[GA4] Estruture a sua conta do Analytics

Estruture as propriedades do Google Analytics 4 para satisfazer as necessidades da sua empresa
Índice:

Introdução

Se utiliza o Universal Analytics, já conhece o conceito de visualizações de propriedades. No Universal Analytics, utiliza as visualizações de propriedades para criar coleções de dados separadas, como separações geográficas, separações de linhas de negócio, entre outras. No GA4, pode obter este tipo de separação de dados de diferentes formas. O nível de detalhe com que separa os seus dados e o modo como controla o acesso aos mesmos dependem das suas necessidades e de se utiliza o Google Analytics padrão ou o Google Analytics 360.

Quer tenha uma pequena empresa com um único Website ou uma grande empresa com várias marcas e milhares de produtos, uma configuração do GA4 de acordo com as práticas recomendadas vai ajudar a alcançar o sucesso.

Se ainda estiver a aprender sobre as propriedades do Google Analytics 4, estes artigos e vídeos podem ser úteis:

Conceitos-chave e definições

  • Conta: uma coleção de propriedades cujos dados pertencem a uma única entidade legal e são regidos pelos Termos de Utilização (TdU) específicos da região.
    É importante que os dados de cada região pertençam a uma entidade legal específica nessa região?
    • Sim: crie várias contas, uma para cada região.
    • Não: crie uma conta na região onde se encontra a sede da sua empresa.
  • Propriedade: reside numa conta e representa os dados de uma base de utilizadores. Se os dados devem ser, geralmente, analisados em conjunto (linha de produtos, marca, aplicação), têm de estar inseridos numa propriedade (que pode funcionar como uma propriedade de origem, se tiver o Google Analytics 360).
    Os dados recolhidos estão relacionados com uma única base de utilizadores lógica? Quando associa o Analytics a outros produtos, pretende partilhar todos os dados com cada produto?
    • Sim: crie uma propriedade.
    • Não: crie uma propriedade ou uma subpropriedade separada para cada base de utilizadores lógica.
  • Stream de dados: reside numa propriedade e corresponde à origem de dados de uma app ou um Website. A prática recomendada é utilizar um máximo de 3 streams de dados por propriedade: 1 única stream de dados da Web para medir o percurso do utilizador da Web e 1 stream de dados da app para iOS e Android.
    • Stream de dados da app: pode ter uma stream de dados para cada combinação de nome do pacote da app e plataforma.
    • Stream de dados da Web: na maioria dos casos, deve utilizar uma única stream de dados da Web para medir o percurso do utilizador na Web. Para garantir relatórios de utilizadores e sessões consistentes para percursos da Web que abranjam vários domínios, utilize uma única stream de dados da Web combinada com a medição de vários domínios.

Exemplos de estruturas de conta e propriedade

As práticas recomendadas e as recomendações seguintes destinam-se a abranger uma grande variedade de utilizadores e exemplos de utilização. Podem existir casos extremos em que estas orientações não se aplicam ou precisam de ser adaptadas a circunstâncias específicas.

Em geral, deve configurar uma conta por empresa e uma propriedade por marca ou unidade de negócio (partindo do princípio de que as suas marcas e unidades de negócio são entidades operacionais únicas/distintas com intervenientes/grupos de analistas separados).

Exemplo A

  • Empresa principal A: 1 conta 
    • Marca X (setor automóvel): 1 propriedade
    • Marca Y (artigos para a casa): 1 propriedade
    • Marca Z (produtos eletrónicos de consumo): 1 propriedade

Neste caso, a empresa principal tem uma conta e três propriedades distintas, sendo que cada propriedade contém dados relacionados apenas com essa marca/empresa. 

Exemplo B

  • Empresa B: 1 conta
    • Linha de produtos D (seguro de habitação): 1 propriedade
    • Linha de produtos E (seguro automóvel): a mesma propriedade que D
    • Linha de produtos F (seguro de vida): a mesma propriedade que D e E

Neste caso, a empresa decidiu que todas as linhas de negócio enviassem os respetivos dados para uma única propriedade. A empresa pode ter clientes que utilizam regularmente vários produtos ou que utilizam com frequência campanhas de venda incrementada ou venda cruzada entre produtos, pelo que faz sentido ver todos esses dados em conjunto. Esta propriedade pode funcionar como uma propriedade de origem para subpropriedades para a análise de linhas de produtos individuais (veja abaixo).  

Exemplo C

  • Pequena empresa C (por exemplo, Charcutaria do João): 1 conta
    • Todos os produtos (carnes frias, sanduíches, bebidas, etc.): 1 propriedade

Neste exemplo, a charcutaria do João é uma pequena empresa e não precisa de várias propriedades. Esta analisa em conjunto todos os dados referentes ao respetivo negócio de entrega de produtos online, pois os clientes compram frequentemente mais de um produto, e a charcutaria do João não tem linhas de negócio diferentes. Portanto, faz sentido configurar uma única propriedade para todos os respetivos dados.

