  • Imagens explícitas ou depoimentos sobre tiroteios, explosões, execuções ou bombardeios.
  • Cenas de guerra com representações explícitas de ferimentos, morte ou sofrimento em qualquer contexto.

Violência contra menores

  • Conteúdo focado na representação de violência entre menores em qualquer contexto ou com ferimentos ou sofrimento dos participantes.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Conteúdo adulto

Vídeos que apresentam conteúdo altamente sexualizado no título ou na miniatura, ou temas altamente sexualizados, não são adequados para publicidade. As exceções para vídeos de educação sexual não explícitos e vídeos de música são limitadas. Essa política inclui vídeos reais e gerados por computador. Declarar a intenção de criar comédia não faz com que um conteúdo altamente sexual seja adequado para publicidade.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Romance, beijos, discussões sobre relacionamentos ou sexualidade que não mencionem relações sexuais, nudez completamente censurada que não mostre nada e que não tenha o objetivo de excitar o público, nudez na amamentação quando uma criança está presente, educação sexual não explícita, danças envolvendo movimentos corporais rítmicos de partes do corpo normalmente sexualizadas em uma tentativa de parecer desejáveis ou atraentes, mas que não sejam sexualmente explícitas, danças sexualmente explícitas em um ambiente profissional, como em uma dança coreografada ou um videoclipe.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Conteúdo para fins de satisfação sexual

  • Cenas românticas que não têm como objetivo a satisfação sexual, como beijos ou carícias animadas, reais ou dramatizadas.
    • Cenas envolvendo tensão sexual entre personagens, sem representações explícitas de atos sexuais.
    • Uma cena de beijo que faz parte de uma narrativa maior em que o foco é o romance em si, não a satisfação sexual.
    • Atos sexuais implícitos breves sem genitais visíveis, como camas balançando, gemidos ou simulações de sexo.
  • Discussões sobre sexo em contextos cômicos ou que não têm como objetivo a satisfação sexual:
    • Letras ou diálogos com referência a paixão, desejo ou luxúria.
    • Educação sexual.
    • Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e como elas são transmitidas.
    • Falar sobre experiências sexuais, como dores após relações sexuais, com foco exclusivamente em como funciona o sexo, não em como melhorar a prática dele.
    • Doação de esperma.
    • Representação científica da anatomia reprodutiva em que são usados diagramas ou modelos.
    • Orientação sexual e/ou como a identidade sexual se desenvolve nos relacionamentos.
    • Uso de piadas sexuais e insinuações (como imitar atos sexuais de forma cômica) que não usem termos vulgares ou obscenos (como letras de música com referência à tensão sexual).
    • Conteúdo que fale sobre fetiches de uma forma que não seja sexual, por exemplo, "Qual é seu fetiche de comida favorito?".

Dança

  • Danças sensuais, como girar os quadris ou a cintura de alguém.
  • Movimentos de pessoas se esfregando ou rebolando.
  • Cenas breves mostrando pessoas dançando com roupas curtas.
  • Carícias breves em partes sexuais do corpo.
  • Dançarinos parceiros em contato corporal próximo. Por exemplo, as áreas pélvicas ficam em contato próximo.
  • Movimentos de dança que imitam ou simulam atos sexuais, como impulsos pélvicos ou danças eróticas, apresentados em um ambiente profissional (por exemplo, estúdios de dança).
  • Vídeos de música com cenas recorrentes de partes sexuais do corpo.

Nudez

  • Nudez censurada em que a nudez não é o foco, como em uma cena onde as pessoas podem estar nuas, mas sem exibir mamilos, nádegas ou genitálias de forma visível (por exemplo, estão completamente pixelados/desfocados).
    • Nudez desfocada de figuras históricas com pouca roupa, em contextos educacionais.
    • Órgãos sexuais completamente censurados que são indiscerníveis e exibidos com finalidade não sexual, como procedimentos médicos.
  • Representações de pessoas usando pouca roupa em apresentação sem o objetivo de satisfação sexual, como biquínis usados em piscinas.
    • Avaliações de roupas com foco na forma e função delas em vez de foco prolongado em partes dos corpos que as vestem, como os seios.
    • Expressões artísticas como esculturas, esboços ou gráficos gerados por computador, que envolvem nudez ilustrada, como personagens em arte clássica ou fotografia de pessoas nativas usando tangas.
    • Coberturas translúcidas ou transparentes de seios/decotes femininos, nádegas ou tórax masculinos, vistos em cenários apropriados como desfiles de moda, exames médicos ou em uma praia.
    • Nudez parcial visível em roupas esportivas, como trajes de boxe, em que esse tipo de roupa pode ser necessária.
    • Seios ou nádegas com cobertura transparente ou minimamente cobertos (por exemplo, com trajes de banho) que não sejam para fins de satisfação sexual nem sejam um dos focos do vídeo.
  • Objetos usados para simular o peso ou a forma de genitálias no corpo, exceto aqueles usados para satisfação sexual.
    • Seios artificiais usados por pessoas que passaram por uma mastectomia ou por membros da comunidade trans e/ou não binária.
    • Objetos usados pela comunidade trans e/ou não binária, como condutores urinários e objetos para simular a genitália masculina sob a roupa. 

Nudez na amamentação

  • Uma mulher amamentando uma criança com os mamilos descobertos ou visíveis.
  • Mamilos visíveis para tirar leite com as mãos ou com a bomba, mamilos e uma criança na cena.

Definições:

  • “Para fins de satisfação sexual” significa ter a intenção de causar excitação sexual no público.
  • “Insinuação sexual” é o uso de uma frase que remete a algo sexual.
  • “Conotação sexual” significa a conotação visual, escrita ou de sons com intenção implícita de excitar sexualmente o público.
  • “Teor gráfico” se refere a quão explícito é o ato sexual ou a nudez representados com a intenção de excitar o público.
  • "Nudez na amamentação" se refere a seios e/ou mamilos expostos no contexto de amamentação ou lactação. É preciso incluir referência do contexto à amamentação, como uma criança prestes a se alimentar ou lactação ativa.
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Arte clássica que exibe relações sexuais visíveis (como uma imagem de um ato sexual) ou foco em genitais em miniaturas, educação sexual sem apelo sexual que contenha atos sexuais animados, pegadinhas que envolvam temas sexuais, pessoas dançando com pouca roupa, toque deliberado ou foco contínuo em partes sexuais do corpo na dança.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Conteúdo para fins de satisfação sexual

  • Títulos ou miniaturas com temas sexualizados, incluindo sinais enganosos.
    • Vídeos de música com miniaturas ou títulos com temas sexualizados, incluindo sinais enganosos.
    • Descrições ou referências implícitas a atividades sexuais, por exemplo, a partes sexuais do corpo usando emojis ou imagens gráficas.
    • Uso de alguma forma de destaque em miniaturas, chamando atenção para algo que sugere a existência de atos sexuais.
    • Profissionais do sexo em destaque como uma entidade.
    • Atividades sexuais (incluindo atos sexuais implícitos).
    • Insinuações sexuais, como sons de gemido ou mordidas na orelha.
    • Brinquedos sexuais ou dispositivos exibidos no conteúdo, mesmo quando não forem usados. 
  • Representações de atividades sexuais não excitantes em conteúdo educativo, documental ou encenado.
    • Atividades sexuais e o histórico delas, explicados com fins educacionais, como questões médicas.
  • Conteúdo sexual, como documentários sobre a indústria do sexo.
  • Conteúdo educativo e documental que contém o seguinte:
    • Discussão sobre experiências sexuais íntimas, como dicas pessoais aprendidas como profissional do sexo ou linguagem obscena usada em conversas íntimas.
  • Títulos ou miniaturas com conteúdo adulto em artes clássicas.

Dança

  • Danças com movimentos de pessoas se esfregando ou rebolando com foco nas roupas pequenas dessas pessoas.
  • Danças em que uma pessoa segura os seios ou nádegas da outra, ou em que uma dançarina coloca as mãos debaixo da roupa do parceiro.
  • Aumentar o zoom deliberadamente em partes sexuais do corpo durante a dança.

Nudez

  • Conteúdo educacional ou documental apresentando nudez total.
    • Informações sobre a história ou o setor, relacionadas a sexo ou nudez, como exibição de pinturas de corpo inteiro.
  • Arte clássica com genitais reconhecíveis.

