O que é latência e por que ela afeta os cliques do Google Ads e as sessões Analytics

Se ainda houver uma discrepância de cliques/sessões difícil de explicar depois que você ler os artigos acima, é possível que a causa do problema seja a latência. Normalmente, os problemas de cliques e sessões relacionados à latência possuem os atributos a seguir:

  • A discrepância de cliques/sessões não é restrita a uma campanha, palavra-chave ou grupo de anúncios específico.
  • Em todas as campanhas ativas do Google Ads, você vê uma contagem reduzida consistente de Sessões em comparação com Cliques.
  • A segmentação por dispositivo, por exemplo, computador, tablet e celular, mostra uma discrepância que persiste em várias plataformas.
Tópicos deste artigo:

Por que é importante ser rápido?

Como regra geral, usuários da Internet não têm muita paciência. Isso ficou evidente em estudos como o estudo da KissMetrics, que coletou algumas declarações como: "Um atraso de um segundo na resposta da página pode resultar em uma redução de 7% nas conversões." e "47% dos consumidores esperam que uma página da Web seja carregada em dois segundos ou menos."

Como isso afeta você? Se o carregamento do seu website for muito lento, é possível que os usuários saiam dele e acessem os websites dos seus concorrentes, especialmente se as outras empresas oferecerem o mesmo conteúdo com rapidez.

A posição é importante

Sempre recebemos perguntas sobre onde o código de acompanhamento do Analytics deve ser inserido no código-fonte HTML de uma página. A resposta depende da precisão com que você deseja avaliar os usuários que rejeitam seu website. Se depois do clique o registro de uma sessão leva muitos segundos, é muito provável que algumas dessas sessões não sejam acompanhadas. Em geral, é recomendável inserir o código de acompanhamento imediatamente antes da tag de fechamento </head>.

Consequências da lentidão

Cliques breves: um clique breve ocorre quando o usuário clica em um anúncio e, antes que a solicitação do código de acompanhamento do Analytics seja disparada, ele clica no botão "Voltar" ou fecha o navegador. O Google Ads registra o clique, mas o Analytics não registra uma sessão correspondente.

De modo geral, quanto mais lenta for a resposta do website e quanto maior for o número de solicitações exibidas antes do snippet do Analytics, maior será a probabilidade de você ter problemas com cliques breves e dados de sessões ausentes.

Além disso, os cliques breves também representam usuários que rejeitam o website. Desse modo, se você não acompanhar essas sessões com rejeição, sua taxa de rejeição poderá ficar artificialmente baixa.

Cliques breves e dispositivos móveis: como regra geral, os dispositivos móveis operam em uma infraestrutura de rede mais lenta (redes de conexão 3G) do que a maioria das conexões usadas em computadores (ADSL / cabo). Se você segmenta dispositivos móveis, um website de resposta rápida é ainda mais essencial para evitar cliques breves.

Uma solução de curto prazo para cliques breves

Uma solução de curto prazo é tentar inserir o snippet de acompanhamento do Analytics na posição mais alta possível do código-fonte HTML. O ideal é inseri-lo acima de todos os outros arquivos JavaScript.

Na captura de tela acima, é possível ver que há várias solicitações de arquivos JavaScript que precisam ocorrer (tags síncronas) antes da execução do snippet de acompanhamento do Analytics. Falaremos sobre as técnicas de otimização posteriormente. Por enquanto, uma solução de curto prazo seria inserir o snippet de acompanhamento do Analytics acima dos outros arquivos JavaScript. No entanto, não há motivo para preocupações: o Analytics não reduzirá o tempo de renderização da página porque usamos uma tag JavaScript assíncrona. Desse modo, ela não impede que sua página seja renderizada, mesmo que haja um atraso do servidor do Analytics.

Essa é uma solução temporária porque ajuda a registrar sessões que seriam perdidas quando os usuários deixassem sua página em pouco tempo, já que o snippet do Analytics não é executado inicialmente. No entanto, convém manter os usuários que rejeitam seu website em longo prazo e corrigir o problema subjacente, que é a lentidão na resposta do website.

Como saber se há lentidão?

Como mencionado acima, a inserção do código de acompanhamento do Analytics em uma posição superior no código-fonte HTML é útil até certo ponto, mas ter um website que responda mais rapidamente também é importante.

Então, como saber se seu website é lento?

Teste 1

Com um cache vazio (limpe o cache e os cookies se quiser), abra uma nova guia, insira o URL de destino na barra de endereço do navegador e abra as ferramentas do Chrome para desenvolvedores na guia Rede.

Carregue o website e veja a lista de solicitações. A aparência dela deve ser semelhante a esta:

Procure _utm.gif (Analytics clássico) ou a coleta (Universal Analytics) e observe a seção do cronograma à direita. Na ilustração acima, você pode ver que levou cerca de oito segundos desde a primeira solicitação (em que um clique seria registrado) até a solicitação do Analytics (em que uma sessão seria registrada).

Se um usuário clicar no botão "Voltar" durante esses oito segundos, será possível que o Analytics não registre uma sessão nesse website, mas o Google Ads registrará o clique.