Streams de dados

Cada propriedade de origem tem streams de dados provenientes de uma app e/ou Website que fornecem os dados recebidos. Uma stream de dados não é mais do que um Website ou uma app que envia dados para uma propriedade do GA4 específica. Cada stream de dados da Web tem o seu próprio ID de medição distinto e cada stream de dados da app tem as suas próprias instruções de configuração do SDK (Software Development Kit).

As nossas recomendações:

  • 1 stream de dados da Web por propriedade
  • 1 stream de dados do iOS por propriedade
  • 1 stream de dados do Android por propriedade
Pode associar cada stream de dados da app apenas a uma propriedade do GA4 Tenha este aspeto em conta quando decidir que streams associar a uma propriedade.
As streams de dados não equivalem às visualizações de propriedades no Universal Analytics e não se devem utilizar para separar dados. Se o fizesse, limitaria a sua capacidade de associar os utilizadores às streams de dados, já que cada stream é uma origem de dados da coleção separada. Isto pode originar um aumento dos dados, uma vez que os utilizadores duplicados podem não ser removidos consoante a utilização que faça dos Google signals ou do seu próprio estado com sessão iniciada/User-ID.

Integração com a Search Console

Pode associar uma propriedade do GA4 à Search Console. Deste modo, o Google Analytics ganha novos dados avançados (como consultas de pesquisa provenientes da pesquisa orgânica do Google) e dimensões para os relatórios (como a página de destino).

Tem de decidir que propriedade deve ser associada a que propriedade da Search Console. Se estiver a utilizar subpropriedades e propriedades agregadas, tem de escolher se pretende associar à propriedade de origem, subpropriedade ou propriedade agregada.

A configuração da associação entre a propriedade do GA4 e a propriedade da Search Console é um processo rápido e direto que pode efetuar na página Administração do GA4. Tenha em atenção que é necessário ser um administrador do site validado na propriedade da Search Console e ter a função de administrador na propriedade do Google Analytics 4 para configurar a associação.

Personalizações de relatórios

As propriedades do Google Analytics 4 dão-lhe controlo total sobre os relatórios a apresentar, as métricas e as dimensões incluídas nesses relatórios e os gráficos nos seus relatórios. Pode configurar uma coleção de relatórios completa relevante apenas para um determinado grupo, por exemplo, para a equipa de marketing. No entanto, tenha em atenção que não é possível restringir o acesso a estas coleções: todos os utilizadores da propriedade poderão vê-las. Isto permite personalizar o GA4 de modo que os relatórios mais relevantes ou de mais fácil acesso sejam apresentados primeiro, sem ter de explorar relatórios dos quais pode nem necessitar.

Exemplo de coleção de relatórios da equipa de marketing:

Exemplo de coleção de relatórios da equipa de marketing

Pode personalizar os relatórios específicos em cada coleção. Por exemplo, a maioria dos relatórios de tabelas tem uma métrica "Receita total" apresentada na configuração de relatórios padrão. Isto é ótimo, se tiver uma empresa de comércio eletrónico que envia dados de receita e pretender que as suas equipas os possam analisar. No entanto, se não tiver dados de receita para comunicar no Google Analytics, esta coluna apresentará um valor de 0,00 € para cada linha. Se não for uma métrica relevante para a empresa, pode removê-la para organizar os relatórios.

Relatório de eventos com a métrica Receita total:

Relatório de eventos com métrica Receita total

Edite a interface (clique no "X" junto à métrica a remover):

Interface Edição do evento: clique em X junto à métrica a remover

Aplique a alteração e guarde o relatório sem a métrica "Receita total":

Evento guardado sem a métrica "Receita total"

Este relatório tornou-se agora muito mais claro para uma empresa que não tenha (ou não pretenda mostrar) dados de receita no Google Analytics.

Higiene dos dados

Além de filtrar os relatórios para incluir ou excluir determinados dados, preste especial atenção à higiene dos dados, que inclui a exclusão do tráfego IP interno, a exclusão de referências indesejadas e a garantia de que a medição de vários domínios está corretamente configurada.

Exclua o tráfego IP interno

A remoção do tráfego IP interno dos conjuntos de dados pode ser um passo de configuração importante para muitas empresas que observam muito tráfego nos respetivos Websites por parte dos funcionários. Um exemplo disto pode ser um profissional do apoio técnico que consulte frequentemente artigos do Centro de Ajuda do Website da respetiva empresa enquanto ajuda um cliente. Deste modo, garante que os funcionários da sua empresa (utilizadores internos) não influenciam os dados de estatísticas destinados a gerar relatórios sobre exemplos de utilização de clientes externos. Este é agora um filtro predefinido no GA4:

Interface Crie uma regra de tráfego externo

Remova referências indesejadas

Outro aspeto da manutenção de dados a ter em conta prende-se com a exclusão do tráfego de referências indesejado. Isto permite-lhe manter os dados de determinadas origens das referências fora dos seus dados de produção ao manter o evento, mas ao ignorar o Referenciador para que a atribuição de tráfego não seja afetada. Também esta é agora uma configuração predefinida no GA4:

Interface Crie uma lista de referências indesejadas

Configure o acompanhamento de vários domínios

Por último, um problema comum com que os utilizadores do Google Analytics sempre se depararam diz respeito ao tráfego entre domínios. Anteriormente, tinha de configurar o acompanhamento de vários domínios através do Gestor de Etiquetas da Google ou do seu TMS, ou ao codificá-lo no seu site. Esta operação exigia um esforço adicional que os utilizadores do Google Analytics nem sempre conseguiam realizar, o que originava, muitas vezes, problemas ao nível da manutenção de dados. Estes mostravam contagens de sessões novas ou aumentadas e referências provenientes dos seus próprios domínios. O Google Analytics 4 facilita a configuração deste tipo de acompanhamento na interface do utilizador com vista a melhorar a manutenção dos dados:

Interface Configure os seus domínios

Transformações de dados

No Universal Analytics, as transformações de dados são processadas como parte da configuração do filtro. Por exemplo, forçar a utilização de minúsculas para todos os valores de uma determinada dimensão, como utm_campaign. Agora pode criar e modificar eventos nas propriedades do Google Analytics 4.

Por exemplo, suponhamos que descobre que um determinado evento foi enviado para a sua propriedade do GA4 duas vezes, mas de duas formas diferentes. É possível que o evento "start_now" que gera uma ação essencial no seu Website esteja a ser enviado para o GA4 de várias formas ("start_now" e "startNow") por aparecer em diversos locais no seu Website que foram desenvolvidos por diferentes equipas que, sem o saberem, utilizaram códigos distintos. Este é um cenário comum que pode afetar a sua qualidade de dados. No entanto, já pode corrigir este problema ao criar e modificar eventos na interface do utilizador.

Interface Evento

Para corrigir este problema, clique em Modificar evento na secção Configurar da sua propriedade do GA4.

Botão Modificar evento na secção Configurar

É apresentado este ecrã, onde pode especificar as alterações que pretende efetuar. Neste caso, vai escolher o evento Start Now que pretende manter e, em seguida, modificar o outro em consonância. O exemplo abaixo mostra que qualquer evento com o nome "startNow" será modificado para ter o nome "start_now". Isto vai consolidar os dois nomes de eventos num único nome a partir desse momento, além de tornar os relatórios muito mais claros com uma só linha para este evento.

Interface Modificar evento

Autorizações e funções de utilizadores

As propriedades do Google Analytics 4 apresentam funções e restrições simplificadas e mais inteligentes. As funções padrão incluem agora as seguintes:

  • Administrador: alguém com controlo total da conta
  • Editor: alguém com acesso de edição total aos dados e definições, mas que não pode gerir utilizadores
  • Analista: alguém que pode criar e editar recursos partilhados, além de ver dados e configurações
  • Leitor: alguém que pode ver dados de relatórios e definições de configuração

Além disso, as propriedades do GA4 oferecem a possibilidade de ocultar dados de custos e receita na interface de relatórios, com base numa função de restrição de dados atribuída de "Sem métricas de custos" ou "Sem métricas de receita". Trata-se de algo útil para as autorizações de utilizadores, pois permite proteger dados da empresa confidenciais, além de permitir o acesso a dados comportamentais e do site a determinados públicos-alvo.

Nota sobre restrições de custos e receita: os filtros de métricas não funcionam num público-alvo que apresente dados de receita. Além disso, os utilizadores com estas restrições continuam a poder ver as contagens de eventos de compras. Assim, se tiver reservas quanto a este facto, pondere utilizar uma subpropriedade para este exemplo de utilização.

Interface Funções diretas e restrições de dados

Funcionalidades específicas do 360: subpropriedades e propriedades agregadas

Subpropriedades

As subpropriedades são um novo tipo de propriedade do Google Analytics 4 disponível para contas do Google Analytics 360. Permitem criar um subconjunto dos dados existentes numa propriedade de origem. Com as subpropriedades, já não são necessárias as visualizações de propriedades. Por exemplo, pode criar uma subpropriedade que tenha um subconjunto dos dados que estão na propriedade de origem e conceder a determinados utilizadores acesso apenas a essa subpropriedade. Além disso, as subpropriedades oferecem capacidades relacionadas com a manutenção de dados, a gestão de dados, utilizadores e funcionalidades que aumentam significativamente as vantagens da utilização do GA4 para as grandes empresas.

Pode criar uma subpropriedade a partir de qualquer propriedade de origem, mas não uma subpropriedade a partir de uma propriedade agregada. As subpropriedades têm uma relação um-para-um com uma propriedade de origem.

As subpropriedades implicam um custo adicional para os clientes do 360. Veja Considerações sobre o custo abaixo para obter mais informações.

Gestão de dados

Um dos principais exemplos de utilização das subpropriedades é a gestão de dados, que controla quais são os dados incluídos ou excluídos de uma propriedade. As subpropriedades permitem-lhe filtrar ou excluir dados para criar o conjunto de dados necessário para um determinado público-alvo ou exemplo de utilização. Deste modo, pode organizar melhor os dados para facilitar o acesso a determinados públicos-alvo.