Definições:

  • “Nudez censurada” refere-se a itens como desfoque, nudez coberta com faixas pretas ou pixelização.
  • "Ato sexual implícito" é um comportamento que imita o intercurso sexual, como movimentos de sexo sem penetração.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Partes sexuais do corpo expostas, minimamente cobertas ou nudez completa, nudez na amamentação sem nenhuma criança aparecendo na cena, atos sexuais (mesmo que desfocados ou implícitos), discussão sobre temas sexuais, como fetiches, dicas e experiências, uma miniatura de vídeo com conteúdo sexual (incluindo textos ou links), cenas e gestos sexualmente excitantes, exibição de brinquedos ou dispositivos sexuais, conteúdo relacionado à indústria do sexo e aos trabalhadores dessa área, sexualidade animal que mostre órgãos genitais ou cenas de acasalamento, imitar ou simular movimentos ou atos sexuais em danças e danças eróticas com a intenção explícita de excitar o público.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Conteúdo para fins de satisfação sexual

  • Títulos ou miniaturas com temas sexualizados, incluindo sinais enganosos.
    • Descrições ou referências implícitas a atividades sexuais, por exemplo, a partes sexuais do corpo usando emojis ou imagens gráficas.
    • Uso de alguma forma de destaque em miniaturas, chamando atenção para algo que sugere a existência de atos sexuais.
    • Título enganoso que promete exibir conteúdo sexual sem ter realmente isso (como um vídeo de culinária com o título "Assista pornô").
    • Nudez gerada por computador em um contexto médico.
  • Foco em ato ou comportamento sexual implícito.
    • Tema principal do vídeo com sugestão de atividade sexual, como objetos balançando, gemidos etc.
  • Representações de brinquedos sexuais ou outros produtos que tenham a finalidade de melhorar a atividade sexual, mesmo quando não estiverem em uso.
    • Exibição não intencional de um dispositivo sexual em um vídeo que não está relacionado a assuntos sexuais (por exemplo, exibido em segundo plano).
    • Um objeto médico semelhante a genitália, exibido durante uma discussão.
  • Cenas com danças, apalpação ou pessoas se tocando para estimular sexualmente o público.
    • Cenas curtas de atividades sexuais (incluindo atos de sexo implícitos) como parte de uma narrativa mais longa.
    • Cenas com o foco principal em exibir tensão sexual.
  • Insinuações sexuais usando objetos que não foram feitos para satisfação sexual:
    • Itens parecidos com genitálias, como figuras humanas com genitália realista.
    • O uso de objetos ou emojis do cotidiano, como uma berinjela, com o objetivo de imitar genitálias e excitar sexualmente o público.
  • Áudio, texto ou diálogo sexualmente explícito:
    • Entretenimento relacionado ao sexo, como pornografia ou outros serviços sexuais (incluindo links para plataformas de conteúdo adulto com assinaturas pagas).
    • Simulações ou atos sexuais explícitos com a finalidade de satisfação.
    • Representações de fetiches, como guias ou tutoriais.
    • Foco em escândalos sexuais ou vazamento de material íntimo particular.
    • Imitação de atividades sexuais (por exemplo, mídia pornográfica).
    • Promoção de atos sexuais em troca de remuneração.
    • Uso real de brinquedos sexuais (ou outros produtos destinados a melhorar a atividade sexual).
    • Conteúdo enganoso relacionado a comportamento sexual ou nudez.
      • Miniaturas com a intenção de enganar espectadores com representações sexualizadas de objetos ou cenas normais, muitas vezes sem relação com o tema real do vídeo.
    • Cenas editadas com a intenção de causar excitação sexual.
      • Compilações de atos com objetivo de satisfação sexual, como cenas de amassos ou simulações de sexo.
      • Títulos com objetivo de satisfação sexual, como "Uma sessão quente de amassos".
    • Sexualidade animal que envolva:
      • vídeos de acasalamento com foco nos genitais;
      • exibição dos genitais ou rituais de acasalamento de animais com objetivo de satisfação sexual.
  • Discussões sobre experiências sexuais íntimas, por exemplo, masturbação, orgasmo, relações sexuais e outras atividades semelhantes. Isso pode incluir insinuações sexuais, texto ou áudio sexualmente explícitos ou obscenos, como conversas detalhadas sobre sexo.
    • Discussões explícitas que incluam dicas sobre sexo ou como praticar sexo.
    • Compilações de áudio ou sons de atos sexuais sem imagens ou cenas visuais do ato (por exemplo, sons de lambida na orelha e mordidas).
    • Descrições de atividades sexuais com o objetivo de excitar o público.
    • Referências a fetiches sexuais, ainda que não sejam descritivas.
    • Títulos ou miniaturas com referências a conteúdo adulto, como "para maiores de 18 anos", "para maiores de 21 anos", "só para adultos", "pornô" etc., exceto em contexto educativo ou documental.
    • Uso de emoticons ou emojis no texto representando partes do corpo ou atos sexuais para agradar os espectadores.
  • Videogames com conteúdo sexual voltados a adultos ou personagens de videogame sexualizados com a intenção de excitar o público.

Dança

  • Movimentos de pessoas se esfregando em que uma coloca as genitais na região genital da outra.
  • Esticar ou abrir as pernas para o parceiro de dança, como se estivesse em um ato sexual.
  • Danças eróticas ou strip teases, a menos que sejam feitas como coreografadas ou videoclipes, ou em um ambiente profissional.

Nudez

  • Nudez pixelada ou censurada, em que partes sexuais do corpo ainda são reconhecíveis.
    • Cenas de corpos nus marcados com estrela ou desfocados, mas ainda identificáveis pelas respectivas silhuetas.
  • Representações prolongadas de nudez (em animação, vida real ou dramatizadas).
    • Conteúdo que mostra seios ou áreas genitais focados ou exibidos repetidamente (como conteúdo com a área genital de uma pessoa marcada em roupas de baixo ou trajes de banho).
  • Representações de partes sexuais do corpo, como cenas com foco em decotes ou protuberâncias, com a intenção excitar o público.
    • Compilações de formas genitais túrgidas, facilmente reconhecíveis.
    • Partes sexuais do corpo com pouca cobertura, como calcinhas, que aparecem frequentemente (como seios, decotes, nádegas etc.).
  • Nudez real ou em animações, como exposição completa de partes sexuais do corpo ou atos sexuais. 
  • Nudez infantil
    • Conteúdo com genitais visíveis, como troca de fraldas ou bebês nadando completamente nus.

Nudez na amamentação

  • Conteúdo educativo sobre como usar uma bomba tira-leite em que os mamilos são visíveis, mas nenhuma criança está presente.
  • Tutoriais de como tirar o leite com as mãos em que os mamilos ficam visíveis sem a presença de uma criança.
  • Exibição de uma mulher tirando leite em um recipiente sem a presença de uma criança.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Conteúdo chocante

Conteúdo incômodo, repulsivo ou chocante pode não ser adequado para publicidade. Elementos chocantes sem censura não resultarão automaticamente na restrição da publicidade, mas o contexto é importante.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Conteúdo pouco ou parcialmente chocante que é censurado ou exibido em um contexto educativo, documental ou para outros fins.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Partes, fluidos e resíduos corporais

  • Partes, líquidos ou resíduos corporais como parte de conteúdo para crianças ou em contexto educacional, científico, documental ou artístico, cuja intenção não seja chocar
  • Dramatização com partes, líquidos ou resíduos corporais com intenção de chocar, principalmente para fins de entretenimento (como um truque de mágica), mas onde um contexto legítimo seja necessário.

Procedimentos médicos e estéticos

  • Procedimentos médicos ou cosméticos que sejam educacionais, com foco no procedimento em si em vez de nas partes, nos líquidos ou resíduos corporais.
    • Realização de tatuagens, piercings ou botox com pouquíssimo sangue.
  • Exibição censurada ou breve de partes do corpo, líquidos ou resíduos durante procedimentos médicos ou estéticos.
  • Vídeos de nascimentos humano e animal com objetivo de educar os espectadores sem foco extra em partes, fluidos ou resíduos corporais.

Acidentes e ferimentos

  • Acidentes sem ferimentos expostos (como tecido interno e feridas abertas).
  • Acidentes que não causam incômodos reais devido a impacto visível apenas moderado (como cair de uma moto).
  • Acidentes em que a vítima não sofra como resultado do acidente (sem exibição de choro ou gritos).
  • Acidentes em que não seja necessária atenção médica prolongada.
  • Acidentes e ferimentos que são apresentados em contexto jornalístico, documental ou artístico (como um filme ou vídeo de música).

Preparação e consumo de animais

  • Manuseio não sensacionalista de partes de animais.
    • Imagens de carne e peixe crus ou preparados para comer, como demonstrações de técnicas culinárias e de preparo.
  • Ingestão sensacionalista ou preparo de produtos alimentícios de origem animal que não se pareçam com partes de animais.
    • Ingestão de moluscos que ainda estejam vivos ou visivelmente se movendo em um restaurante.
    • Ingestão de comidas preparadas (como camarão) como parte de um “mukbang” ou uma performance de ASMR.
  • Exibição breve de partes de animais com expressões faciais (exceto peixes, moluscos ou crustáceos, que podem ser exibidos com foco).

