Reivindicar vídeos individuais: políticas e práticas recomendadas

As funcionalidades descritas neste artigo estão disponíveis apenas para parceiros que utilizam o sistema de correspondência Content ID do YouTube.

Conteúdo elegível para rentabilização 
Os criadores são responsáveis pelo cumprimento dos Critérios de rentabilização de vídeos. Isto implica assegurar todos os direitos de áudio e de imagem sobre o conteúdo dos vídeos. Qualquer conteúdo que inclua material de terceiros (incluindo música não licenciada) não é elegível para rentabilização.

Política: reivindicar vídeos individuais enquanto terceiro
Não pode reivindicar um vídeo com a intenção de contornar os critérios de rentabilização de vídeos. Isto inclui fazer uma reivindicação "apenas de imagem" do vídeo de um criador, de forma a partilhar a receita de rentabilização quando o áudio é reivindicado por um parceiro de música. Para que o vídeo seja elegível para rentabilização, todo o material de terceiros tem de estar aprovado e todas as reivindicações têm de estar resolvidas. O YouTube monitoriza ativamente o comportamento de reivindicação dos parceiros no que se refere a esta regra. Os infratores devem estar cientes de que os respetivos privilégios de reivindicação são desativados em caso de comportamento indevido. 

Perguntas frequentes

Quero gerir os direitos do vídeo de um criador. Como posso saber se o conteúdo desse vídeo pertence em exclusivo ao criador?

Quando celebra um contrato de gestão de direitos de um vídeo, a sua empresa assume inteira responsabilidade pelo conteúdo e pelas reivindicações que passa a representar. A criação de referências a filmagens ou áudio não detidos em exclusividade é contrária à Política do YouTube e leva a reivindicações inválidas. Os infratores estão sujeitos à desativação e à remoção de funcionalidades. 

É da responsabilidade da sua empresa desenvolver previamente as devidas diligências no sentido de verificar a autenticidade e exclusividade do vídeo que pretende representar.

Pode ser do seu interesse ter em consideração informações como:

  • O cliente tem todos os direitos sobre estas filmagens, incluindo quaisquer músicas ou áudio utilizados?
  • O cliente deu permissão a outra pessoa para utilizar este vídeo?
  • O cliente pode apresentar provas de que o vídeo lhe pertence? Por exemplo: o ficheiro original do vídeo, mais longo ou com resolução mais alta do que a versão disponível online.
Tanto o conteúdo áudio como visual deste vídeo é, na sua totalidade, propriedade exclusiva.  Como ativo a correspondência de Content ID para este material?

Se o vídeo original estiver alojado num canal associado ao seu Gestor de conteúdos, localize o carregamento original e ative a Correspondência de Content ID no separador de Rentabilização do vídeo em questão. 

Em alguns casos, o parceiro pode aceitar gerir os direitos de um vídeo em particular, mas não de todo o canal do criador. Nesses casos, o parceiro pode utilizar a ferramenta de Pesquisa manual para reivindicar o vídeo original do criador e criar um ficheiro de referência a partir do mesmo. Os parceiros que, de momento, não têm acesso à Pesquisa manual podem contactar o respetivo gestor de parceiros para discutir a elegibilidade. Trata-se de uma funcionalidade delicada que deve ser merecida e que pode ser retirada a qualquer momento.

Nota: não volte a transferir uma cópia do vídeo original para o seu próprio canal para criar um ficheiro de referência a partir dessa cópia. Tal pode resultar em erros desnecessários de correspondência de Content ID, conflitos de propriedade de ativos e atrasos na atribuição de receitas.

 

A informação foi útil?
Como podemos melhorá-la?