Receba respostas para suas perguntas rapidamente twittando ao @TeamYouTube em português. Estamos aqui para ajudar e trazer a você as últimas notícias e atualizações!

Sobre anúncios do YouTube e métricas de visualização

Este artigo é sobre as métricas do YouTube que você pode usar para analisar a performance dos seus anúncios em vídeo. Vamos falar sobre impressões, visualizações, engajamento e cliques, além do tipo de público-alvo alcançado.

Os seguintes tópicos vão ser tratados:

Observação: embora seja possível fazer upload de vídeos diretamente no Google Ads para usar nos anúncios em vídeo, algumas métricas estão disponíveis apenas para conteúdo em vídeo hospedado no YouTube. Uma prática recomendada é hospedar o vídeo da campanha no YouTube para ter acesso a todas as métricas de avaliação da performance. Também recomendamos vincular suas contas do YouTube e do Google Ads. Dessa forma, as ações ganhas, além de outras funcionalidades, ficam disponíveis na conta.

Métricas de vídeo fundamentais

Há várias maneiras de medir como as pessoas interagem com os anúncios em vídeo. Cada métrica tem sua vantagem e pode ajudar a saber quais são os anúncios mais eficazes.

Tipos de métricas de vídeo do YouTube

Veja abaixo mais informações sobre as métricas de vídeo do YouTube, como impressões, visualizações pagas, visualizações orgânicas, interações, engajamento, taxa de visualização, "Vídeo assistido até", ações ganhas, visibilidade e Active View, parcela de impressões de Display e de Brand Lift.

Impressões

As impressões mostram o alcance da campanha e a frequência com que as pessoas são expostas à miniatura in-feed ou à parte inicial in-stream do vídeo.

  • Impressões de anúncios in-stream: essa métrica é contabilizada quando o vídeo começa a ser reproduzido na página de exibição antes, durante ou depois do início do vídeo orgânico para o espectador.
  • Impressões no feed: essa métrica é contabilizada quando a pessoa visualiza a miniatura do vídeo.

Visualizações pagas

As visualizações pagas mostram quantas vezes as pessoas viram seu anúncio inteiro ou uma grande parte dele, além da impressão.

  • Visualizações de anúncios in-stream: esta métrica é contabilizada quando a pessoa assiste a 30 segundos ou, então, ao vídeo completo. As interações no anúncio também podem incrementar a contagem de visualizações.
    • Cada exemplo abaixo conta como uma visualização de anúncios in-stream:
      • Alguém assiste todo um anúncio em vídeo de 20 segundos.
      • A pessoa assiste a 32 segundos de um anúncio em vídeo de 40 segundos.
      • Um espectador clica em um elemento interativo aos 18 segundos (representando um clique e um incremento de visualização) de um anúncio de 20 segundos.
Observação: quando alguém clica em elementos do anúncio em vídeo, como calls-to-action (CTAs), cards, banners, miniaturas ou logotipos, antes da incrementação da visualização, são contados um clique e uma visualização.

Visualizações de anúncios in-feed: essa métrica é contabilizada quando a página de exibição do vídeo é carregada depois de um clique na miniatura que leva à página de exibição do vídeo.

Veja abaixo algumas exceções à contagem de visualizações:

  • Visualizações de anúncios in-stream (não bumpers): se enviar um vídeo com menos de dez segundos, você vai ter visualizações no Google Ads, mas não vai incrementar as visualizações no YouTube Analytics nem nas contagens públicas na página de exibição.
  • Visualizações de anúncios bumper e não puláveis: não são contabilizadas no Google Ads nem na página de exibição externa. Não é possível acessar dados sobre "Usuários que visualizaram meu anúncio".

E se ocorrer um clique depois que uma visualização já tiver sido incrementada? Isso conta como uma segunda visualização?

Não. Nesse caso, incrementamos somente um clique, não a segunda visualização.

Um clique na miniatura do feed é contabilizado como um clique?

Não. Ele só incrementa a contagem de visualizações após o carregamento da página de exibição.

Por que minhas fontes de relatórios mostram variações nas visualizações?

