Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal
true

Sobre registros de recurso

Registros de recurso fornecem informações com base em DNS sobre os componentes de hardware e software que suportam e apontam para seu domínio (hosts, servidores de nome, servidores da Web, servidores de e-mail).

Cada registro de recurso contém um conjunto de campos:

  • nome — um marcador indicando o nome ou o proprietário do registro. Ele pode ser o nome do domínio raiz (indicado por @) ou um subdomínio (como "www")
  • tipo — o tipo de registro. Por exemplo, registros A (endereço)
  • TTL (Tempo para lançamento) — a frequência na qual uma cópia do registro armazenado em cache (armazenamento local) precisa ser atualizada (coletada do armazenamento total) ou descartada. TTLs mais curtos significam que os registros são coletados com mais frequência (o acesso é mais lento, os dados são mais atuais). TTLs mais longos significam que os registros são coletados com menos frequência (o acesso é mais rápido, os dados são menos atuais). O valor padrão é 1 hora
    Nota: Quando você faz alterações em um registro de recurso, o tempo de propagação da mudança pode ser maior que o tempo TTL. Quando você adiciona um novo registro de recurso, ele ficará visível para a Internet em 5 minutos.
  • dados — os dados do registro, que variam dependendo do tipo de registro. Por exemplo, um endereço IP do host para registros A. Observe que os dados são retornados durante a pesquisa de DNS

Observação: O Google Domains é compatível com a classe de Internet IN por padrão. Portanto, o campo Classe não está incluído.

Tipos de registro de recurso

Além dos registros de recurso de DNS descritos aqui, o Google Domains também é compatível com registros sintéticos que expandem a funcionalidade dos registros de recurso. Para mais informações, consulte Registros sintéticos.

A

Registros A (endereço IPv4) mapeiam o nome de domínio de um host ao endereço IP do mesmo host (mapeamento nome-para-endereço).

@ A 1h 123.123.123.123

Nota: Registros A e AAAA desempenham a mesma função. Os registros A mapeiam para endereços IP versão 4 (IPv4). Os registros AAAA mapeiam para endereços IP versão 6 (IPv6).

AAAA

Os registros AAAA (endereços IPv6) mapeiam o nome de domínio de um host para o endereço IP do mesmo host (mapeamento nome-para-endereço).

www AAAA 1h 2002:db80:1:2:3:4:567:89ab

Nota: Registros A e AAAA desempenham a mesma função. Os registros A mapeiam para endereços IP versão 4 (IPv4). Os registros AAAA mapeiam para endereços IP versão 6 (IPv6).

CNAME

Registros CNAME (nome canônico) mapeiam um alias de nome de domínio para um nome de domínio canônico (verdadeiro). Você pode mapear diversos alias de nome para o mesmo domínio canônico (permitindo que você configure endereços IP de registros A ou AAAA em um único local).

Neste exemplo, www é o alias de domínio e example.com é o domínio canônico (é mapeado para um endereço IP usando registros A).

www CNAME 1h example.com.
example.com. A 1h 123.123.123.123

Neste exemplo, www e FTP são alias de domínios, e server1.example.com. é o domínio canônico (é mapeado para um endereço IP usando registros A).

www CNAME 1h server1.example.com.
ftp CNAME 1h server1.example.com.
server1.example.com. A 1h 123.123.123.123

Os registros CNAME não podem ser definidos para o domínio raiz. Além disso, o destino de um registro CNAME só pode ser um nome de domínio. Caminhos não são permitidos. Se você quiser redirecionar seu domínio raiz ou se o destino desejado for um URL que inclui um caminho, tente uma destas opções:

MX

Registros MX (troca de e-mail) mapeiam um nome de domínio para um servidor de e-mail que recebe e-mails para o referido domínio. Os registros MX identificam quais servidores de e-mail outras pessoas usam para enviar e-mails para um domínio.

Diversos registros MX podem ser configurados para um domínio, cada um com um número de prioridade. Os números menores têm maior prioridade. No exemplo abaixo, se o e-mail não pode ser entregue usando o host com a prioridade mail alta (10), o host com a prioridade mais baixa (20) será usado.

@ MX 1h 10 mailhost1.example.com.
@ MX 1h 20 mailhost2.example.com.

Se os números de prioridade forem os mesmos (10 e 10), os registros MX podem ser usados para equilibrar a carga entre os hosts, que serão escolhidos arbitrariamente.

@ MX 1h 10 mailhost1.example.com.
@ MX 1h 10 mailhost2.example.com.

Observação: O Google Domains não fornece um campo separado para o número de prioridade. Para especificar um número de prioridade, digite o valor no campo de dados seguido pelo host de e-mail (10 mailhost1.example.com.).

NS

Registros NS (servidor de nome) mapeia um nome de domínio ou subdomínio para um servidor de nome. Servidores de nome detêm informações sobre o namespace do domínio e traduz os nomes de domínio nos seus endereços IP correspondentes (fazendo referência aos registros de recurso armazenados com o servidor de nome).

No Google Domains, você criará registros NS apenas para subdomínios. Os registros NS para o seu domínio raiz são gerenciados para você. Para mais informações, consulte Sobre registros de recurso NS (servidor de nome).

ns1 NS 1h ns-cloud1.googledomains.com.
ns2 NS 1h ns-cloud2.googledomains.com.
PTR

Registros PTR (apontador) mapeiam o endereço IP de um host para o nome de domínio canônico (verdadeiro) para um host (mapeamento endereço-para-nome). No processo conhecido como busca DNS reversa, o endereço IP é escrito ao contrário e anexado ao domínio de nível mais alto do Address and Routing Parameter Area (ARPA).