Esta era uma utilização comum das visualizações de propriedades no Universal Analytics, por exemplo, criar uma visualização de propriedade apenas para o tráfego da América do Norte ou criar uma visualização de propriedade apenas para os dados de Websites de marketing. Separar estes conjuntos de dados permite que todos os grupos acedam às respetivas informações de forma mais rápida e fácil, ainda que conseguissem alcançar o mesmo objetivo recorrendo a mais alguns filtros na propriedade de origem. As subpropriedades permitem-lhe obter este resultado com os filtros de importação e exportação de uma propriedade de origem para uma subpropriedade para estes tipos de exemplos de utilização.

Os dados podem ser filtrados numa subpropriedade através de qualquer dimensão personalizada ou evento recolhidos na propriedade de origem.

Gestão de utilizadores

Outro exemplo de utilização das subpropriedades tem a ver com as necessidades da gestão de utilizadores. Suponhamos que a sua empresa tinha políticas rigorosas segundo as quais uma região (por exemplo, América do Norte) podia ver um determinado subconjunto de dados relacionados com essa região, mas que outra região (por exemplo, América do Sul) não devia ter qualquer acesso a esses dados. Com as subpropriedades, pode restringir os dados de cada região dentro da sua própria propriedade para impedir o acesso fora da região adequada.

O mesmo se aplica a linhas de negócio que precisem de manter os respetivos dados separados para suprir necessidades operacionais, ou precisem de separar os dados do site de marketing dos da experiência no produto, se a sua empresa tiver motivos para não querer que uma equipa veja os dados de outra equipa.

Se não precisar de restringir o acesso a dados, mas apenas direcionar um determinado subconjunto de utilizadores para determinados conjuntos de dados, a personalização de relatórios e as coleções de relatórios podem ser soluções melhores. Por exemplo, pode criar uma coleção de relatórios personalizados especificamente para a equipa de marketing, de modo a facilitar aos respetivos membros a navegação para os dados relevantes. Estas funcionalidades ajudam a organizar os dados num formato de fácil acesso para públicos-alvo específicos e não incluem custos adicionais.

Propriedades agregadas

Uma propriedade agregada contém dados de duas ou mais propriedades. Uma propriedade agregada pode incluir dados de propriedades comuns e de subpropriedades, mas não de outras propriedades agregadas. Este tipo de propriedade oferece uma vista mais abrangente dos diferentes produtos, marcas ou regiões da sua empresa ao reunir dados de várias propriedades na mesma conta. As propriedades agregadas no GA4 e UA suportam exemplos de utilização semelhantes.

As propriedades agregadas funcionam de forma muito semelhante a qualquer outra propriedade. Cada propriedade agregada tem a sua própria quota para dimensões personalizadas, métricas personalizadas, propriedades do utilizador e muito mais. Todas as definições são controladas a partir da propriedade agregada (as propriedades agregadas não herdam as definições das respetivas propriedades de origem) e são específicas das necessidades da propriedade agregada e da respetiva base de utilizadores.

As propriedades agregadas implicam um custo adicional para os clientes do 360. Veja Considerações sobre o custo abaixo para obter mais informações.

Considerações sobre o custo

Cada evento enviado para uma subpropriedade ou uma propriedade agregada é processado novamente, o que implica um custo adicional para a conta do 360. Cada resultado do evento adicional é cobrado à metade da taxa do resultado do evento inicial. Por outras palavras, cada resultado de subpropriedade ou propriedade agregada custa 0,5 do que custa um resultado do evento.

Para compreender melhor como a configuração pode afetar a sua faturação, pode utilizar uma nova funcionalidade denominada "Pré-visualização da fatura". Esta está disponível para parceiros certificados do Google Analytics e visa ajudar os respetivos clientes a compreenderem melhor os potenciais custos do GA4 360.

Exemplos com subpropriedades e propriedades agregadas

Se revirmos alguns dos nossos exemplos desde o início deste guia, podemos ver como estes cenários se apresentam da perspetiva da configuração.

Empresa com várias linhas de negócio complementares

  • Empresa B: 1 conta
    • Linha de produtos D (seguro de habitação): 1 propriedade
    • Linha de produtos E (seguro automóvel): a mesma propriedade que D
    • Linha de produtos F (seguro de vida): a mesma propriedade que D e E

Neste caso, a empresa tem 1 conta com 1 propriedade de origem. Embora existam diferentes linhas de negócio que possam ter de analisar os dados separadamente, os produtos são complementares e, muitas vezes, é necessário analisar vários produtos em conjunto. Como tal, decidiram enviar todos os dados do produto para a mesma propriedade de origem. No entanto, as equipas de produtos específicos têm de conseguir analisar os respetivos dados separadamente. Devido aos elevados volumes de tráfego na propriedade global, optaram por criar subpropriedades para cada linha de negócio.

Diagrama de uma propriedade de origem com 3 subpropriedades

 

Empresa principal com várias marcas

  • Empresa principal: 1 conta
    • Marca X (setor automóvel): 1 propriedade
    • Marca Y (artigos para a casa): 1 propriedade
    • Marca Z (produtos eletrónicos de consumo): 1 propriedade

Neste caso, a empresa principal tem 1 conta com 3 propriedades de origem, uma para cada marca. Cada marca individual funciona em separado e tem de analisar os respetivos dados de forma independente, pelo que cada uma tem a sua própria propriedade de origem. No entanto, a empresa principal gostaria de ver todas as respetivas marcas agregadas numa única propriedade para poder ter uma ideia clara do total de utilizadores, da receita total e muito mais. Neste caso, a empresa principal cria uma propriedade agregada com as 3 propriedades de marcas como origens. Isto oferece-lhes a visão global de que precisam, ao mesmo tempo que permite às marcas permanecerem independentes umas das outras.