É possível que haja variações entre as visualizações informadas no Google Ads, no YouTube Analytics e na Página de exibição pública (que é preenchida pelo YouTube Analytics). Isso ocorre principalmente devido a diferenças no tempo para retorno dos dados (variação de "atualização" ou taxa de atualização), limites de spam diferentes e qualificação diferente para registrar anúncios na contagem pública de visualizações, que inclui visualizações de anúncios in-stream não bumper, bumper e não puláveis. Saiba mais sobre as diferenças entre os dados de visualização no Google Analytics e no YouTube.

Ainda é possível criar listas de público-alvo de usuários que já viram meus vídeos ou meu canal para formatos que não incrementam a contagem de visualizações?

As listas de público-alvo que dependem de uma visualização (por exemplo, "Visualizaram um vídeo de um canal") não são compatíveis com formatos que não incrementam a contagem de visualizações, como anúncios bumpers, não puláveis e in-stream com menos de dez segundos. Você pode até criar as listas na sua conta, mas nenhum usuário vai ser adicionado nelas porque não vai incrementar a contagem de visualizações e, com isso, não será incluído na lista de público-alvo.

Visualizações orgânicas

Quando alguém assiste seu vídeo sem nenhuma notificação, como um anúncio, isso se trata de uma visualização orgânica. Uma visualização ocorre quando uma pessoa assiste ao seu vídeo. Para ter uma contagem de visualizações precisa, as reproduções irregulares (como spam) são removidas das métricas de contagem de visualizações públicas. O YouTube determina a intenção do usuário de maneira algorítmica para incrementar a contagem de visualizações.

Os critérios para o que conta como uma visualização orgânica e uma visualização de anúncios pagos são diferentes. Leia sobre as visualizações pagas e as diferenças entre os dados de visualizações do Google Analytics e do YouTube Analytics.

Interações

A coluna "Interações" mostra os engajamentos das campanhas de vídeo. Eles representam a principal ação associada ao formato do anúncio. Saiba mais sobre os relatórios de engajamentos.
Ao contrário das visualizações, os engajamentos são contabilizados após dez segundos de visualização. Para vídeos mais longos, o engajamento dá uma ideia de quem assistiu mais do que uma impressão, mas não uma visualização completa, embora os espectadores possam realizar uma visualização completa e contar como um engajamento. Saiba mais sobre as conversões de visualização engajada.
As interações ajudam você a comparar o valor e a performance das campanhas de pesquisa, de vídeo e de display. Por exemplo, é possível usar uma interação para comparar o valor de um clique de pesquisa com uma exibição de vídeo. As interações consolidam os relatórios de vários tipos de campanha, oferecendo uma compreensão abrangente.
Consulte a seção "Engajamentos" abaixo para entender melhor.

Engajamentos

Antes de começar, consulte a seção "Interações" acima para entender melhor.
Para vídeos com mais de dez segundos, os engajamentos dão uma ideia da frequência de espectadores que vão além da impressão (ou que usam o botão "Pular"), mas que nem sempre completam a visualização. A tabela abaixo mostra o formato, os critérios e outras informações sobre engajamentos:

Formato

Critérios de engajamento

É possível incrementar as visualizações?

Como os cliques são informados?

Anúncios in-stream e em vídeo de promoção de app

Vídeo com menos de dez segundos:

Os espectadores assistem ao vídeo completo ou clicam no anúncio.

Vídeo com mais de 10 segundos:

Os espectadores assistem a mais de dez segundos ou clicam no anúncio.

Sim, se os critérios de visualização forem atendidos.

Vídeo com menos de dez segundos:

Conta como um clique e engajamento. A visualização conta no Google Ads, mas não nas visualizações públicas.

Vídeo com mais de 10 segundos:

Contam como clique, visualização e engajamento.

Anúncios em vídeo In-feed

As pessoas assistem a dez segundos do anúncio em vídeo sem som ou clicam na miniatura para ver o vídeo completo na página de exibição (o clique conta como uma visualização e não informado como um clique).

Sim, se os critérios de visualização forem atendidos.