Definições

  • "Intenção de chocar" refere-se à finalidade do vídeo de causar choque, que é definida pelo contexto, bem como pelo foco.
  • "Acidentes" referem-se a incidentes inesperados que normalmente resultam em danos ou ferimentos, ainda que não sejam claramente visíveis (como acidentes envolvendo veículos).
  • "Exposto" refere-se à visibilidade de partes, fluidos e resíduos corporais (como tecido ou sangue).
  • "Incômodo" refere-se a emoções perturbadoras ou sensação de surpresa resultante de um impacto danoso ou ferimento, seja ele visível ou presumido de maneira razoável.
  • "Sofrimento" refere-se à exibição visível, audível ou percebida de sofrimento humano como resultado de dor ou perda de consciência. Nesse caso, está relacionado a pessoas envolvidas em acidentes e submetidas a procedimentos médicos ou estéticos (incluindo nascimentos de bebês).
  • “Não sensacionalista” (no contexto de partes expostas de animais ou ingestão de animais/insetos) refere-se à apresentação com foco no uso do produto alimentício, sem intenção de despertar curiosidade sobre o animal. O animal ou consumo dele não tem a intenção de chocar e não há detalhes explícitos ou exagerados.
  • "Maus-tratos" refere-se ao modo brutal ou selvagem como um animal é preparado ou ingerido. Por exemplo, ser arremessado, largado, brincadeiras para fins de entretenimento, cutucões ou decapitações. O animal não precisa estar vivo e os maus-tratos podem ocorrer com o uso de ferramentas, utensílios ou mãos.
  • "Contexto profissional" refere-se à profissão de açougueiro ou peixeiro e aos contextos em que eles cortam e manuseiam animais mortos.
  • "Expressões faciais explícitas" refere-se a elementos faciais que confirmam para o público que o animal era ou ainda é um ser vivo. Esses elementos incluem focinhos, ouvidos, boca, olhos etc.
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Conteúdo chocante, como imagens explícitas de partes de corpos humanos ou de animais sem censura ou com o objetivo de chocar, mas que apresenta um contexto geral.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Partes, fluidos e resíduos corporais

  • Foco em partes, líquidos ou resíduos corporais reais com intenção de chocar.
  • Apresentações dramatizadas de partes, líquidos e resíduos corporais com foco em detalhes repugnantes e sangrentos.
    • Cenas de cirurgia em conteúdo roteirizado com uma quantidade excessiva de sangue.

Procedimentos médicos e estéticos

  • Conteúdo educativo ou artístico com procedimentos médicos ou cosméticos com foco na exposição detalhada de partes, fluidos ou resíduos corporais não censurados, mas sem foco central nesses elementos não censurados.
    • Foco em cirurgias não censuradas em que os órgãos estejam visíveis, mas não sejam necessariamente o único tema do vídeo.
    • Um profissional da área da saúde demonstrando a remoção de cera do ouvido ou espremendo espinhas com explicações sobre a condição.

Acidentes e ferimentos

  • Acidentes com um momento impactante que possa causar perturbação.
  • Acidentes com ferimentos não expostos, porém visíveis (como sangramento na roupa ou na parte externa de um veículo), mas sem que o sofrimento da vítima possa ser percebido.
  • Acidente de carro com alto impacto sem exibição do sofrimento das vítimas.

Preparação e consumo de animais

  • Consumo sensacionalista de animais durante um “mukbang” ou ASMR, exibindo partes de animais não preparadas ou ingeridas de maneira grotesca ou exagerada.
  • Foco em elementos explícitos e discerníveis de um ser vivo (como focar nos olhos do animal durante o cozimento).
  • Partes de animais sem pele com elementos grotescos e sangrentos, mas sem maus-tratos aparentes (por exemplo, foco na carne sangrando e nos tendões enquanto as partes do animal estão sendo preparadas).
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Conteúdo muito chocante que tenha como objetivo principal chocar os espectadores. Em geral, não é apresentado um contexto real, e os elementos grotescos e sangrentos, o sofrimento ou os maus-tratos são claros e aparentes.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Partes, fluidos e resíduos corporais

  • Apresentações repulsivas, repugnantes ou sangrentas de partes, fluidos ou resíduos corporais com pouco ou nenhum contexto.
    • Extração de cera do ouvido ou espinhas sem explicação explícita do procedimento, com a maior parte do vídeo focando em partes, líquidos ou resíduos corporais, mesmo em contextos educativos.
  • Elementos chocantes dramatizados apresentados com pouco contexto, unicamente com a intenção de chocar.

Procedimentos médicos e estéticos

  • Partes, líquidos ou resíduos corporais não censurados que ocupam uma parte grande de um vídeo e que são grotescos e sangrentos, mesmo que haja contexto.
    • Profissionais de saúde explicando como realizar uma operação específica.
  • Procedimentos apresentados com nenhum contexto ou de maneira enganosa, em que a maior parte do vídeo mostre partes, líquidos ou resíduos corporais grotescos e sangrentos.

Acidentes e ferimentos

  • Apresentações perturbadoras de acidentes e ferimentos extremos em que partes do corpo expostas estejam visíveis ou ferimentos extremos possam ser presumidos.
    •  Sangramento e tecido exposto visíveis.
  • Acidentes com impacto extremo sem contexto.

Preparação e consumo de animais

  • Exibir, preparar ou comer animais vivos com a única finalidade de chocar espectadores, muitas vezes de maneira grotesca e sangrenta.
  • Foco em elementos faciais explícitos ou em maus-tratos claros do animal, sem contexto.
  • Representações brutais ou explícitas do preparo (retirar a pele) ou do abate de animais com sofrimento visível.
  • Representações não educativas do preparo de animais vivos e visivelmente sofrendo para servirem como alimento.
  • Representações não educativas da ingestão de animais com foco em elementos faciais explícitos.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Atos nocivos e conteúdo não confiável

Conteúdo que promove comportamentos perigosos ou nocivos que resultam em sérios danos físicos, emocionais ou psicológicos não é adequado para publicidade.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Conteúdo com cenas moderadamente perigosas, mas feitas em ambientes profissionais e controlados mostrando claramente que nenhum dos envolvidos se feriu de forma grave. Referências breves a organizações perigosas em conteúdo educativo ou roteirizado.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Atos perigosos ou nocivos em geral

  • Atividades em que haja risco envolvido sem ferimentos visíveis, como:
    • Acrobacias profissionais ou esportes radicais, como wingsuit.
    • Filmagem de uma pessoa empinando moto ou fazendo parkour no chão.
    • Veículos motorizados acelerando ou derrapando sem realizar manobras perigosas (por exemplo, cavalo de pau ou sem as mãos) ou sem causar perturbações frequentes a outras pessoas (por exemplo, dirigindo entre as faixas).

Compilações de "micos"

  • Vídeos de compilação de "micos" sem foco em ferimentos explícitos, como entrar em uma porta de vidro fechada. 

Pegadinhas e desafios

  • Pegadinhas ou desafios em que haja perplexidade, confusão ou desconforto, mas sem risco ou dano de longo prazo envolvido, como o desafio do balde de gelo.
  • Discussões ou reportagens sobre pegadinhas ou desafios nocivos sem imagens ou áudio do momento que o ferimento ocorreu. Por exemplo, uma notícia sobre um desafio com fogo sem os detalhes do incidente.
  • Conteúdo educativo, documental ou jornalístico que mostre pegadinhas ou desafios que causam sofrimento emocional extremo. Por exemplo, brigas físicas ou insultos e linguagem abusiva, como pegadinhas de demissão.

Desinformação médica e científica

  • Conteúdo neutro sobre vírus, doenças infecciosas e a COVID-19 sem a intenção de causar medo, como um vídeo para crianças explicando a diferença entre vírus e bactéria.

Desinformação nociva

  • Conteúdo educativo ou documental que busca explicar como grupos que promovem desinformações nocivas ganham força e destaque ou como eles espalham a desinformação.
  • Conteúdo documental ou educativo com foco em mostrar erros e mentiras em casos de desinformação nociva, como Pizzagate, QAnon, StopTheSteal, entre outros.
  • Conteúdo educativo ou documental com a intenção de desmentir desinformações sobre a mudança climática.

Cigarro eletrônico e tabaco

  • Avisos de utilidade pública para ações preventivas.
  • Conteúdo dramatizado com representação focalizada do uso.
  • Conteúdo educativo ou documental mostrando fábricas de tabaco ou cigarros eletrônicos.