Lembre-se da citação da KissMetrics: "Metade de todos os usuários esperam que uma página seja carregada em dois segundos ou menos." É possível fazer melhorias nesse website.

Teste 2

O Analytics captura automaticamente dados do tempo de carregamento da página como parte dos Relatórios de velocidade do site.

Com esse relatório, você pode se concentrar em URLs de destino específicos do Google Ads para saber o desempenho deles com relação à latência. Nesse exemplo em particular, vemos que a velocidade do site está em torno de 25 segundos para o URL em questão. Essa velocidade é muito lenta.

Veja como a taxa de rejeição dessa página também é alta. Portanto, embora esse URL de destino já gere cliques breves (isto é, rejeições), aqueles que são registrados também têm uma taxa de rejeição alta, e isso não é bom.

A velocidade de carregamento ideal da página deve ser em torno de três a quatro segundos.

Embora os Relatórios de velocidade do site sejam uma boa indicação do tempo de carregamento da página, por padrão, a amostra se baseia em apenas 1% do tráfego. Se você tem um número relativamente pequeno de usuários que acessam seu site todos os dias, como 100.000 ou menos, convém ajustar a amostragem para uma taxa maior, por exemplo, 5%. Essa configuração aumenta a granularidade do tempo de carregamento da página e de outras métricas de velocidade do site.

Lembre-se de que essa estratégia cria uma solicitação adicional que, em quase todos os casos, não deve afetar negativamente a experiência do usuário.

Como aumentar a rapidez?

Os Relatórios de velocidade do site do Analytics agora fornecem sugestões de velocidade do site. Insira seus URLs de destino mais clicados para ver sugestões sobre como tornar essas páginas mais rápidas.

Remover redirecionamentos ou atualizar URLs de destino

Mesmo que os redirecionamentos preservem o parâmetro de codificação automática do Google Ads e o transmitam ao URL de destino final, os redirecionamentos acrescentam mais latência entre o clique e o momento em que a sessão pode ser registrada pelo Analytics.

Em alguns casos, os proprietários de sites têm vários redirecionamentos entre o clique do Google Ads e o URL de destino final.

Atualize o URL de destino do Google Ads para refletir o URL de destino final de modo que os redirecionamentos não sejam necessários.

Em alguns casos, os clientes usam um serviço intermediário, como um servidor de cliques, para registrar o clique do Google Ads. Essa opção é usada frequentemente por plataformas de relatórios de terceiros.

Entendemos que você quer gerar relatórios em várias plataformas, mas esse serviço pode atuar como um gargalo e deixar a experiência do usuário mais lenta. Se você estiver com dificuldades relacionadas a sessões e cliques registrados no Google analytics, recomendamos tentar remover esse serviço de acompanhamento de cliques por um tempo limitado para ver se a proporção entre cliques e sessões melhora. Depois, reavalie se deseja continuar com o acompanhamento na plataforma de terceiros ou procurar um fornecedor que seja mais rápido.

CSS Sprites

Os CSS Sprites podem substituir várias solicitações de imagens.

Observe como o website da ilustração acima tem várias solicitações de imagens (arquivos .png) para arquivos e ícones de imagens pequenas. A vantagem dos CSS Sprites é simples: em vez de usar várias solicitações de imagens, coloque todas essas imagens em uma única solicitação (uma imagem maior) e use o CSS para controlar quais partes da imagem são exibidas em determinadas áreas do website. Uma única solicitação de imagem grande é mais rápida do que várias solicitações de imagens pequenas.

Usar uma CDN (Rede de fornecimento de conteúdo)

Uma Rede de fornecimento de conteúdo é uma ótima maneira de aumentar a velocidade do website e, ao mesmo tempo, torná-lo mais escalável e confiável. Ela distribui o conteúdo e os arquivos mais acessados do seu website e os coloca em vários servidores em todo o mundo.

Normalmente, um serviço de hospedagem na Web tem um local físico fixo, por exemplo, na Califórnia. Isso é bom para os usuários que estão na Califórnia, pois eles receberão conteúdo do seu website rapidamente, mas e quanto aos usuários que estão na Austrália ou na Europa? Eles terão mais latência ao aguardar os arquivos da Califórnia. No entanto, com o uso de uma CDN (Rede de fornecimento de conteúdo), esses usuários poderão receber arquivos de um servidor mais próximo de seu local físico.

Ao distribuir seu website entre vários servidores em todo o mundo, você também é menos afetado por interrupções ou outros problemas de infraestrutura.

Uma CDN é ótima para conteúdos que geralmente permanecem estáticos ou não mudam com frequência, como arquivos JavaScript, CSS, HTML e imagens ou vídeos. Ela também compacta esses arquivos no menor tamanho possível por meio da remoção do espaçamento entre linhas em arquivos JavaScript, CSS e HTML.

O Google oferece seu próprio serviço de CDN, o Google PageSpeed.