O clique não se refere ao "clique" na miniatura que levou a pessoa à página de exibição. Ele é, na verdade, contabilizado automaticamente como uma visualização e um engajamento quando um usuário está na página de exibição. Esse clique é informado de acordo com a visualização e o engajamento já relatados.

Anúncios bumper e in-stream não puláveis

Os espectadores precisam clicar em um anúncio.

Não, mesmo se houver um clique.

O clique e o engajamento são contabilizados.

  • Visualização engajada ("engajamentos"): essa métrica, que não é vista no Google Ads, diz respeito aos engajamentos mostrados na coluna "Interações" quando os espectadores veem uma campanha de vídeo.
  • Taxa de engajamento: quantas vezes as pessoas interagem com o anúncio dividido pela quantidade de exibições. A taxa de engajamento ajuda a determinar a porcentagem de impressões que resultaram em engajamento. A fórmula da taxa de visualização é "Visualizações/impressões". Ela é semelhante à taxa de visualização, mas não é um indicador tão forte porque os engajamentos usam critérios menos rigorosos para contagem em comparação com as visualizações.

Taxa de engajamento = engajamentos/impressões

Taxa de visualização (antes, taxa de visualização (VTR))

A taxa de visualização ajuda a determinar a porcentagem de impressões que resultaram em visualização. Ela mostra a atratividade do seu anúncio e ajuda você a responder à pergunta: "Entre as pessoas a quem seu anúncio foi exibido, que porcentagem foi contabilizada como uma visualização?", Uma taxa baixa pode sugerir que a parte inicial do seu criativo não era atraente o suficiente. Uma taxa de 10% a 15% é considerada média em todos os setores, mas pode variar significativamente. Saiba mais com "O manual para criar criativos eficientes no YouTube".
Taxa de visualização = visualizações/impressões
Observação: a definição básica de taxa de visualização é a mesma para todos os formatos de vídeo, mas os formatos individuais têm critérios diferentes em relação ao que é considerado uma impressão ou uma visualização. Lembre-se dessas diferenças na hora de comparar a performance da taxa de visualização. Consulte as definições de visualização e impressão acima.
  • Custo máximo por visualização (CPV máx.): lance que você definiu para a campanha ou grupo de anúncios. Precisa ser o valor mais alto que você quer pagar por uma visualização no leilão.
  • Custo médio por visualização (CPV méd.): ajuda a determinar quanto, em média, você paga por uma visualização, além da eficácia do custo dos seus anúncios com base nas visualizações como uma meta principal da sua campanha. O CPV vale mais quando é usado para comparar anúncios, grupos de anúncios e campanhas (as métricas isoladas não são tão informativas). Você pode usar esse valor para determinar quais estratégias estão funcionando melhor com base no seu orçamento.

Custo médio por visualização = custo/visualizações

Qual CPV é bom?

"Bom" é subjetivo. Os CPVs médios variam de acordo com o formato, o setor e a sazonalidade, entre outros fatores. O melhor comparativo de mercado são os dados históricos da campanha, por exemplo, qual é o custo-benefício dos Grupos de anúncios A e B na sua campanha.

Por que meu CPV médio é maior do que o CPV máximo?

Porque você está visualizando um período em que o CPV máximo foi alterado. Exemplo:

Nos dias 1 a 5, o CPV máximo era de R$ 0,20.

Nos dias 6 a 10, o CPV máximo era de R$ 0,10.

Se você marcar o CPV máximo no dia 10, sua conta vai mostrar o CPV máximo de R$ 0,10. No entanto, se o período incluir dos dias 1 a 10, você vai incluir os dias 1 a 5, em que o CPV máximo era maior. O CPV médio informado pode ser maior do que R$ 0,10 nos relatórios a partir dos dias em que o lance máximo foi maior. Verifique o histórico de alterações e filtre as mudanças de lances para ver se um período se sobrepõe quando o CPV máximo foi reduzido.