Bebidas alcoólicas

  • Presença de álcool ou adultos consumindo bebidas alcoólicas sem promover ou glorificar o consumo irresponsável.

Organizações terroristas estrangeiras (FTO, na sigla em inglês)

  • Vídeos educativos, de música ou reportagens jornalísticas sobre um ataque terrorista como assunto central.
  • Conteúdo educativo ou encenado sobre esses grupos como o tema geral do vídeo, mas sem imagens de ataques terroristas.
  • Reportagens jornalísticas que mostram organizações terroristas estrangeiras ou atos de terrorismo com intenção cômica.
  • Vídeos educativos, encenados, de música ou reportagens jornalísticas com imagens das FTOs, mas que não mencionam essas organizações como o principal assunto do conteúdo. 

Organizações de tráfico de drogas (DTO, na sigla em inglês)

  • Vídeos educativos, encenados, de música ou reportagens jornalísticas com foco no tráfico internacional de drogas como um todo.
  • Conteúdo educativo, encenado, de música ou reportagens jornalísticas que mostram DTOs e imagens relacionadas, como slogans.
  • Vídeos educativos, encenados, de música ou reportagens jornalísticas com conteúdo de comédia sobre DTOs ou que tenham o tráfico internacional de drogas como foco.
  • Avisos de utilidade pública sobre os grupos relacionados abordados em reportagens jornalísticas.
  • Reportagens jornalísticas incluindo cenas de ações violentas, como situações com reféns ou interrogatórios conduzidas por DTOs.

Definições:

  • “Ferir-se gravemente” refere-se a ferimentos que não podem ser tratados sem cuidado médico adequado ou em casa, como ossos quebrados, deslocamentos visíveis ou quantidades significativas de sangue.
  • “Modificação corporal” pode incluir tatuagem, piercing ou cirurgias.
  • “Dramatizado” refere-se a conteúdo roteirizado, como filmes ou ambientações ficcionais.
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Conteúdo que mostre sofrimento ou ferimentos físicos, incluindo ações feitas em um ambiente não profissional e não controlado, mas que não foque apenas nisso. Temas sobre o líder de uma organização perigosa ou avisos relevantes de utilidade pública.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Atos perigosos ou nocivos em geral

  • Atos envolvendo atividades de risco, como parkour em arranha-céus, ou a representação de ferimentos sérios, como resultado de quedas de skate.
  • Conteúdo educativo, documental ou jornalístico sobre estes assuntos: 
    • Atos nocivos ou perigosos que apresentem ferimentos explícitos.
    • Crianças envolvidas em apostas ou dirigindo veículos motorizados criados para adultos. 
  • Veículos motorizados acelerando ou derrapando e realizando manobras perigosas (por exemplo, cavalo de pau ou sem as mãos) ou causando perturbações frequentes a outras pessoas (por exemplo, dirigindo entre as faixas). 
  • Conteúdo educativo, encenado ou de videoclipe que apresenta atos perigosos incluindo menores de idade como participantes ou vítimas.

Compilações de "micos"

  • Representação focal de momentos com lesões explícitas que não levam à morte ou condição terminal (por exemplo, compilação de vídeos de quedas de bicicleta).

Pegadinhas e desafios

  • Conteúdo educativo, documental ou jornalístico sobre pegadinhas ou desafios que envolvem estes itens:
    • Ameaças ou incentivo a dano físico ou psicológico contra si ou outros, como se deitar entre trilhos ferroviários. 
    • Ações que não deveriam ser imitadas, como o desafio de beber cloro, e que podem resultar em danos imediatos e graves à saúde da pessoa.
  • "Pegadinhas" ou desafios que criem sofrimento emocional extremo, como enfrentamentos físicos, linguagem abusiva e insultos. Isso pode incluir também ameaças à situação de vida de uma pessoa, como pegadinhas de demissão, e afetar emocionalmente ou ameaçar alguém no contexto de um relacionamento, por exemplo, pegadinhas de término em que a pessoa se torna emocionalmente instável, pegadinhas de prisão de parentes etc.
  • Pegadinhas que envolvam quantidades grandes de fluidos corporais ou violência explícita.
  • Desafios que incluem comer substâncias não tóxicas e não comestíveis, como ingerir cola em bastão ou ração canina. Ingestão de substâncias comestíveis que sejam perigosas em grande volume, como pimenta extremamente picante, ou que apresente uma reação física leve. 

Cigarro eletrônico e tabaco

  • Análises de produto ou comparação entre produtos de tabaco (por exemplo, comparação de essências para cigarro eletrônico).
  • Menção educacional ou em documentário de serviços de atendimento a dependentes.

Bebidas alcoólicas

  • Conteúdo educativo, documental ou encenado que exiba menores de idade consumindo bebidas alcoólicas ou produtos relacionados ao álcool. 

Organizações terroristas estrangeiras (FTO, na sigla em inglês)

  • Vídeos cômicos com referências a FTOs ou ao terrorismo.
  • Vídeos educativos, documentais ou musicais com referências cômicas a FTOs. 
  • Imagens relacionadas a FTOs compartilhadas, mas não como tema principal do conteúdo. 

Organizações de tráfico de drogas (DTO, na sigla em inglês)

  • Avisos de utilidade pública sobre grupos relacionados compartilhados sem contexto.
  • Conteúdo educativo/documental ou avisos de utilidade pública sobre DTOs.
    • Conteúdo educativo com foco em DTOs ou nos líderes delas.
    • Pode incluir situações não explícitas de ataques e/ou as consequências deles, situações com reféns etc.
    • Aviso de utilidade pública nos grupos relacionados.
    • Situações e ações violentas, como situações com reféns ou interrogatórios, conduzidas por DTOs. 

Definições:

  • “Reação física leve” refere-se a ações como ânsia e tosse que induz ao vômito.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Conteúdo que mostra principalmente acidentes, justiça com as próprias mãos, pegadinhas ou atos perigosos, como experimentos ou acrobacias que apresentam riscos à saúde, como beber ou comer itens não indicados para consumo; discussões sobre vídeos em alta que mostram esse tipo de conteúdo. Exaltação, recrutamento ou representação explícita de organizações perigosas

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

Atos perigosos ou nocivos em geral

  • Exaltação de atos danosos, perigosos ou percebidos como perigosos.
    • Veículos motores com cenas e lesões chocantes (por exemplo, momento do impacto ou exibição de alguém inconsciente na pista após uma colisão com um caminhão).
  • Crianças envolvidas em apostas ou dirigindo veículos motorizados criados para adultos.
  • Atos perigosos incluindo menores de idade como participantes ou vítimas.

Compilações de "micos"

  • Compilações de "micos" incluindo atividades que resultam em dano grave (que seja irreversível ou leve a coma, convulsão, paralisia etc.) ou morte.

Pegadinhas e desafios

  • Pegadinhas ou desafios que não deveriam ser imitados, como o desafio de beber cloro, e que podem resultar em prejuízo imediato e grave à saúde da pessoa.
  • Pegadinhas ou desafios relacionados a estes itens: 
    • Suicídio, morte, terrorismo (como pegadinhas com bombas falsas) ou ameaças com armas letais.
    • Atos sexuais não permitidos, como beijos forçados, apalpação, abuso sexual, câmeras escondidas em vestiário.
    • Dano físico ou sofrimento, mas quando o sofrimento não é o foco do vídeo.
    • Sofrimento emocional prolongado de um menor, como uma pegadinha que dure por um período estendido e leve a criança a ficar assustada ou chateada (por exemplo, uma pegadinha que leve a criança a acreditar que seus pais estão mortos).
    • Ameaças de ou incentivo a dano físico ou psicológico contra si ou outros, como ficar deitado entre trilhos ferroviários.
    • COVID-19, que promovem atividades perigosas, como exposição proposital ao vírus, ou que incitem pânico (por exemplo, movimento antiquarentena ou fingir ter testado positivo enquanto está em um espaço público).
    • incentivo ao uso de armas para causar danos a outras pessoas;
    • Exibição do consumo de substâncias em quantidades que resultem uma reação física explicitamente chocante, como vomitar depois de comer uma pimenta extremamente picante.
    • Desafios que, se imitados, poderiam resultar em danos sérios, como aqueles que envolvem fogo ou o chamado "Bird Box", que consiste em sair com vendas pela rua por um período determinado.
    • Incentivo a atividades ilícitas ou fraudulentas (como arrombamentos).