Diagrama de uma empresa principal com 3 marcas

 

Aprofundemos este exemplo. Esta empresa principal tem um programa de recompensa por fidelidade que se estende a todas as respetivas marcas individuais. Quando um utilizador participa neste programa de fidelidade, tem um ID de recompensas exclusivo que podemos associar ao utilizador como propriedade do utilizador e/ou como parâmetro em todos os eventos.

A equipa de recompensas trabalha ao nível da empresa principal e necessita que os dados referentes aos participantes do programa de fidelidade para todas as marcas estejam reunidos na mesma propriedade. Para tal, podemos utilizar uma combinação de subpropriedades e propriedades agregadas, permitindo à equipa de recompensas ter o seu próprio conjunto de dados com que trabalhar. Cada propriedade de origem produz uma subpropriedade com dados apenas para participantes do programa de recompensas. Em seguida, todas as três subpropriedades são enviadas para uma propriedade agregada para os dados de recompensas.

Diagrama que mostra duas propriedades agregadas

 

Empresa global com regiões e sub-regiões

Neste caso, a conta empresarial global tem 3 subpropriedades agregadas regionais com 2 subpropriedades de origem cada. 

Diagrama que mostra a propriedade agregada global com 3 propriedades agregadas regionais

Associação: Google Ads, SA360 e DV360

Nas propriedades do Google Analytics 4, foram efetuados alguns melhoramentos ao nível da associação ao Google Ads. No entanto, a premissa continua a mesma. Pode associar a sua conta do Google Ads à sua propriedade do Google Analytics 4 para partilhar públicos-alvo e estatísticas do site com o Google Ads, bem como beneficiar dos dados de relatórios do Google Ads na respetiva propriedade do GA4. A associação a uma conta do Google Ads é efetuada ao nível da propriedade do Google Analytics. Pode associar uma propriedade de origem, uma subpropriedade ou uma propriedade agregada.

Alteração importante introduzida no Google Analytics 4 em relação ao Universal Analytics: no Universal Analytics, tem de selecionar cada conta do Google Ads para a qual pretenda exportar um público-alvo, num máximo de 10. Nas propriedades do GA4, partilha um público-alvo individual com todas as contas associadas. Com esta alteração, a partilha torna-se muito mais fácil, mas tem de partilhar todos os públicos-alvo ou nenhum. Tenha em atenção este aspeto quando desenvolver os seus públicos-alvo do Google Analytics 4.

Quando associa a propriedade do GA4 e a conta do Google Ads, pode ver estatísticas do site no Google Ads. Esta funcionalidade exporta dados de interação comportamental do Google Analytics diretamente para a interface do utilizador do Google Ads. Embora possa configurar uma associação a qualquer tipo de propriedade, recomendamos que efetue a associação apenas à propriedade de origem ou à subpropriedade (mas não a ambas): evita a contabilização em duplicado que ocorreria se efetuasse a associação a uma propriedade de origem e a uma subpropriedade.

Os públicos-alvo podem ser partilhados a partir de qualquer propriedade do GA4 (por exemplo, uma propriedade comum, uma subpropriedade ou uma propriedade agregada) para o Google Ads. No entanto, tenha em atenção que um público-alvo de uma subpropriedade ou uma propriedade agregada tem dados diferentes dos da propriedade de origem (normal) devido à filtragem ou a vários conjuntos de dados. É importante ter isto em atenção quando utilizar a segmentação por público-alvo no Google Ads.

Da mesma forma, as conversões dependem do tipo de propriedade associado. Não pretende importar o mesmo tipo de conversão de uma propriedade de origem, uma subpropriedade e uma propriedade agregada, pelo que a prática recomendada é associar a propriedade do GA de origem ao Google Ads e exportar apenas as conversões da origem. Uma exceção a esta regra pode ser, se houver contas do Google Ads específicas de uma região, que possa ter de associar ao nível da subpropriedade.

Os dados do Google Ads são exportados para uma propriedade do Google Analytics 4 no momento da consulta. Deste modo, vai sempre dispor dos dados mais atualizados para análise e evita a duplicação ou a agregação entre subpropriedades e propriedades agregadas.

Search Ads 360

No respetivo lançamento inicial, a integração com o SA360 suporta a herança de dados da propriedade de origem para uma subpropriedade ou uma propriedade agregada. Isto significa que, se a associação for estabelecida na propriedade de origem, a subpropriedade ou a propriedade agregada irá receber dados do SA360, mas a subpropriedade ou a propriedade agregada não pode controlar nem configurar a própria associação.

