Que tipo de conteúdo posso rentabilizar?

Para que os vídeos sejam elegíveis para rentabilização, tem de deter todos os direitos necessários para a utilização comercial de todos os elementos visuais e de áudio, quer sejam propriedade sua ou de terceiros.

Regras para o conteúdo criado por si:

  • Seguir as regras da comunidade do YouTube.
  • Ser o autor de todos os elementos do vídeo, como vlogs diários e vídeos domésticos, vídeos "faça você mesmo" e tutoriais, vídeos de música originais ou curtas-metragens originais.
  • Certificar-se de que detém todos os direitos necessários para a utilização comercial de todos os elementos visuais criados por si.
  • Ter em atenção que é mais provável os anunciantes publicarem anúncios em conteúdo adequado para publicidade.

Regras para o conteúdo não criado por si:

Posso rentabilizar o meu vídeo nas situações que se seguem?

Clique abaixo para ver se o seu tipo de conteúdo é rentabilizável e se necessita de comprovar que detém os direitos de utilização comercial antes de o utilizar.

Criei todo o conteúdo áudio e visual


Pode rentabilizar o conteúdo criado por si desde que ainda detenha os direitos do vídeo.

Contudo, se tiver um contrato com uma editora de música, deve ter em atenção se detém os direitos necessários para rentabilizar o vídeo, consoante os termos e/ou as limitações desse contrato. Pode ter de consultar um advogado.

Utilizo software de edição de áudio e/ou de elementos visuais para criar o meu conteúdo


Existe a possibilidade de utilizar software de edição de áudio e de elementos visuais para criar conteúdo rentabilizável, mas tal depende do âmbito, das limitações e das autorizações comerciais da licença. Se tiver utilizado amostras ou loops, certifique-se de que a licença autoriza especificamente a utilização comercial desses materiais.

Utilizo conteúdo isento de royalties ou com licenças Creative Commons


Pode rentabilizar conteúdo isento de direitos de autor ou com licenças Creative Commons se o contrato de licença lhe conceder direitos para o utilizar comercialmente. Por vezes, os proprietários dos direitos exigem que reconheça mérito ao criador do conteúdo ou que forneça a prova de compra para o utilizar para fins comerciais no seu vídeo.

Saiba mais acerca de como ler licenças para perceber os seus direitos.

Tenho autorização para utilizar áudio e/ou elementos de vídeo criados por outra pessoa

Pode rentabilizar esse conteúdo, mas tem de estar preparado para fornecer uma autorização explícita por escrito da parte do proprietário a conceder-lhe os direitos de utilização comercial em qualquer altura.
Estou a jogar ou a mostrar instruções passo a passo de um videojogo

A possibilidade de utilizar o conteúdo de um videojogo para rentabilização depende dos direitos de utilização comercial que lhe foram concedidos pela licença do editor do videojogo aplicável. Alguns editores de videojogos poderão autorizá-lo a utilizar comercialmente todos os conteúdos do jogo de vídeo e indicá-lo nos respetivos contratos de licenciamento.

Noutros contratos de licenciamento, os editores poderão não conceder direitos comerciais para vídeos que incluam partes do jogo durante um período de tempo prolongado. Para estes termos de licenciamento, a utilização de videojogos deve ser mínima, a não ser que os comentários passo a passo associados tenham valor informativo e/ou educativo e estejam estritamente associados à ação representada.
Estou a fazer um tutorial a demonstrar a utilização de um software
 

A autorização para apresentar interfaces do utilizador de software num vídeo enviado para rentabilização depende dos direitos de utilização comercial que lhe foram concedidos pela licença desse mesmo software.

Em alguns casos, poderá ser necessário possuir um contrato com o editor ou apresentar um comprovativo de que pagou uma taxa de licenciamento. Caso contrário, a utilização de interfaces do utilizador de software deve ser mínima, a não ser que os comentários passo a passo associados tenham valor informativo e/ou educativo e estejam estritamente associados à ação representada.

Saiba mais acerca de conteúdo de videojogos e de software.