Registros PTR são usados como um dispositivo de segurança e como uma medida anti-spam. Servidores de e-mails e outros tipos podem fazer buscas DNS reversa para verificar as identidades dos hosts.

Geralmente, você não gerenciará PTR por meio do Google Domains, porque eles precisam ser configurados pelo proprietário do bloco de endereço IP (geralmente seu Provedor de Serviços de Internet [ISP, na sigla em inglês]). Diferentes proprietários de bloco de IP têm diferentes procedimentos para solicitar esses recursos. Entre em contato com seu provedor para mais informações.

O Google Domains é compatível com registros PTR que residem na zona DNS correspondente ao seu domínio. Isso permite que seu ISP crie registros CNAME que delegam à nossa equipe a responsabilidade pelas buscas reversas desses endereços específicos.

Se o seu provedor delegar um PTR a você, ele criará um registro CNAME que aponta para um registro PTR que você gerencia por meio do Google Domains. Por exemplo, suponha que os registros A do seu servidor sejam assim:
www     A     1h     111.222.33.4

Para delegar o registro PTR a você, seu provedor precisa configurar o CNAME a seguir. Observe que a ordem dos quatro números do endereço IP foi invertida:
4.33.222.111.in-addr.arpa.    CNAME     1h     ptr_www.example.com.

No Google Domains, você configuraria o registro PTR a seguir:
ptr_www     PTR     1h     www.example.com.

Quando esses recursos são configurados, solicitações para fazer buscas reversas no endereço IP 111.222.33.4 serão direcionadas primeiro para o registro do seu provedor 4.33.222.111.in-addr.arpa., que o redirecionará para ptr_www.example.com.. Esse, por sua vez, informará ao solicitante que 111.222.33.4 corresponde a www.example.com.

Como um exemplo semelhante para endereços IPv6, se o registro AAAA do seu servidor for assim:
www     AAAA     1h     202:db80:1:2:3:4:567:89ab

o endereço IPv6 totalmente especificado é 0202:db80:0001:0002:0003:0004:0567:89ab. Para obter o registro CNAME que precisa ser configurado pelo provedor, inverta esse endereço (por dígitos, ignorando os dois pontos), coloque pontos entre cada dígito e anexe .ip6.arpa. (incluindo o ponto final):
b.a.9.8.7.6.5.0.4.0.0.0.3.0.0.0.2.0.0.0.1.0.0.0.0.8.b.d.2.0.2.0.ip6.arpa.     CNAME     1h     ptr_www.example.com.

Observação: O Google Domains não é compatível com a delegação direta de bloco de endereços a partir do ISP. Você precisará usar o DNS do Google Cloud para criar e armazenar os registros. Você não precisa mover TODOS os seus DNS para o DNS do Google Cloud, apenas os registros PTR.

Para mais informações sobre o DNS do Google Cloud, consulte:

SOA

Os registros SOA (início de autoridade) são usados pelos Servidores DNS do Google para armazenar informações sobre seu domínio, a fim de ajudar a gerenciar o tráfego entre os servidores de nome. Eles normalmente incluem o servidor de nome, a conta de administração do servidor de nome, o número de série do servidor de nome, a taxa de atualização do arquivo da zona, o período de espera da tentativa de atualização e a expiração de arquivo de zona.

Registros SOA são gerenciados pelos servidores de nome e não podem ser visualizados ou editados no Google Domains.

SPF

SPF (sender policy framework) é um método técnico de padrão aberto. O SPF especifica os servidores de e-mail que podem enviar e-mails a partir de um domínio.

Quando um servidor de e-mail envia um e-mail, o servidor de recebimento busca o SPF do domínio. Se o e-mail foi enviado por um servidor de e-mail listado no SPF, o servidor de recebimento aceitará o e-mail.

Em partes, o SPF evita spams por e-mail causados por endereços de remetentes forjados, pois e-mails de um domínio não serão aceitos a menos que o servidor de envio esteja incluído na lista de SPF do domínio.

O SPF usa registros TXT (texto) para mapear um nome de domínio para um ou mais servidores de e-mail. O registro TXT incluirá a tag SPF v=spf1 e outros qualificadores, mecanismos e modificadores de SPF (consulte www.openspf.org).

@ SPF   “v=spf1 +a:mailhost3.example.com +a:mailhost4.example.com –all”   
mail3   A 1h 123.123.123.7
mail4   A 1h 123.123.123.9
SRV

Registros SRV (serviço) mapeiam um serviço ou um servidor específico para um nome de domínio. O registro SRV torna possível localizar um serviço sem ter que saber em qual host o serviço está sendo executado.

Neste exemplo, o registro de serviço _http._tcp.example.com. inclui o serviço http, o protocolo em que o serviço é executado em tcp e o nome de domínio example.com. O registro é mapeado para o domínio www.example.com., que, por sua vez, é mapeado para um servidor da Web (o host com endereço IP 192.251.50.110). O registro tem uma prioridade de 10 (quanto mais baixo melhor), um peso de 5 (para equilibrar a carga entre registros com a mesma prioridade) e um número de porta 8080 que especifica em qual porta o serviço pode ser encontrado.

_http._tcp.example.com. SRV 1h 10 5 8080 www.example.com.
www A 1h 192.251.50.110

Observação: O Google Domains não fornece um campo separado para os números de prioridade/peso/porta. Digite esses valores no campo de dados (cada um separado por um espaço) seguido do nome do serviço (10 5 8080 www.example.com.).

TXT

Registros TXT (texto) contêm informações arbitrárias, na forma de texto legível por humano ou por máquina, que podem ser adicionadas a um registro de recurso.

A TXT 1h "Este é meu domínio."
Este artigo foi útil para você?
Como podemos melhorá-lo?