Métricas "Vídeo assistido até"

As métricas "Vídeo assistido até" representam a porcentagem de pessoas que assistiram a 25%, 50%, 75% ou 100% do vídeo em relação aos espectadores que iniciaram o player. O ponto em que o player de vídeo é iniciado vai mudar dependendo do formato, por exemplo, com in-stream, os vídeos começam a ser reproduzidos automaticamente. Para in-feed, isso ocorre quando o espectador é direcionado à página de exibição depois de clicar na miniatura.

Os relatórios quartis podem ser usados com outras métricas, como taxa de visualização e retenção de público (encontradas nos dados do YouTube Analytics) para saber mais ou menos onde as pessoas estão deixando de assistir. Se você encontrar uma queda acentuada em determinados pontos, descubra qual é o problema no criativo do anúncio que está fazendo isso (isto é, fora do comportamento esperado). Por exemplo, é comum encontrar essa realidade nos anúncios in-stream após cinco segundos quando o botão "Pular" é exibido aos usuários.

Veja abaixo um exemplo de métricas de quartil de 25%:

Porcentagem de “Vídeo assistido até 25%” = número de espectadores que ainda estão assistindo depois de 25% do vídeo ter passado                                                                     quantas vezes o player de vídeo foi iniciado

Como funciona:

  1. 10 usuários começam a assistir ao anúncio de 20 segundos
  2. 5 usuários desistem (fecham o navegador ou clicam em outro vídeo) aos 13 segundos
  3. 3 usuários desistem aos 18 segundos
  4. 2 usuários assistem ao anúncio inteiro

Os quartis seriam o seguinte:

Quartil

Porcentagem reproduzida

Explicação da porcentagem reproduzida

25%

100%

100% dos 10 usuários continuam assistindo após 5 segundos

50%

100%

100% dos 10 usuários continuam assistindo após 10 segundos

75%

50%

50% dos 10 usuários continuam assistindo após 15 segundos

100%

20%

20% (2 de 10) usuários continuam assistindo até o fim do anúncio

Por que as visualizações ou a taxa de visualização não correspondem ao meu quartil quando faço os cálculos manualmente?

Não é possível rastrear o formato do anúncio in-feed manualmente, e dividir 100% dos reproduzidos pelas impressões não corresponde à taxa de visualização. Para anúncios in-feed, impressões = / = "quando o player de vídeo é iniciado".

Uma visualização também é contabilizada quando há engajamento com o vídeo (um clique no URL de visualização, no banner complementar ou nas extensões de anúncio, se houver). Se alguém assistir a apenas 15 segundos de um vídeo de 20 segundos e clicar no URL de visualização para acessar a página de destino, a visualização vai ser considerada e a taxa de visualização vai aumentar. No entanto, como o vídeo não foi assistido até o fim, essa interação não se qualifica para a métrica de "Vídeo assistido até 100%".

Os quartis não são tão precisos quanto o mecanismo que incrementa a contagem de visualizações. O relatório de quartil é útil para mostrar em que parte do vídeo os espectadores param de assistir. Convém não usar esse documento para corroborar sua métrica de visualização e confirmar a precisão de qualquer uma das métricas porque uma pequena variação é provável.

Ações ganhas

Uma ação ganha inclui visualizações, marcações "Gostei", inscritos, adições à playlist e compartilhamentos. Elas ocorrem quando alguém assiste ao anúncio em vídeo e, em até sete dias, realiza uma ação nos seus canais vinculados do YouTube. Não é feita qualquer cobrança pelas ações ganhas. Várias visualizações da mesma pessoa são contabilizadas como uma única visualização ganha.

As ações ganhas informam bastante sobre o valor agregado gratuito que sua campanha ajudou a gerar, demonstrando uma forte afinidade com seu canal ou marca e, muitas vezes, sendo um forte indicador de um cliente de alto valor.

Observação: as ações ganhas podem ocorrer em qualquer canal vinculado à sua conta. Por exemplo, se alguém assistir a um anúncio no Canal A e isso for contabilizado como uma visualização, depois ir até o Canal B e marcar um vídeo com "Gostei", essa marcação também vai ser um ganho, desde que o Canal B esteja vinculado à sua conta do Google Ads.