Alteração importante introduzida nas propriedades do Google Analytics 4 em relação às do Universal Analytics: no Universal Analytics, tem de selecionar cada conta para a qual pretenda exportar um público-alvo, num máximo de 10. Nas propriedades do Google Analytics 4, partilha um público-alvo individual com todas as contas associadas. Com esta alteração, a partilha torna-se muito mais fácil, mas tem de partilhar todos os públicos-alvo ou nenhum. Tenha em atenção este aspeto quando desenvolver os seus públicos-alvo do Google Analytics 4.

Display & Video 360

No respetivo lançamento inicial, a integração com o DV360 suporta a herança de dados da propriedade de origem para uma subpropriedade ou uma propriedade agregada. Isto significa que, se a associação for estabelecida na propriedade de origem, a subpropriedade ou a propriedade agregada irá receber dados do DV360, mas a subpropriedade ou a propriedade agregada não pode controlar nem configurar a própria associação.

Alteração importante introduzida nas propriedades do Google Analytics 4 em relação às do Universal Analytics: no Universal Analytics, tem de selecionar cada conta para a qual pretenda exportar um público-alvo, num máximo de 10. Nas propriedades do Google Analytics 4, partilha um público-alvo individual com todas as contas associadas. Com esta alteração, a partilha torna-se muito mais fácil, mas tem de partilhar todos os públicos-alvo ou nenhum. Tenha em atenção este aspeto quando desenvolver os seus públicos-alvo do Google Analytics 4.

Exemplos adicionais

Retalhista de comércio eletrónico distribuído geograficamente que vende produtos através da Web e de apps

 

Esta empresa-mãe está representada em várias regiões geográficas e cada região corresponde à sua própria entidade empresarial. Cada região tem o seu próprio Website, equipa de marketing e conta do Google Ads. A empresa-mãe também tem uma app (disponível para iOS e para Android).

Requisitos da empresa

A estrutura da conta tem de satisfazer os requisitos seguintes:

  • A empresa-mãe tem de ter uma visão global dos dados de todas as entidades empresariais.
  • Não é necessário que cada entidade empresarial tenha a propriedade legal dos respetivos dados.
  • Cada entidade empresarial pretende compreender de que modo o percurso do utilizador se desenrola no Website e na app.
  • Cada entidade empresarial tem de separar os respetivos dados em diferentes partes.
  • A equipa de marketing de cada entidade empresarial utiliza a associação entre o Google Ads e o Analytics para criar e partilhar públicos-alvo, além de utilizar os públicos-alvo para licitar no Google Ads.

Estrutura da conta

Princípios aplicados (conta padrão)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para uma única base de utilizadores lógica
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website. Uma stream de dados para cada versão da app.
Princípios aplicados (conta do 360)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para uma única base de utilizadores lógica
  • Subpropriedades: uma subpropriedade para cada entidade empresarial que tem de separar os dados em diferentes partes
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website. Uma stream de dados para cada versão da app.
Estrutura Lógica

Uma conta do Analytics.

Se existir uma conta do Analytics, não é necessário criar uma nova.

A empresa-mãe detém a propriedade legal dos dados de todas as entidades empresariais.

Uma propriedade do Google Analytics 4.

Uma única propriedade com streams de dados para a implementação de cada Website e cada app disponibiliza todos os dados para inclusão nos mesmos relatórios. Pode combinar dados de sites e apps conforme necessário para ver o percurso dos utilizadores entre os dois. A empresa-mãe tem uma vista unificada de todos os dados e pode comparar dados entre diferentes entidades empresariais.

Uma subpropriedade para cada equipa regional (360)

Cada entidade regional tem a sua própria subpropriedade com dados separados. A empresa-mãe tem uma vista unificada de todos os dados na propriedade de origem e pode comparar dados entre diferentes entidades empresariais.

Uma stream de dados que combina os Websites de todas as entidades empresariais regionais.

Utilize uma stream de dados da Web para vários domínios.

Um projeto do Firebase para as implementações Android e iOS da app. O projeto do Firebase está associado à propriedade do Google Analytics 4.

Uma stream de dados para a versão iOS e Android da app (ou seja, duas streams de dados).

Uma stream de dados separada para a implementação de cada app torna possível isolar dados do iOS vs. Android.

 

Cada conta do Google Ads está associada à propriedade (padrão)

Com cada conta do Google Ads associada à única propriedade, os públicos-alvo desta estão disponíveis para licitação em cada conta do Google Ads.

Opcional: cada conta do Google Ads está associada à subpropriedade adequada (360)

Com cada conta do Google Ads associada à respetiva subpropriedade adequada, os públicos-alvo da propriedade estão disponíveis para licitação em cada conta do Google Ads.

 

Programador de jogos global com vários jogos na Play Store e App Store

 

Esta empresa tem um Website de marca global e um site de marketing separado para cada título de jogo. Vende vários títulos de jogos na Play Store e na App Store.

Requisitos da empresa

A estrutura da conta tem de satisfazer os requisitos seguintes:

  • Recolha de dados originais de Websites e de apps para criar públicos-alvo e fundamentar a compra de meios.
  • Um ambiente separado para desenvolvimento, teste e produção de cada jogo.