Utilizo conteúdo de domínio público
 

Para se considerar que determinado conteúdo é de domínio público, é necessário que os direitos de autor da obra tenham expirado, tenham sido retirados ou tenham deixado de ser aplicáveis. Se puder provar que o conteúdo no seu vídeo é de domínio público, poderá ser possível rentabilizá-lo no YouTube (dependendo do âmbito, limitações e autorizações comerciais da licença).

Os critérios para considerar determinado conteúdo como de domínio público podem variar consoante diversos fatores.
Saiba mais acerca do domínio público.
O vídeo contém a minha gravação original de uma versão de uma música
 

Algumas versões de músicas podem ser elegíveis para rentabilização. Para serem elegíveis, a editora de música tem de reivindicar a música através do sistema de Content ID e optar por a rentabilizar.

Se a música não tiver sido reivindicada, pode não ser possível rentabilizar o vídeo, a não ser que tenha autorização explícita por escrito da parte do proprietário dos direitos de autor da música.

A utilização de qualquer gravação de som comercial, como de uma versão instrumental, de karaoke ou de concertos ao vivo pelo artista, não é elegível para rentabilização.

Saiba mais acerca da rentabilização de vídeos de versões elegíveis.

Utilizo as minhas gravações pessoais de concertos públicos, eventos, espetáculos, etc.

Embora possa ter feito pessoalmente uma gravação, geralmente o criador ou o autor original do conteúdo gravado por si (por exemplo, compositor/autor da letra da música cantada num concerto) detém vários dos direitos necessários para explorar comercialmente esse conteúdo.

Se pretender rentabilizar a sua gravação de uma atuação num concerto ou num espetáculo, deve obter uma autorização explícita por escrito da parte do proprietário original dos direitos dessa mesma atuação.

Gravei o conteúdo da televisão, de um DVD ou de um CD

Embora possa ter feito pessoalmente uma gravação, é o verdadeiro criador ou o autor do conteúdo gravado por si (por exemplo, o produtor do programa de TV em transmissão na televisão) que detém vários dos direitos necessários para explorar comercialmente esse conteúdo.

Se pretender rentabilizar a sua gravação de um programa de TV, DVD ou CD, deve obter uma autorização explícita por escrito da parte do proprietário dos direitos de autor dos elementos visuais e/ou de áudio gravados por si.

Carrego conteúdo comprado por mim

Ainda que tenha comprado conteúdo, geralmente é o verdadeiro criador ou o autor desse conteúdo que detém vários dos direitos necessários para explorar comercialmente esse conteúdo.

Isto quer dizer que não pode rentabilizar conteúdo de terceiros comprado por si, a não ser que o proprietário dos direitos lhe conceda direitos de utilização comercial.

Carrego conteúdo encontrado por mim online

Embora possa ter encontrado o conteúdo online gratuitamente, na maioria dos casos é o verdadeiro criador que detém vários dos direitos necessários para explorar comercialmente o conteúdo.

Se pretender rentabilizar tal conteúdo, certifique-se de que detém todos os direitos de utilização comercial sobre o mesmo.

Contém música da Biblioteca de áudio do YouTube

Pode rentabilizar música da Biblioteca de áudio do YouTube.

Utilizei conteúdo de terceiros segundo os princípios de utilização razoável

As utilizações comerciais são menos propensas a serem consideradas razoáveis. No entanto, em alguns casos, é possível rentabilizar um vídeo e ainda assim tirar partido da defesa de utilização razoável. Para mais informações, aceda ao site O que é a utilização razoável?.  


Ainda precisa de ajuda?

Se ainda tem dúvidas acerca de qual o conteúdo que pode ou não pode rentabilizar, consulte os critérios de rentabilização de vídeo. Para mais informações acerca de direitos de autor, violação de direitos de autor e utilização razoável, aceda ao Centro de direitos de autor.

O conteúdo desta página é fornecido apenas para fins educativos e não representa aconselhamento jurídico. Deve procurar aconselhamento jurídico apenas junto de um advogado ou outro representante legal.
A informação foi útil?
Como podemos melhorá-la?