Compactar arquivos HTML, CSS e JS

Se você não quiser usar um serviço de CDN (mencionado acima), pode encontrar vários módulos, plug-ins e serviços da Web gratuitos que compactam conteúdo automaticamente por meio da remoção do espaçamento entre linhas e da compilação de vários arquivos (por exemplo, arquivos CSS) em uma única solicitação.

Armazenar solicitações comuns em cache

Uma pilha conhecida de servidores da Web usa Linux Apache MySQL PHP (LAMP).

No diagrama acima, podemos ver que há várias etapas envolvidas na exibição de uma página renderizada por HTML para o usuário:

  • O servidor da Web recebe a solicitação
  • Em seguida, o servidor da Web envia a solicitação por PHP, que define quais arquivos ou linhas do banco de dados devem ser acessados
  • O PHP coloca tudo em um pacote e cria a página HTML relevante que é exibida para o usuário

Como o armazenamento em cache pode ajudar

Em muitos casos, o conteúdo das suas páginas não muda sempre que um usuário solicita a página, por exemplo, uma página de Perguntas frequentes. Em vez de passar por todo o processo no diagrama acima, podemos criar a página uma vez e armazená-la em cache como um arquivo HTML temporário. Desse modo, o servidor da Web não precisa repetir a mesma tarefa de geração de uma página via PHP e consultar um banco de dados várias vezes. Em vez disso, ele pode veicular um arquivo HTML estático para a maioria dos usuários. Assim, o servidor da Web não precisa realizar várias tarefas constantemente, e a velocidade do seu website aumenta para todos.

Há vários módulos gratuitos disponíveis que realizam essa tarefa para seu website.

Embora o exemplo acima mencione o PHP, muitos outros servidores da Web funcionam com um princípio semelhante e provavelmente têm módulos semelhantes disponíveis para realizar essa forma de armazenamento de página em cache.

Avaliar a possibilidade de usar ajax e plug-ins como Infinite Scroll ou Lazy Load for Jquery

Você já notou que alguns websites carregam conteúdo à medida que você rola a página para baixo? O YouTube faz isso com miniaturas de vídeos relacionados, e a seção de comentários é limitada aos primeiros resultados, a menos que você solicite a exibição de comentários adicionais.

O uso apropriado dessas técnicas pode reduzir o tamanho da solicitação inicial de página e permitir que os usuários comecem a interagir com suas páginas imediatamente. Se eles quiserem visualizar mais conteúdo, poderão rolar a página para baixo e acionar o carregamento de itens adicionais.

Você deve considerar vários problemas de usabilidade e acessibilidade ao implementar esse tipo de solução. Consulte a documentação do LazyLoad e do InfiniteScroll para saber mais.

Compactação Gzip

Navegadores da Web mais antigos não eram compatíveis com essa forma de compactação de página (HTML, CSS, JavaScript etc.), mas os navegadores mais recentes são, incluindo aqueles para dispositivos móveis. A melhor parte desse recurso é a facilidade com que ele pode ser usado.

Saiba mais sobre o Gzip neste vídeo.

Fazer upgrade para o Universal Analytics

Se você ainda não fez upgrade do Analytics clássico (ga.js) para o Universal Analytics (analytics.js), convém migrar para a plataforma mais recente do Analytics. Além de oferecer acesso aos recursos de produtos mais recentes, o Universal Analytics apresenta algumas melhorias no desempenho que vale observar:

  • Biblioteca de códigos de acompanhamento com base em módulo: o analytics.js possui módulos externos, como comércio eletrônico, que não são mais incluídos para todos os websites (essa é a forma como o ga.js funciona). Isso reduz a presença do analytics.js com relação ao tamanho do arquivo, o que resulta em uma maior velocidade de transferência de arquivos.
  • Redução na dependência dos cookies: agora o Universal Analytics calcula dados da campanha e da sessão no lado do servidor (não no lado do cliente). Isso reduz a quantidade de dados de cookies transferidos para cada solicitação de arquivo. Desse modo, pode haver um aumento pequeno, porém perceptível, no desempenho.

Servidor de hospedagem da Web mais rápido

Você pode perder negócios por ter um website lento. Avalie a possibilidade de fazer upgrade para um servidor de hospedagem na Web mais rápido.

Dicas e sugestões adicionais

Este artigo não abrange todas as técnicas de otimização disponíveis, mas nós certamente podemos indicar muitas outras. Consulte esta documentação para ver dicas e sugestões adicionais.

Por fim, lembre-se de que você pode melhorar a velocidade e a resposta do seu website, mas, em alguns casos, enfrentar problemas com conexões da Internet e redes móveis lentas dos usuários. Essa situação ocorre com mais frequência em regiões remotas e rurais e em países em desenvolvimento com infraestrutura de telecomunicações limitada ou antiga.

O melhor que você pode fazer nessas circunstâncias é tornar seu website o mais responsivo possível. Entretanto, até mesmo o website com a melhor otimização pode sofrer com cliques breves devido a conexões lentas dos usuários.

Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?

Precisa de mais ajuda?

Faça login e veja mais opções de suporte para resolver o problema rapidamente.