Proteger os dispositivos da empresa

Os administradores querem proteger sua organização e responder a possíveis ameaças de segurança. Ao suspeitar de um problema, eles podem coletar registros de processos e solicitar relatórios remotos de bugs nos dispositivos de propriedade exclusiva da empresa com um único usuário e Android 7.0 Nougat ou versões posteriores.

Observação: no momento, o Gerenciamento de dispositivos móveis do Google não é compatível com registros de execução de processos e relatórios remotos de bugs.

Tipos de registros de processos

Eventos da tela de bloqueio: os administradores podem ver os timestamps das ações de bloqueio e desbloqueio da tela. Também podem ver quais tentativas de desbloqueio foram bem-sucedidas.

Apps em execução: a inicialização de cada aplicativo é registrada, permitindo que os administradores saibam quais aplicativos foram executados. Cada entrada de registro contém o nome do processo do aplicativo, o timestamp da inicialização, o código do usuário, o código do processo e o resumo por e-mail SHA-256 do APK de base do aplicativo.

Comandos ADB: se as Opções do desenvolvedor estiverem ativadas em um dispositivo, os administradores verão os comandos adb push, adb pull, adb shell e adb install que foram usados e os respectivos carimbos de data/hora.

Outros relatórios

Às vezes, um administrador sabe que há um dispositivo comprometido na organização. Ou talvez encontre atividade suspeita ao examinar o registro de um processo. Se for o caso, ele poderá solicitar um relatório remoto do bug e investigar mais.

Por motivos de privacidade, o usuário recebe uma notificação no dispositivo quando um relatório remoto do bug é solicitado. O usuário precisa concordar em compartilhar o relatório do bug. O relatório será gerado no momento exato da solicitação, mesmo que o usuário só autorize o compartilhamento mais tarde.

Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?