Estrutura da conta

Princípios aplicados (contas padrão)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para cada base de utilizadores lógica (site de marca global; site de marketing e app de cada título do jogo).
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website de marca global. Uma stream de dados para cada site de marketing e uma para cada versão correspondente da app.
Princípios aplicados (360)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para cada base de utilizadores lógica (site de marca global; site de marketing e app de cada título do jogo).
  • Propriedade agregada: uma propriedade agregada que reúne dados de todas as propriedades de origem separadas para obter uma visão holística
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website de marca global. Uma stream de dados para cada site de marketing e uma para cada versão correspondente da app.
Estrutura Lógica

Uma conta do Analytics.

Se existir uma conta do Analytics, não é necessário criar uma nova.

Unifica propriedades numa única conta pertencente a uma única entidade legal.

Uma propriedade do Google Analytics 4 para o site de marca global, com uma stream de dados (Web).

Medição separada do site de marca global.

Uma propriedade do Google Analytics 4 para cada site de marketing e app do título do jogo. Cada propriedade tem uma stream de dados (Web), uma stream de dados para iOS (app) e uma stream de dados para Android (app).

Os dados de cada site de marketing e app relacionada são recolhidos na mesma propriedade.

Os dados relacionados com sites e apps são utilizados para criar públicos-alvo e fundamentar a compra de meios.

Um projeto do Firebase para cada jogo. Cada projeto está associado à propriedade relacionada. Cada projeto do Firebase inclui as versões de programação, teste e produção do jogo.

Um projeto separado do Firebase para cada jogo cria um ambiente separado para desenvolvimento, teste e produção de cada jogo.

Opcional: um projeto separado do Firebase para cada versão do jogo ou para uma combinação de versões; por exemplo, um projeto para a versão de desenvolvimento e outro projeto para as versões de teste e de produção.

Pode subdividir ainda mais ambientes de jogos individuais por projeto, mas isto requer mais propriedades, se pretender medir a versão do jogo associada a esse projeto.

Opcional: propriedade agregada. Cada propriedade de origem é associada a uma propriedade agregada que proporciona uma visão holística na Web e na app.

Pode subdividir ainda mais ambientes de jogos individuais por projeto, mas isto requer mais propriedades, se pretender medir a versão do jogo associada a esse projeto.

 

Empresa nacional de seguros com várias subsidiárias independentes (vida, saúde, casa, automóvel)

 

Esta empresa tem um Website empresarial para fornecer informações aos clientes e gerar potenciais clientes que requerem interação offline para finalizar contratos (por exemplo, telefone, correio, ponto de venda). Cada subsidiária tem o seu próprio Website, uma equipa de marketing separada e a sua própria conta do Google Ads.

Uma subsidiária (automóvel) também tem uma app.

Requisitos da empresa

A estrutura da conta tem de satisfazer os requisitos seguintes:

  • Os dados são propriedade de uma única entidade empresarial numa localização.
  • Os dados do site empresarial têm de estar disponíveis para análise, de modo a melhorar a geração de potenciais clientes e a otimização de conteúdo.
  • Cada subsidiária tem de separar os respetivos dados em diferentes partes para que a equipa de marketing relacionada crie públicos-alvo e acompanhe as conversões associadas a uma única conta do Google Ads.

Estrutura da conta

Princípios aplicados (conta padrão)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para cada base de utilizadores lógica (site empresarial; site e app de cada subsidiária).
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website empresarial. Uma stream de dados para o site de cada subsidiária e uma para cada versão correspondente da app.
Princípios aplicados (360)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para todos os sites e apps (site empresarial; site e app de cada subsidiária).
  • Subpropriedades: uma subpropriedade para cada base de utilizadores lógica (site empresarial; site e app de cada subsidiária).
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website empresarial. Uma stream de dados para o site de cada subsidiária e uma para cada versão correspondente da app.
Estrutura Lógica

Uma conta do Analytics.

Se existir uma conta do Analytics, não é necessário criar uma nova.

Os dados são propriedade de uma única entidade empresarial numa localização.

Uma propriedade do Google Analytics 4 com uma stream de dados (Web) para o Website empresarial (conta padrão)

Uma única propriedade e stream de dados para o Website empresarial disponibiliza esses dados para análise, de modo a melhorar a geração de potenciais clientes e a otimização de conteúdo.

Para o Website de cada subsidiária: (conta padrão)

Uma propriedade do Google Analytics 4 com uma stream de dados (Web).

A propriedade da subsidiária de seguros automóveis também necessita de uma stream de dados (app Android).

Uma única propriedade e stream de dados para o site de cada subsidiária mantém os dados de cada site separados dos outros.

Os dados da app e da Web da subsidiária de seguros automóveis estarão disponíveis na mesma propriedade.

Uma propriedade do Google Analytics 4 com uma stream de dados (Web) para todos os Websites (empresas e subsidiárias). (360)

Uma única propriedade de origem e stream de dados para todos os Websites disponibiliza esses dados para análise, de modo a melhorar a geração de potenciais clientes e a otimização de conteúdo. Também permite a criação de subpropriedades com base na propriedade de origem.