Desinformação médica e científica

  • Promoção de afirmações e práticas médicas ou de saúde prejudiciais:
    • Negação de que condições de saúde estabelecidas existem, como HIV.
    • Vídeos que incentivem ou forneçam instruções para medicamentos cientificamente não comprovados para condições médicas (por exemplo, cura do câncer por meio de modificações na dieta).
    • Disseminação de desinformação que nega fatos médicos e científicos estabelecidos, como promoção de campanhas antivacinação.
    • Conteúdo que promova ou aceite programas ou serviços de terapia de conversão gay.
  • Promoção ou defesa de desinformações prejudiciais relacionadas à COVID-19:
    • Conteúdo que diz para as pessoas não tomarem a vacina da COVID-19.
    • Declarações falsas ou enganosas sobre os efeitos ou a distribuição da vacina. Isso inclui:
      • Afirmações de que a vacina causa infertilidade. 
      • Afirmações de que a vacina contém um microchip. 
      • Afirmações de que vacinas podem ser usadas para eliminar uma parte da população.
    • Afirmações de que máscaras ou distanciamento social não minimizam a contaminação ou a propagação da COVID-19.
    • Afirmações sobre a propagação da COVID-19 que não sejam baseadas em fatos médicos e científicos estabelecidos (por exemplo, que a doença é transmitida por meio de sinais sem fio 5G).
    • Vídeos que incentivem ou forneçam instruções para medicamentos cientificamente não comprovados para a COVID-19 (por exemplo, injeção de hidroxicloroquina).

Desinformação nociva

  • Fazer declarações comprovadamente falsas que possam prejudicar de forma significativa a participação ou a confiança em um processo eleitoral ou democrático.
    • Informações comprovadamente falsas sobre o sistema eleitoral, a elegibilidade de candidatos políticos com base em idade ou local de nascimento, resultados eleitorais ou dados de censo que contradizem os registros oficiais do governo.
  • Promoção de desinformação nociva (como Pizzagate, QAnon e StopTheSteal).
  • Incentivo a grupos que promovem desinformações nocivas.
  • Contradizer consensos científicos sobre a existência e as causas da mudança climática.

Cigarro eletrônico e tabaco

  • Promover o consumo de tabaco e de produtos relacionados a essa substância.
  • Filmagem de menores usando produtos relacionados a tabaco/cigarros eletrônicos.
  • Facilitar a venda de produtos relacionados a tabaco/cigarros eletrônicos.
  • Uso de produtos relacionados a tabaco/cigarros eletrônicos de maneira diferente da recomendada pelo fabricante (como beber a essência do cigarro eletrônico).

Bebidas alcoólicas

  • Mostrar menores consumindo álcool, mesmo se não for o assunto principal do vídeo.
  • Incentivar menores a consumir álcool.

Organizações terroristas estrangeiras (FTO, na sigla em inglês)

  • Vídeos não educativos com foco em organizações terroristas estrangeiras ou no assunto de terrorismo, como: 
    • Conversas sobre um ataque terrorista como assunto central.
    • Imagens ou nomes relevantes do grupo/líder em qualquer lugar do conteúdo, como na miniatura.
  • Conteúdo com cenas que incitem ou exaltem a violência ou que mostrem imagens chocantes, explícitas e/ou violentas.
  • Conteúdo produzido por grupos terroristas ou como forma de apoio a eles.
  • Conteúdo que comemora ou nega ataques terroristas.

Organizações de tráfico de drogas (DTO, na sigla em inglês)

  • Vídeos não educativos com foco no tráfico internacional de drogas ou em DTOs ou líderes de DTOs específicos.
    • Discussões aleatórias e espontâneas desse tópico em um vídeo indicam que ele não é educativo, porque não há uma declaração explícita de que a intenção do vídeo é explicar o tema.
  • Vídeos não educativos com representações relacionadas a DTOs, como bandeiras, slogans, banners etc.
  • Recrutamento de membros para o grupo.
  • Músicas relacionadas a "narcocorridos", ou à exaltação ou promoção de DTOs.
  • Circunstâncias e ações violentas, como situações com reféns ou interrogatórios, conduzidas por DTOs.
  • Conteúdo de comédia sobre DTOs ou que fala sobre o tráfico internacional de drogas.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Conteúdo de ódio e depreciativo

Conteúdo que incita ódio, promove discriminação, menospreza ou humilha um indivíduo ou grupo de pessoas não é adequado para publicidade. Conteúdo de comédia ou que apresenta uma sátira pode ser uma exceção. Declarar a intenção de criar comédia não basta, e o vídeo ainda pode ser considerado como inadequado para publicidade.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Conteúdo com referência a grupos protegidos ou crítica às opiniões ou ações de um indivíduo de maneira não ofensiva

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

  • Notícias que descrevam um grupo protegido ou relatem, sem incitação ao ódio, a discriminação que esse grupo pode enfrentar, como uma reportagem sobre homofobia.
  • Conteúdo humorístico que condena ou ridiculariza sutilmente a humilhação ou outros comentários descabidos sobre os grupos protegidos.
  • Debates públicos sobre grupos protegidos sem incitar ódio e confronto violento contra eles.
  • Conteúdo artístico que use terminologia ou símbolos sensíveis sem incitar o ódio, como em vídeos musicais famosos.
  • Conteúdo educacional ou documental:
    • Ofensas raciais censuradas ou termos depreciativos com a intenção de ensinar o público (por exemplo, m*caco).
    • Conteúdo com imagens focais de ódio.
  • Críticas à opinião ou às ações de uma pessoa ou um grupo sem intenção ofensiva e degradante.

Definições:

“Grupo protegido” refere-se aos grupos de características abaixo. Incitações de ódio, discriminação, depreciação ou humilhação de uma pessoa ou grupo com base nas características abaixo não são consideradas adequadas para publicidade.

  • Raça
  • Origem étnica
  • Nacionalidade
  • Religião
  • Deficiência
  • Idade
  • Status de veterano
  • Orientação sexual
  • Identidade de gênero
  • Qualquer outra característica associada à discriminação ou discriminação sistêmica.
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Conteúdo que pode ser ofensivo para indivíduos ou grupos, mas que é usado de maneira educativa, em notícias ou documentários.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

  • Discurso ou debate político que possa incluir linguagem ofensiva, mas tenha como intuito educar, como um debate político sobre direitos de transexuais
  • Conteúdo educativo:
    • Ofensas raciais não censuradas ou termos depreciativos com a intenção de ensinar o público (por exemplo, uso de palavras depreciativas sem censura ou por escrito)
    • Filmagem sem edição de alguém realizando os atos a seguir sem promover ou glorificar as ações de forma explícita:
      • Foca em ofender ou insultar um indivíduo ou grupo.
      • Diferencia alguém pelo assédio ou abuso
      • Nega a ocorrência de eventos trágicos e os acoberta
      • Ataques pessoais maliciosos e difamação.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Ódio ou assédio contra indivíduos ou grupos.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

  • Declarações que tenham como objetivo depreciar um grupo protegido ou insinuar/declarar sua inferioridade, como “todas as pessoas deste país são repulsivas”.
  • Conteúdo não educativo com ofensas raciais ou termos depreciativos.
  • Conteúdo que promove, exalta ou tolera a violência contra outras pessoas.
    • Incitação à discriminação contra grupos protegidos, como falar “você deveria odiar todas as pessoas com deficiência do país”.
  • Divulgação de grupos de ódio, símbolos de ódio ou itens relacionados a grupos de ódio.
  • Envergonhar de maneira maliciosa ou insultar uma pessoa ou grupo.
  • Incitar abuso ou assédio contra uma pessoa ou grupo específico.
  • Negar ou exaltar a ocorrência de eventos trágicos, caracterizando vítimas ou sobreviventes como os responsáveis.
  • Ataques pessoais maliciosos, calúnia e difamação.
  • Caracterizar ideologias ou crenças de maneira maliciosa com generalização ou depreciação.
    • Caracterizar pessoas, grupos, ideologias ou crenças como negativas (por exemplo, afirmar “todo o feminismo é nojento”).

