Sobre as tabelas personalizadas

Receba dados sem amostragem rapidamente para seus conjuntos de dados mais importantes.
Esse recurso está disponível apenas no Google Analytics 360, que faz parte da Google Marketing Platform.
Saiba mais sobre essa plataforma.

O Google Analytics pode coletar uma amostra dos dados para fornecer a você acesso mais rápido aos seus relatórios padrão e personalizados. No entanto, algumas vezes você precisa acessar todos os dados de um determinado conjunto de métricas e dimensões. Com as tabelas personalizadas, você especifica uma combinação de métricas, dimensões, segmentos e filtros que deseja que o Google Analytics processe sem amostragem diariamente. Os relatórios que corresponderem a um subconjunto da configuração1 da sua tabela personalizada acessarão essa tabela, por padrão, fornecendo dados sem amostragem de forma rápida.

Neste artigo:

Exemplo

Você tem um relatório personalizado que se baseia nos dados de um grande número de sessões. Portanto, ele sempre usa amostras. As dimensões dele são Cidade e Navegador, e as métricas são Sessões, Exibições de página e Taxa de rejeição. Você pode criar uma tabela personalizada que inclua essas dimensões e métricas. A partir da data de criação da tabela, o Google Analytics coletará dados sem amostragem para seu relatório personalizado.

Permissões e limites

Para criar tabelas personalizadas, é necessário ter permissão de edição no nível da propriedade. Você pode criar até cem tabelas personalizadas por propriedade. É possível ver o uso da cota da sua propriedade a qualquer momento acessando Tabelas personalizadas no nível da propriedade, na seção Administrador. Nela você também pode visualizar todas as tabelas personalizadas criadas por outros editores da sua conta.

Qualquer usuário com pelo menos acesso de leitura e análise à vista na qual você criou uma tabela personalizada pode ver o relatório gerado a partir dela.

Além disso, as tabelas personalizadas, assim como as tabelas padrão processadas diariamente, têm um limite de linhas exclusivas de dados que podem ser armazenadas por dia. No entanto, diferentemente das tabelas padrão, as tabelas personalizadas possuem um limite de um milhão de linhas exclusivas por dia, 925 mil linhas a mais que o limite normal de 75 mil linhas para os clientes do Google Analytics 360. Quando há mais de um milhão de linhas exclusivas por dia para uma determinada tabela, o Google Analytics armazena os primeiros N valores3 e cria uma linha "(other)" para as combinações de valores restantes. Leia Entradas "(other)" nos relatórios para mais detalhes sobre a linha "(other)".

Dados que você pode incluir

Nem todas as métricas e dimensões podem ser incluídas em uma tabela personalizada, nem todos os relatórios podem se beneficiar das tabelas personalizadas. Não é possível incluir segmentos com base em usuários. Devido à maneira como os dados são armazenados ou acessados nos relatórios a seguir, eles não podem usar dados de tabelas personalizadas: Visualização de navegação, Otimização de mecanismos de pesquisa, Funis multicanal e Atribuição.

Processamento e disponibilidade

Depois que você cria uma tabela personalizada, pode levar até dois dias para que os dados não amostrados sejam exibidos nos relatórios Tabelas personalizadas. A essa altura, você teria dados de dois dias a partir da data de criação da tabela.

O Google Analytics também adiciona dados do histórico referentes aos 30 dias anteriores à data de criação da tabela. Em circunstâncias normais, esses dados do histórico ficariam disponíveis no mesmo momento que os dados novos sem amostragem (em aproximadamente dois dias). No entanto, se sua propriedade estiver passando pela manutenção de rotina realizada pelo sistema do Google Analytics, poderá levar até 40 dias para que esses dados apareçam. Durante esse período, é exibida mensagem na tabela informando sobre a manutenção.

Depois que você cria uma tabela personalizada, o Google Analytics tenta acessar os dados para as consultas que usam as mesmas dimensões e métricas ou um subconjunto delas, por exemplo: para relatórios personalizados ou quando você usa a API do Google Analytics.

No entanto, dependendo da combinação de métricas e dimensões, existem casos em que o Google Analytics não é capaz de usar dados de tabelas personalizadas e faz a consulta com dados padrão de tabelas agregadas. Dessa forma, esses resultados de consulta podem incluir um grau de amostragem maior do que o esperado. Portanto, recomendamos que suas consultas da API e seus relatórios personalizados correspondam às definições da tabela personalizada sempre que possível. Dessa forma, você evita esse maior grau de amostragem.

Para acessar dados sem amostragem adicionais do histórico, é possível fazer o download dos Relatórios sem dados de amostra.

Recursos relacionados

1Um relatório poderá acessar os dados de uma tabela personalizada se corresponder a um subconjunto de métricas, segmentos e filtros da tabela. Uma tabela personalizada pode incluir mais métricas, segmentos e filtros do que for especificado no relatório, mas a tabela personalizada precisa incluir pelo menos todas as métricas, segmentos e filtros no relatório.

3As principais combinações de valor são determinadas classificando a tabela por métrica relevante (por exemplo, "Sessões", "Pageviews", "Transações" etc.). Combinações de valores de dimensão de volume mais baixo são agregadas à entrada (outras).

Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?