Por que os relatórios da métrica de visualizações ganhas / inscritos ganhos não estão disponíveis?

Se os anúncios personalizados estiverem desativados em um ou mais canais do YouTube vinculados a uma conta do Google Ads, nenhum relatório das ações ganhas via estar disponível. Os relatórios das ações ganhas são disponibilizados apenas se a caixa "Desativar anúncios com base em interesses" está desmarcada. Para alterar a opção, faça login na sua conta do YouTube e acesse o YouTube Studio. No canto inferior esquerdo, acesse "Configurações" > "Canal" > "Configurações avançadas" > role a tela para baixo até a caixa de seleção "Desativar anúncios com base em interesses".

Verifique se a caixa "Engajamento" está marcada quando você vincula suas contas do YouTube e do Google Ads. Para verificar, acesse a conta do Google Ads, clique em "Ferramentas e configurações" > "Contas vinculadas" > "YouTube". Na coluna "Permissões", você vai ver um marcador para "Engajamento" se essa opção tiver sido ativada quando a conta foi vinculada.

Se você desativar os anúncios personalizados em alguns canais do YouTube e ativar em outros canais, você ainda vai saber quais foram as ações ganhas na conta do Google Ads, mas não de qual canal elas vieram.

Visibilidade e Active View (desambiguação)

A visibilidade está relacionada a todos os tipos de campanha e o foco dela não são os vídeos. Considera-se que um anúncio tem "visibilidade" quando pelo menos 50% da área dele permanece visível por um segundo, para anúncios da Rede de Display, ou por dois segundos, para anúncios em vídeo. Esta métrica está aqui para ser diferenciada de outras métricas relacionadas a vídeos. Saiba mais sobre as métricas de relatórios de visibilidade e do Active View.

Métricas da parcela de impressões de Display

É possível verificar a parcela de impressões de vídeo extraindo as métricas de parcela de impressões, já que o YouTube faz parte da Rede de Display do Google.

A parcela de impressões ajuda você a responder à pergunta: "Do inventário disponível que você pode exibir com base nas configurações e na segmentação da campanha, em quanto disso você está exibindo impressões?". Essa métrica ajuda você a entender o seguinte:

  1. Se a parcela for menor que 100%, isso significa que você pode aumentar o lance ou o orçamento para exibir o anúncio mais vezes. Para saber se é necessário aumentar o lance ou o orçamento, analise as colunas "Parcela de impressões perdidas".
  2. Se a parcela de impressões for de 100%, mas você não estiver gastando todo o orçamento, isso significa que você pode aumentar a segmentação.
  3. Se você notar uma flutuação no volume de impressões, confira "Parc impr perd Rede de Display (class)" (é melhor segmentar por dia nos relatórios). Se você notar uma mudança em um dia em que o tráfego também mudou, provavelmente os concorrentes aumentaram os lances, fazendo com que você perdesse leilões. Aumente os lances para manter a competitividade e vencer leilões nos níveis anteriores.

Métricas de Brand Lift

O Brand Lift não está disponível em todas as contas. Para ativar o Brand Lift, você precisa ter um representante dedicado do Google Ads. Se esse for o caso, fale com essa pessoa para solicitar a ativação. Saiba mais sobre os dados de medição de Brand Lift

Métricas para dar prioridade com base nas metas da campanha

Muitas métricas sobre os tipos de campanha são informadas, mas é preciso priorizar mais algumas delas na hora de avaliar a performance da campanha com base nas metas de campanha selecionadas. Por exemplo, se você exibe uma campanha com o objetivo "Alcance e reconhecimento da marca", as conversões até podem ser informadas, mas essa métrica não seria importante para ajudar você a avaliar a performance da campanha.