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Drogas recreativas e conteúdo relacionado a drogas

Um vídeo não será adequado para publicidade se ele apresentar ou promover a venda, o uso ou o abuso de drogas ilícitas, medicamentos/substâncias controladas ou outros produtos perigosos.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Referências educativas, humorísticas ou musicais sobre drogas recreativas ou equipamentos e acessórios relacionados, sem a intenção de promover ou incentivar o uso de drogas ilícitas. Conteúdo relacionado a drogas mostrado em jogos. Reportagens documentais ou jornalísticas que mostrem conteúdo encenado usando drogas.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria:

  • Conteúdo educativo sobre drogas ou equipamentos para o uso delas, como efeitos científicos do consumo ou a história do tráfico.
  • Depoimentos sobre a recuperação do vício em drogas.
  • Vídeos de música com uma exibição breve de drogas.
  • Conteúdo de jogos com exibição de drogas. 
  • Reportagens documentais ou jornalísticas sobre a compra, produção, uso ou distribuição de drogas, como uma matéria sobre apreensão.
  • Reportagem dramatizada, documental ou jornalística incluindo cenas de jogos com consumo ou uso (como injeção) de drogas.
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Conteúdo não educativo nem informativo com foco no consumo ou na produção de drogas ilícitas (incluindo injeções), sem a intenção de promover ou incentivar o uso delas.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria:

  • Conteúdo encenado, incluindo música e videogames, que mostre o uso de drogas recreativas
    • Cenas de injeção de drogas em conteúdo roteirizado.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Conteúdo que promove ou incentiva o uso de drogas, como instruções para comprar, produzir, vender ou encontrar drogas ilícitas ou equipamentos e acessórios relacionados, com a finalidade de incentivar o consumo recreativo.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria:

  • Análises e reflexões sobre drogas.
    • Dicas ou recomendações sobre uso ou criação de drogas recreativas, como plantação de maconha.
    • Análises de espaços para uso recreativo de drogas, head shops, passeios por lojas de drogas legalizadas etc.
    • Venda ou compra on-line ou off-line de drogas.
      • Compartilhamento de links para sites ou endereços físicos de venda de drogas.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Conteúdo relacionado a armas de fogo

Vídeos que focam a venda, a montagem, o uso abusivo ou indevido de armas de fogo reais ou falsas não são adequados para publicidade.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Armas não automáticas ou semiautomáticas e não modificadas exibidas em um ambiente seguro, como um campo de tiro ou uma área aberta e desimpedida que não coloque em risco pessoas ou propriedades de terceiros. Montagem e desmontagem de armas de fogo e paintball para fins de reparo ou manutenção. Uso responsável de armas de airsoft ou de pressão (BB).

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

  • Discussões sobre legislação e controle armamentista
  • Avaliações e demonstrações de armas
  • Conteúdo com miras telescópicas e silenciadores
  • Armas cenográficas quando não usadas para prejudicar pessoas ou propriedades

Definições:

  • “Ambiente seguro” são locais como campos de tiro ou áreas fechadas construídas para a prática de tiro ao alvo.
  • "Modificações" é tudo que interfere, melhora ou altera o funcionamento interno do produto, bem como gatilhos, coronhas e munição explosiva/incendiária, ou outros acessórios, como visão térmica/infravermelha ou cartuchos de grande capacidade.
  • "Arma cenográfica" é uma arma de fogo projetada para não funcionar. Essa definição inclui armas criadas para disparar somente balas de festim (armas de festim). 
     
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Uso de armas fora de um ambiente controlado. Uso de armas de airsoft ou de pressão (BB) em pessoas sem equipamento de proteção.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

  • Exibição de armas sendo usadas em ambientes não preparados ou não controlados. Por exemplo, na rua em frente a uma casa ou em qualquer lugar onde pessoas ou propriedades de terceiros sejam colocadas em risco.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Conteúdo que mostra a fabricação ou modificação de armas de fogo, incluindo montagem e desmontagem, que promove vendedores ou fabricantes de armas, facilita a venda desses produtos ou mostra menores usando armas sem a supervisão de um adulto. Conteúdo que mostra armas modificadas com "bump stocks" ou gatilho sensível, visão noturna térmica ou mira infravermelha, ou usando munição térmica, explosiva ou incendiária. Conteúdo que mostra carregadores de alta capacidade (30 balas ou mais) anexados ou separados de uma arma. Conteúdo com armas totalmente automáticas ou modificadas para disparar mais de uma bala com um único toque de gatilho.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

  • Guias sobre como instalar "bump stocks" (dispositivo de disparo em rajada) em uma arma de fogo
  • Recomendações dos principais fabricantes de armas ou empresas em que se pode comprar armas de fogo, por exemplo, “15 melhores lojas de armas”
  • Indicação a usuários de sites que facilitam vendas de armas de fogo
  • Promoções da venda de uma arma de fogo ou componente, inclusive, entre outros:
    • Venda de uma peça ou componente relacionado à arma de fogo que seja essencial ou melhore a funcionalidade dela, incluindo:
    • Peças de armas 80% prontas
    • Munição
    • Pentes de munição
    • Silenciadores
    • Cintos para munição
    • Coronhas
    • Kits de conversão
    • Culatras
    • Alças de mira
    • Massas de mira
  • Vídeos que promovam conteúdo de lojas de armas de fogo
  • Vídeos que promovem os fabricantes ou códigos de desconto para lojas de armas de fogo.
  • Vídeos que contenham instruções para fabricação de armas de fogo (como a montagem/o desmanche de armas ou tutoriais sobre como fazer modificações), guias, software ou equipamentos para impressão 3D de armas de fogo ou peças relacionadas
  • Montagem/desmontagem de uma arma de fogo com o propósito de modificação.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Questões polêmicas

"Questões polêmicas" são temas que podem ser perturbadores para alguns espectadores e que, muitas vezes, são consequências de tragédias humanas. Essa política é aplicável mesmo que o conteúdo seja composto apenas de comentários ou não contenha imagens explícitas.

As questões polêmicas incluem abuso infantil, abuso sexual entre adultos, assédio sexual, automutilação, suicídio, transtornos alimentares, violência doméstica, aborto e eutanásia.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Conteúdo sobre a prevenção de questões polêmicas. Conteúdo em que os assuntos polêmicos são mencionados brevemente em um vídeo, sem representações explícitas ou detalhadas. Conteúdo sem representações explícitas ou detalhadas sobre violência doméstica, automutilação, abuso sexual entre adultos, aborto e assédio sexual.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria: 

  • Cobertura de notícias sobre os principais assuntos polêmicos, sem representações explícitas ou detalhadas.
  • Conteúdo não explícito sobre aborto, incluindo relatos pessoais, artigos de opinião, ou conteúdo de procedimentos médicos.
  • Conteúdo que apresenta fatos históricos ou jurídicos relacionados ao aborto.
  • Reportagem jornalística com conteúdo sem representações explícitas ou detalhadas sobre suicídio/automutilação, abuso sexual entre adultos, violência doméstica, assédio sexual ou eutanásia.
  • Representações encenadas ou artísticas de questões polêmicas que não sejam extremamente explícitas.
    • Um filme que mostra alguém pulando de uma ponte, mas sem mostrar explicitamente o corpo sem vida.
  • Referência geral a transtornos alimentares sem sinais desencadeadores ou que podem ser imitados.  

Título e miniatura: 

  • Referências a questões polêmicas que não sejam explícitas.
    • Texto ou imagem de uma navalha.

Definições: 

  • Referências rápidas não são o foco do conteúdo (não focal) e incluem referências passageiras aos temas listados como polêmicos ou delicados. Por exemplo, o breve reconhecimento de um assunto polêmico ou delicado não seria considerado focal, mas passageiro, 
    • como "No vídeo da próxima semana, discutiremos a queda nas taxas de suicídio".
  • Sinais desencadeadores ou que podem ser imitados:   
    • Peso ou IMC bem baixo.
    • Exibir corpo excessivamente magro.
    • Praticar bullying devido ao peso ou corpo da pessoa.
    • Referência a compulsão alimentar ou ao hábito de esconder ou acumular alimentos.
    • Prática de exercícios para atingir um déficit calórico.
    • Vômito ou abuso de laxantes.
    • Conferir o progresso da perda de peso.
    • Referência à ocultação de qualquer um dos comportamentos acima.
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade limitada ou nenhuma receita

Conteúdo sobre questões polêmicas que não é visualmente perturbador, mas contém descrições detalhadas. Representações encenadas, artísticas, educativas, documentais ou científicas de questões polêmicas. Assunto principal sem representações explícitas ou detalhadas sobre abuso de crianças e adolescentes. Conteúdo sem representações explícitas, mas detalhado, sobre abuso sexual entre adultos, assédio sexual ou violência doméstica.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria: 

  • Conteúdo que discute o abuso infantil como tema principal sem descrições detalhadas ou representações explícitas.
  • Representação encenada ou artística de transtornos alimentares com sinais desencadeadores ou que podem ser imitados. 
  • Representações encenadas ou animadas de questões polêmicas que não sejam extremamente explícitas sem contexto educativo ou artístico. 
  • Representações encenadas ou artísticas de questões polêmicas que sejam moderadamente explícitas. 
    • Um filme mostra alguém cortando o pulso com sangue aparente.
  • Histórias de recuperação de transtornos alimentares, como a jornada de uma pessoa para superar a bulimia.