Subpropriedades para cada subsidiária e o Website empresarial

É possível criar uma subpropriedade para filtrar cada combinação lógica de dados (Website empresarial ou site da subsidiária) na sua própria visualização de dados.

Um projeto do Firebase para a app Android da subsidiária de seguros automóveis.

O projeto do Firebase está associado à propriedade (conta padrão) ou à propriedade de origem (conta do 360) da subsidiária de seguros automóveis.

Um projeto do Firebase para a app de seguro automóvel cria um ambiente separado para a programação de apps.

A associação do projeto do Firebase à propriedade de seguro automóvel disponibiliza os dados da app e da Web na mesma propriedade (o mesmo se aplica à propriedade de origem em contas do 360).

As propriedades (contas padrão) ou subpropriedades (contas do 360) da subsidiária e as contas do Google Ads correspondentes estão associadas.

Com a conta do Google Ads de cada subsidiária associada à propriedade correspondente, os públicos-alvo das propriedades estão disponíveis nas contas do Google Ads relevantes. Além disso, os dados de conversão das contas do Google Ads estão disponíveis nas propriedades do Google Analytics 4 relevantes.

 

Instituição/empresa de ensino

 

Esta organização tem um Website e uma conta do Google Ads.

Requisitos da empresa

A estrutura da conta tem de satisfazer os requisitos seguintes:

  • Os alunos consultam as ofertas de cursos, inscrevem-se nos cursos, e realizam e gerem o trabalho do curso online.
  • A equipa de marketing tem de conseguir criar públicos-alvo para efeitos de remarketing e prospeção.
  • Os analistas pretendem compreender a utilização entre dispositivos e se é necessário um site ou uma app para dispositivos móveis.

Estrutura da conta

Princípios aplicados
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para cada base de utilizadores lógica (site da instituição).
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website da instituição.
Estrutura Lógica

Uma conta do Analytics.

Se existir uma conta do Analytics, não é necessário criar uma nova.

Os dados são propriedade de uma única entidade numa localização.

Uma propriedade do Google Analytics 4 com uma stream de dados (Web).

Uma única propriedade disponibiliza os dados de cada aspeto do site num único local.

A equipa de marketing pode criar públicos-alvo a partir de qualquer combinação de dados do site.

Os analistas podem compreender a utilização entre dispositivos e se é necessário um site ou uma app para dispositivos móveis.

Uma conta do Google Ads associada à propriedade do Google Analytics 4.

A equipa de marketing pode exportar públicos-alvo para o Google Ads para efeitos de remarketing e prospeção.

 

Empresa de viagens com várias marcas a operar em diversos países

 

Esta empresa tem várias marcas, cada uma com um Website para computadores, um site para dispositivos móveis e uma app. Cada marca tem a sua própria equipa de marketing e contas de publicidade.

Requisitos da empresa

A estrutura da conta tem de satisfazer os requisitos seguintes:

  • Os dados têm de ser analisados por país.
  • Cada equipa de marketing tem de criar os seus próprios públicos-alvo e atribuir conversões às respetivas contas de publicidade associadas.

Estrutura da conta

Princípios aplicados (conta padrão)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para cada base de utilizadores lógica (site empresarial; site e app de cada marca).
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website empresarial. Uma stream de dados para o site de cada marca e uma para cada versão correspondente da app.
Princípios aplicados (conta do 360)
  • Conta: uma conta. Os dados são propriedade de uma única entidade legal.
  • Propriedade: uma propriedade para cada base de utilizadores lógica (site empresarial; site e app de cada marca).
  • Propriedade agregada: uma propriedade agregada para ver todos os conjuntos de dados geográficos e de entidades em conjunto.
  • Streams de dados: uma stream de dados para o Website empresarial. Uma stream de dados para o site de cada marca e uma para cada versão correspondente da app.
Estrutura Lógica

Uma conta do Analytics.

Se existir uma conta do Analytics, não é necessário criar uma nova.

Os dados são propriedade de uma única entidade empresarial.

Uma propriedade do Google Analytics 4 por marca, cada uma com:

  • Uma stream de dados (Web) para o Website da marca
  • Uma stream de dados (app) para cada versão da app da marca (Android, iOS)

Uma propriedade por marca permite:

  • Efetuar uma análise por marca e país
  • Criar públicos-alvo a partir de uma base de utilizadores específica da marca e específica do país
  • Atribuir conversões às contas de publicidade associadas

As streams de dados individuais para cada plataforma permitem uma análise de dados abrangente, comparativa ou individual e a criação de públicos-alvo centrados na plataforma.

Uma propriedade agregada que reúne todas as propriedades da marca num único local (contas do 360)

Uma única propriedade agregada com todas as propriedades de origem incluídas permite uma visão holística dos dados ao nível da instituição.

As contas do Google Ads, Display & Video 360 e Search Ads 360 específicas da marca estão associadas às propriedades relevantes.

Cada equipa de marketing tem de criar os seus próprios públicos-alvo e atribuir conversões às respetivas contas de publicidade associadas.

 

A informação foi útil?
Como podemos melhorá-la?
false
Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal
Pesquisar no Centro de ajuda
true
69256
false
false