Como funcionam as métricas "Alcance e reconhecimento da marca"

Se você tiver selecionado "Alcance e reconhecimento da marca" (ou "Sequência de anúncios em vídeo" em "Consideração de produto ou marca") como objetivo da campanha durante a configuração, além de "Impressões", Alcance único e Frequência de impressão média, as métricas a seguir precisam ser consideradas na hora de avaliar o sucesso da campanha:

  • Custo máximo por mil impressões (CPM máx.): esse é o lance que você definiu para a campanha ou grupo de anúncios. Escolha o valor mais alto que você quer pagar por mil impressões no leilão.
  • Custo médio por mil impressões (CPM médio): ajuda a determinar o valor médio pago por mil impressões. Um bom CPM médio varia de acordo com o país porque há valores mínimos que precisam ser alcançados para lances de CPM.

CPM = custo/(impressões/1.000)

O CPM mostra o custo-benefício dos anúncios com base nas impressões como a meta principal da sua campanha. O CPM vale mais quando usado para comparar anúncios, grupos de anúncios e campanhas (em comparação com uma métrica isolada, que não é tão informativa).

  • "Todas as impressões da sequência de vídeos" (Todas as impr. da seq. de vídeo): o número de impressões das suas campanhas em sequência de anúncios em vídeo combinadas às impressões de outras campanhas que ajudaram no progresso das campanhas em sequência. Como as pessoas passam por uma sequência de anúncios em vídeo independentemente da campanha que está exibindo o vídeo, essa métrica mostra como campanhas fora das campanhas em sequência ajudaram no progresso das sequências, resultando em mais conclusões e menor custo.

O espectador precisa ter recebido pelo menos uma impressão da sequência de vídeos para que uma impressão externa seja incluída aqui. Essa métrica também inclui impressões de contas do Display & Video 360 vinculadas à sua conta do Google Ads.

Como funcionam as métricas "Vendas", "Tráfego do site" e "Leads"

Se você selecionar "Vendas", "Tráfego do site" ou "Leads" como objetivo da campanha durante a configuração, use as métricas a seguir para avaliar o sucesso dela:

  • Conversões de visualização (VTC): registradas quando as pessoas veem uma impressão do seu anúncio (sem que isso seja contabilizado como visualização ou clique) e fazem uma conversão no seu site na janela de conversão, cuja duração é determinada quando a conversão é criada na conta.

Essa métrica exclui automaticamente as conversões de quem interagiu também com um dos seus outros anúncios. A última impressão de um anúncio em vídeo recebe o crédito pela conversão de visualização.

Uma visualização que leva a uma conversão é contabilizada na coluna "Conversões", não na coluna "VTC". As VTCs ajudam você a preencher a lacuna entre a parte superior e a inferior do funil de compra. Se analisa apenas as conversões, você deixa de saber qual o impacto dos anúncios para os usuários que fizeram uma conversão com base apenas em uma impressão.

  • Cliques e taxa de cliques (CTR): os cliques que ocorrem quando alguém interage com seu anúncio e a CTR (cliques/impressões) das campanhas de vídeo normalmente não são considerados uma prioridade, quando comparadas às impressões ou visualizações (se a meta for reconhecimento) ou conversões (se a meta for vendas). É normal que cliques e a CTR sejam baixos em campanhas de vídeo, em comparação com as campanhas de pesquisa.

Não convém usar as métricas de cliques e CTR em campanhas de vídeo para determinar o sucesso de uma campanha. Elas podem indicar o quanto as pessoas realizam uma ação depois de verem um dos seus anúncios, mas a principal métrica usada para atribuir conversões nas campanhas de vídeo é a de "visualizações". Por exemplo, uma campanha precisa de cliques para receber crédito por uma conversão, mas sim de uma visualização.

  • Conversões: nas campanhas de vídeo, as conversões são medidas quando um usuário é contabilizado como uma visualização do seu anúncio e depois realiza uma ação que você definiu como valiosa para você, como uma compra on-line ou uma ligação para sua empresa usando um smartphone. Saiba mais sobre o acompanhamento de conversões.

E os anúncios bumper? Se eles não incrementam a visualização, como podem incrementar a coluna de conversões?