Título e miniatura: 

  • Representações explícitas de questões polêmicas na miniatura, incluindo imagens reais, encenadas e artísticas. 
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Representações explícitas ou descrições detalhadas de questões polêmicas como tema principal. Menção explícita a distúrbios alimentares acompanhada de qualquer uma das seguintes referências ou contexto: mencionar um IMC ou peso muito baixo, mostrar um corpo esquelético ou muito magro, praticar bullying ou proferir ofensas devido ao peso ou corpo da outra pessoa, fazer referências a compulsão alimentar e ao hábito de esconder ou acumular alimentos, praticar exercícios para alcançar um déficit calórico, vomitar e abusar de laxantes, conferir o progresso de perda de peso ou fazer referência à ocultação de qualquer um dos comportamentos citados acima.

Alguns exemplos de conteúdo que também se encaixam nessa categoria:

  • Conta em primeira pessoa ou biografia detalhada e chocante de sobreviventes, que retrata experiências passadas com:
    • Abuso infantil
    • Pedofilia
    • Automutilação
    • Suicídio
    • Violência doméstica
    • Eutanásia
  • Incitação ou apologia a questões polêmicas no conteúdo, título ou na miniatura do vídeo, por exemplo, "como se matar e morrer de forma honrosa".
  • Representação explícita de automutilação que mostre cicatrizes, sangue e ferimentos. 
  • Áudio explícito de uma questão polêmica.
  • Referência explícita a transtornos alimentares com sinais desencadeadores ou que podem ser imitados.
  • Representações de questões polêmicos moderadamente explícitas sem contexto educativo ou artístico.
    • Filmagem sem edição de alguém cortando o pulso com sangue aparente.
  • Representação animada de questões polêmicas retratadas de maneira sensacionalista.   
    • Exibição de personagens praticando bullying com outras pessoas.

Definições:

Foco ou focal refere-se a um trecho, vídeo completo ou uma discussão prolongada sobre uma questão polêmica. Uma breve referência a uma questão polêmica não é considerada foco nessa questão. O breve reconhecimento de um assunto polêmico ou delicado (por exemplo, "No vídeo da próxima semana, discutiremos as quedas nas taxas de suicídio") não seria considerado focal, ao contrário do trecho de um vídeo que trata exclusivamente desse tipo de assunto. O foco não precisa ser verbal. Se houver uma imagem ou texto que enfoque questões delicadas, isso também é considerado focal.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Eventos sensíveis

Um evento sensível é uma circunstância ou situação que gera um risco considerável à capacidade do Google de reduzir conteúdo insensível ou abusivo em recursos importantes/monetizados e de oferecer informações empíricas, relevantes e de alta qualidade. Durante um evento sensível, podemos tomar várias medidas para lidar com esses riscos.

Exemplos de eventos sensíveis incluem emergências civis, desastres naturais, emergências de saúde pública, terrorismo e atividades relacionadas, conflitos ou atos de violência em massa. Essa política é válida mesmo que o conteúdo não tenha imagens explícitas. 

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Discussões que envolvam a perda de vidas ou tragédias que não sejam exploradoras ou desrespeitosas. 

Em alguns casos, podemos impedir a monetização de qualquer conteúdo relacionado a um evento sensível para evitar abuso ou exploração das vítimas. O contexto é importante: por exemplo, um conteúdo pode gerar receita de publicidade se apresentar notícias confiáveis, informações documentais ou discussões sobre um evento sensível.

Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Os criadores não podem gerar receita com conteúdo que explora ou lucra com um evento sensível.

Alguns exemplos: 

  • Lucro aparente com um evento trágico sem benefício perceptível para os usuários, além da venda de produtos ou serviços que não atendam aos padrões e/ou diretrizes dos órgãos de supervisão relevantes (por exemplo, organizações de auxílio emergencial, autoridades de saúde ou organizações internacionais). 
  • Usar palavras-chave relacionadas a um evento sensível para gerar mais tráfego.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Permissão de comportamento desonesto

Conteúdo que glorifica ou promove comportamento desonesto, como trapaças e invasões de propriedades ou de computadores por conta própria ou mediante pagamento.

Detalhes da política
Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário
Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Depoimentos ou referências educativas, humorísticas ou musicais sobre comportamento desonesto. Conteúdo que não promove comportamento desonesto, como relatórios jornalísticos sobre irregularidades em códigos de conduta.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria:

Invasões

  • Exploração de prédios abandonados ou desocupados para compartilhar ou educar o público, com descrição de que há permissão para isso.
    • Passeios por zonas restritas em Chernobil com as autorizações e permissões necessárias.
  • Reportagens jornalísticas sobre:
    • Conteúdo que viola o código de conduta de uma loja de varejo ou de um edifício comercial (como passar a noite em uma loja após o fechamento) 
    • Fingir ser um funcionário da loja de varejo sem o consentimento do proprietário (como usar um uniforme e fornecer orientação sobre os produtos aos clientes) 

Atividades de hackers

  • Testes de invasão (serviço oferecido a empresas por hackers éticos para testar vulnerabilidades de segurança da informação e físicas).
  • Recompensas por bugs (oferta de recompensas por encontrar bugs em sistemas ou programas de computador).
  • Hacks digitais, "lifehacks", dicas e sugestões (por exemplo, retirar restrições de software de um celular, truques e mods de videogame, serviços de VPN)
  • Reportagens educativas, documentais ou jornalísticas sobre o uso ou encorajamento do uso de software para hackers em eSports competitivos 

Crimes

  • Documentários sobre crimes.
  • Depoimentos de pessoas afetadas por crimes.
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Conteúdo que ensina espectadores a ter acesso ou fazer mudanças não autorizadas em sistemas, dispositivos ou propriedades de maneira maliciosa. Exibição de atos que violem o código de conduta de uma propriedade. Divulgação de produtos ou serviços que ajudam a enganar ou trapacear, como serviços de escrita de trabalhos acadêmicos ou métodos de trapaça para vencer em e-sports competitivos.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria:

Invasões

  • Promoção ou glorificação de invasões, como atividades noturnas em um edifício com segurança
  • Violação do código de conduta de uma loja de varejo ou um edifício comercial
  • Falsificação da identidade de funcionários em lojas físicas sem o consentimento do proprietário
  • Exibição de invasão a uma casa sem contexto extra, como filmagens do sistema de câmeras de segurança

Atividades de hackers

  • Incentivo ou instrução ao monitoramento digital de outra pessoa ou das atividades dele sem consentimento
  • Dicas sobre como grampear o celular de uma pessoa sem consentimento
  • Uso ou incentivo ao uso de software de invasão em e-sports competitivos

Produtos ou serviços antiéticos

  • Serviços de escrita de trabalhos acadêmicos
  • Mascaramento de exames toxicológicos
  • Falsificação ou criação de passaportes ou outros documentos de identificação falsos.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Conteúdo inadequado para crianças e famílias

Para gerar receita com conteúdo para crianças no YouTube, os vídeos precisam ser apropriados para um público familiar. Isso significa que eles precisam seguir os princípios de qualidade do YouTube para conteúdo familiar e infantil e as Políticas para editores do Google AdSense.

Detalhes da política

Conteúdo que encoraja comportamentos negativos

Incentivo a comportamentos negativos que possam afetar as crianças de forma negativa.

Orientação sobre anúncios Opções e detalhes do questionário

Conteúdo que pode gerar receita de publicidade

Vídeos que não são nocivos para as crianças e que incentivam comportamentos positivos.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria:

  • Conteúdo educativo sobre comportamento negativo
  • Avisos de utilidade pública (PSAs) ou vídeos sobre o impacto negativo do bullying ou humilhação contra crianças
  • Vídeos que apresentam hábitos alimentares saudáveis
  • Vídeos sobre esportes e vida saudável
  • Pegadinhas, desafios ou vídeos de "faça você mesmo" de baixo risco que não causam danos físicos ou emocionais graves a crianças, como:
    • Conteúdo de "faça você mesmo", demonstrações ou tutoriais sobre como assar ou cozinhar usando utensílios de maneira segura e apropriada, por exemplo
    • Pegadinhas em que as crianças não sofrem traumas ou ferimentos
 
Conteúdo que não vai gerar receita de publicidade

Conteúdo que encoraja comportamentos negativos, como trapaça e bullying, ou conteúdo que pode causar sérios danos físicos ou emocionais a crianças.