Eles fazem isso apenas se o usuário tiver clicado no anúncio. Se alguém clicar em um anúncio bumper, o clique vai ser incrementado, mas não uma visualização. Se isso gerar uma conversão, eles vão ser contabilizados como uma conversão de visualização.
  • Conversões de visualização engajada (EVC): são contabilizadas não quando a pessoa clica no anúncio em vídeo, mas quando ela assiste a pelo menos dez segundos de um anúncio que pode ser pulado após cinco segundos e, depois, realiza uma conversão na janela de conversão de visualização engajada. Para verificar as informações de EVC no Google Ads, clique em "Segmento > Selecionar conversões > Tipo de evento de anúncio".
    Observação: se uma pessoa que foi contabilizada como uma visualização e uma visualização engajada (assistindo ao mesmo vídeo) fizer uma conversão, ela vai incrementar as colunas "Conversão" e "Conversão de visualização engajada".
    Os vídeos são imersivos e eficazes, mas, diferente de outros formatos de anúncio, os espectadores nem sempre interagem com os anúncios em vídeo na hora, isto é, eles geralmente realizam ações mais tarde, após a sessão de visualização. As EVCs capturam o valor não relacionado a um clique no anúncio de uma forma mais alinhada ao comportamento do espectador engajado na plataforma. Elas seriam um "ponto da parte média-inferior do funil" quando comparadas a "Conversões de visualização" (parte superior do funil, com base no espectador que vê apenas uma impressão primeiro) e a conversões (parte inferior do funil, com base em usuários que contam como uma visualização primeiro).
  • Taxa de conversão (CVR): traz informações sobre a eficiência do anúncio na hora de atrair e fazer com que as pessoas realizem uma conversão após serem contadas como uma visualização. Como muitas outras métricas, uma boa CVR depende muito do setor do anunciante.

CVR = conversões/visualizações

Diferenças entre os dados de visualização do Google Ads e do YouTube Analytics

Observação: é comum, e até um pouco esperado, que haja um pouco de discrepância entre as fontes dos relatórios. As informações abaixo ajudam você a fazer comparações precisas e definir expectativas sobre o que é considerado (a)normal depois de ter certeza que está fazendo uma comparação justa.

Para facilitar o entendimento, adotamos, na seção abaixo, as seguintes abreviaturas:

GA = Google Ads

YTA = YouTube Analytics

PWP = Página de exibição pública (também chamada de contagem de visualizações públicas que você vê abaixo de um vídeo)

YouTube Analytics vs. Página de exibição pública

A Página de exibição pública é preenchida com base nos dados do YouTube Analytics, o que significa que, em geral, essas duas informações são bastante parecidas. No caso de vídeos bastante populares, com muitas visualizações em um curto período, é possível que haja uma pequena variação se você analisar a data de hoje, mas normalmente isso não ocorre se você olhar para dois ou três dias atrás.

Google Ads vs. YouTube Analytics

Embora algumas discrepâncias entre as fontes das informações sejam esperadas, geralmente quando os usuários veem as diferenças nos relatórios, isso acontece porque eles estão investigando um formato de anúncio que não aumenta as visualizações ou estão fazendo uma comparação que não é adequada, isto é, estão comparando duas coisas diferentes. É recomendável descartar o seguinte antes de concluir que as discrepâncias nos relatórios são as esperadas entre as duas plataformas:

  • Confirme se o vídeo tem mais de 10 segundos (preferencialmente precisam ter mais de 11 segundos para evitar problemas): como o YouTube Analytics não monitora as visualizações de vídeos com menos de 10 segundos de duração (elas são reportadas no GA, mas não no YTA), se o vídeo tiver menos de 10 segundos, isso vai resultar em uma discrepância entre o GA e o YTA.
Se o vídeo estiver frações de um segundo acima de 10 segundos (ou seja, 10,2 segundos) mesmo com a compactação após o upload, isso pode fazer com que ele fique um pouco abaixo de 10 segundos. Faça upload de vídeos com mais de 11 segundos para evitar esse problema. A compactação é mínima e imperceptível para quem assiste ao vídeo.
  • Veja se o formato do anúncio tem qualificação para acumular visualizações: conforme descrito na seção de visualizações do artigo, nem todos os formatos de anúncio acumulam visualizações. É esperado que não haja visualizações no Google Ads. Saiba mais sobre visualizações.
  • Verifique se você está comparando o mesmo conjunto de dados:
    • Comparação apenas de visualizações pagas: o relatório "Visualizações" no YTA exibe visualizações orgânicas e pagas, já o GA só mostra as pagas. Para comparar somente as visualizações pagas nas duas plataformas, consulte o relatório de origens de tráfego no YTA e considere apenas a linha de visualizações pagas.
    • Veja se todas as campanhas que usam seu vídeo estão sendo comparadas: por exemplo, digamos que você está analisando as visualizações pagas no relatório de origens de tráfego e descobre que recebeu 1.000 visualizações pagas, mas que, no GA, a campanha mostra apenas 500. Isso pode ocorrer porque o mesmo vídeo está sendo usado como anúncio em outra campanha na mesma conta do GA ou em outra. Confira suas contas para ver se o mesmo vídeo está sendo usado em outras campanhas. O YTA calcularia o valor agregado dessas visualizações.
  • Evite comparar dados muito recentes:
    • Aguarde, pelo menos, 72 horas até que o YTA atualize os dados, já que as informações exibidas nas origens de tráfego têm um atraso de 48 a 72 horas. Se você comparar os dados nos últimos dois ou três dias no relatório de origens de tráfego e encontrar uma discrepância, talvez seja devido a atrasos normais nos dados, e isso vai ser atualizado se você esperar alguns dias. Os dados informados no GA têm atraso de apenas algumas horas.
    • Os dados do YouTube Analytics estão no fuso horário padrão do Pacífico, já os do GA aparecem no fuso horário definido na conta. Visualizar um período mais antigo também ajuda a evitar diferenças de fuso horário.
  • Discrepâncias esperadas: se você já confirmou as informações acima (duração do vídeo, mesma fonte de dados, sem atraso de dados) e ainda há uma discrepância, isso provavelmente tem a ver com algumas origens conhecidas de discrepâncias entre essas duas plataformas:
    1. O player de anúncios do YouTube foi criado para oferecer uma experiência de vídeo de publicidade sem interrupções, e cada milissegundo é importante. Em alguns casos específicos, o fluxo de informações da visualização cria um risco de atrasos, que o player tenta contornar. Para evitar atrasos, as informações de visualizações podem chegar ao GA, mas são interrompidas antes de chegarem ao YTA.
    2. Há várias maneiras de remover visualizações de spam dos dois sistemas. A filtragem de spam do GA é mais rigorosa devido às visualizações que você paga.

Por isso, uma discrepância de 15% a 20% entre as duas origens de relatórios é considerada normal (usando a fórmula |(Visualizações do YT - Visualizações do GA)/Visualizações do YTA | * 100 para calcular a porcentagem de alteração (também conhecida como discrepância)).

Se houver uma discrepância acima desse intervalo, entre em contato com o representante do Suporte do Google (preferencialmente com informações mostrando que você já confirmou todos os pontos acima). Em casos raros, nossas equipes conseguem identificar e corrigir uma fonte direta da discrepância. Porém, se este não for o caso, estes são exemplos úteis para as equipes de engenharia trabalharem em melhorias a longo prazo. Embora o YouTube Analytics seja uma ferramenta de valor agregado cujo uso não tem custo financeiro, reconhecemos sua importância para os anunciantes e estamos trabalhando bastante para alinhar os relatórios que a plataforma gera com os relatórios de visualização do Google Ads. Por enquanto, são esperadas diferenças nas contagens de visualizações informadas por esses dois sistemas. Mesmo assim, as métricas reportadas no Google Ads estão corretas.

Google Ads vs. Página de exibição pública

A Página de exibição pública é preenchida com base nos dados do YTA. Para verificar por que os dados do GA e da PWP não correspondem, faça as mesmas verificações para analisar por que há diferenças no que é informado pelo GA e o YTA (conforme consta na seção acima, Google Ads vs. YouTube Analytics).

Links relacionados:

Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?
Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal
Pesquisar na Central de Ajuda
true
59
false
false