Alguns exemplos de conteúdo que se encaixam nessa categoria:

  • Conteúdo que incentiva ou promove comportamentos negativos em crianças, ou conteúdo sobre problemas sociais que afetam negativamente esse público.
    • Comportamento desonesto, como trapacear nas provas da escola
    • Exposição de armas reais ou realistas em conteúdo para crianças
    • Maratonas onde os criadores comem alimentos com alto teor de açúcar ou gordura
    • Bullying, assédio ou humilhação contra crianças
    • Conteúdo sobre como mudar o corpo para parecer uma pessoa mais magra, com mais curvas ou músculos, sobre como restringir ou aumentar as calorias etc.
    • Conteúdo de "faça você mesmo" ou desafios que representem ou possam resultar em danos físicos ou emocionais graves, como: 
      • Uso de produtos químicos proibidos, explosivos, palitos de fósforo em conteúdo de montagem caseira de vulcões etc. 
      • Desafios em que os criadores consomem muitos alimentos ao mesmo tempo, o que pode causar sufocamento 
      • Vídeos que incentivam o consumo de produtos não comestíveis
 

Conteúdo para maiores direcionado para crianças

Temas geralmente associados ao público adolescente ou adulto, como nudez, sexo, violência realista, drogas, álcool ou linguagem obscena no vídeo, miniatura ou título.

Categoria Limitado ou sem anúncios
Conteúdo que é produzido para parecer adequado para crianças e famílias, mas apresenta temas adultos.
  • Sexo e insinuações sexuais
  • Violência, armas realistas 
  • Linguagem obscena moderada ou pesada
  • Drogas e bebidas alcoólicas 
  • Outras representações de crianças ou personagens infantis famosos que são inadequadas para o ambiente familiar

Conteúdo chocante destinado a crianças

Conteúdo seguro para adultos, mas que pode chocar ou assustar crianças, como personagens de terror e temas intimidadores (sequestro, filmes de terror etc.).

Categoria Limitado ou sem anúncios
Conteúdo que é produzido para parecer adequado para crianças e famílias, mas apresenta temas assustadores ou chocantes para crianças.
  • Personagens que podem assustar crianças, como a boneca Momo ou personagens de terror adulto 
  • Conteúdo que mostre imagens sangrentas ou violência explícita
  • Conteúdo não explícito que pode assustar crianças, como cenas de sequestro, de terror, seringas usadas como armas etc.

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Conteúdo relacionado a tabaco

Conteúdo que promove tabaco ou produtos relacionados não é adequado para publicidade. Essa política se encaixa em "Atos perigosos ou nocivos" no questionário de autocertificação do YouTube Studio. Portanto, não se esqueça de conferir essa seção para receber orientações detalhadas.

Exemplos (lista incompleta)
Categoria Limitado ou sem anúncios
Promoção de tabaco
  • Cigarros, charutos, tabaco de mascar
Promoção de produtos relacionados a tabaco
  • Cachimbos, papéis de fumo, vaporizadores
Promoção de produtos que simulam o fumo de tabaco
  • Cigarros à base de plantas, cigarros eletrônicos, vaporizadores

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Conteúdo ofensivo e degradante

Conteúdo ofensivo ou degradante pode não ser adequado para publicidade. Essa política se encaixa em "Conteúdo de ódio e depreciativo" no questionário de autocertificação do YouTube Studio. Portanto, não se esqueça de conferir essa seção para receber orientações detalhadas.

Exemplos (lista incompleta)
Categoria Limitado ou sem anúncios
Conteúdo ofensivo e degradante
  • Conteúdo com foco em envergonhar ou insultar um indivíduo ou grupo
Conteúdo que assedia, intimida ou oprime um indivíduo ou um grupo de indivíduos
  • Conteúdo que direciona assédio ou abuso para alguém
  • Conteúdo que sugere que um evento trágico não aconteceu ou que as vítimas ou as famílias delas são atores ou cúmplices em acobertar o caso
  • Ataques pessoais maliciosos, calúnia e difamação

Para saber mais sobre os principais termos usados nestas diretrizes, consulte a tabela de definições.

Definições

Criamos uma tabela de definições para ajudar a entender melhor os termos usados frequentemente nas diretrizes de conteúdo adequado para publicidade.

Definições
Termos Definições
Música Refere-se a qualquer vídeo que contenha música, como videoclipes oficiais, músicas com a capa do álbum, faixas de apoio, músicas de abertura/encerramento, reações a vídeos de música, músicas tocadas durante tutoriais de dança, músicas adicionadas ou obtidas pelas ferramentas do YouTube ou músicas tocadas no segundo plano. Isso não se aplica a recitações e declamações.
Educativo

“Educativo” refere-se a informar ou ensinar sobre um tema sem apresentar desinformações ao público deliberadamente. O conteúdo educativo expressa uma opinião de maneira neutra, como uma discussão sobre práticas de sexo seguro. Os seguintes termos estão relacionados a esse contexto:

  • “Documental” refere-se à preservação da memória e de eventos históricos pela citação a documentos originais ou descrição de fatos, como em uma história do Egito Antigo.
  • “Científico” refere-se ao avanço de investigações por experimentos ou teorias científicas, como a apresentação de dados sobre a psicologia humana.
Artístico “Artístico” refere-se à arte voltada a expressar a criatividade humana, como pintura, desenho, arquitetura, escultura, literatura, poesia, música, performance e conteúdo roteirizado. Um exemplo seria um vídeo de um recital de poesias.
Encenado

“Dramatizado” refere-se a conteúdo roteirizado, como filmes ou ambientações ficcionais, inclusive conteúdo animado.

Teor gráfico

“Teor gráfico” refere-se à inclusão de representações explícitas ou realistas de:

  • Ferimentos abertos ou sangrentos resultantes de atos violentos, como brigas de rua.
  • Atos violentos contra animais, como chutes.
  • Imagens de atos sexuais, genitais e fluidos corporais.
Realismo

“Realismo” refere-se a três níveis de gravidade:

  • “Baixo realismo”: altamente diferente da realidade, como um gato falante.
  • “Realismo moderado”: baixa diferença da realidade, como imagens exageradas mostrando figuras do mundo real, como humanos ou personagens animados em videogames.
  • “Alto realismo”: situações do mundo real protagonizadas por humanos, como uma luta de rua.
Explícito, explicitude

“Explícito” ou “explicitude” refere-se a quanto o tema que viola as diretrizes está presente ou visível no conteúdo: Veja alguns exemplos:

  • Vídeo que mostra ou representa um procedimento de aborto.
  • Áudio ou sons de alguém sofrendo um abuso.
Implícito

“Implícito” refere-se à presença ou visibilidade sugerida ou indireta do tema que viola as diretrizes. Veja alguns exemplos:

  • Vídeo que mostra ou representa camas balançando com gemidos que sugerem atos sexuais.
  • Vídeo que mostra ou representa veículos explodindo, sugerindo o momento de uma morte.
Foco, focal

“Foco” ou “focal” refere-se a quando um trecho ou vídeo completo é centrado em um determinado tema, havendo referências repetidas e foco nesse tema. Uma referência passageira a um dos tópicos listados como controversos ou delicados não é motivo para não ter anúncios. O reconhecimento breve de um tópico polêmico ou delicado (por exemplo, "No vídeo da próxima semana, discutiremos as taxas de declínio de suicídio.") não seria considerado focal, mas o trecho de um vídeo que trata exclusivamente desse tipo de assunto seria. O foco não precisa ser verbal. Se houver uma imagem ou texto que enfoque questões delicadas, isso também é considerado focal. Veja alguns exemplos:

  • Vídeo focado em como se automutilar.
  • Conteúdo focado unicamente no uso de linguagem obscena sem outro contexto ou razão.
Breve, rápido

Momentos passageiros não são o foco do conteúdo e incluem referências passageiras aos temas definidos como polêmicos ou delicados. O reconhecimento rápido de um tópico polêmico ou delicado, como “No vídeo da próxima semana, discutiremos a queda nas taxas de suicídio”, não seria considerado focal, mas passageiro.

Material sensacionalista

Trata-se de uma maneira de despertar curiosidade ou amplo interesse, especialmente por meio de detalhes exagerados, explícitos ou sensíveis.

  • "Alimentação sensacionalista", como comer animais ou partes de animais que estejam vivas ou ainda visivelmente em movimento.
  • "Alimentação ou culinária sensacionalistas", em que esse tipo de culinária se torna teatral, como parte de um "mukbang" ou uma apresentação de ASMR.
  • "Representação sensacionalista de questões polêmicas" em que temas delicados, como bullying, se tornam o tema central do entretenimento, especialmente por meio de interações negativas com personagens.

Todos os vídeos enviados para o YouTube precisam estar em conformidade com os Termos de Serviço e as diretrizes da comunidade da plataforma. Para gerar receita com anúncios, você precisa aderir às políticas de monetização do YouTube e do programa Google AdSense.

Podemos nos reservar o direito de desativar os anúncios em todo seu canal nos casos em que a maior parte do conteúdo não for adequada para anunciantes ou quando houver violações graves e repetidas das nossas políticas (por exemplo: publicação de conteúdo ofensivo, degradante ou de incitação ao ódio).

Isso foi útil?

Como podemos melhorá-lo?
Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal