Políticas de Gestores de Conteúdos

O YouTube está empenhado em garantir que o ecossistema de gestão de conteúdos seja simples, justo e isento de abusos. Para alcançar este objetivo, criámos várias políticas que regem a utilização das funcionalidades disponíveis para gestores de conteúdos através do sistema de gestão de conteúdos (CMS). Todos os gestores de conteúdos são responsáveis por fazer com que os proprietários do conteúdo cumpram estas políticas e normas.

O que acontece se violar as nossas Políticas de Gestores de Conteúdos

Perde o acesso a funcionalidades do CMS

Os parceiros que utilizem indevidamente ou abusem das funcionalidades do CMS perdem o acesso às mesmas. Normalmente, esta ação é temporária e ocorre durante um período de tempo definido que varia consoante a política. Sempre que possível, iremos avisar quando estiver em risco de incorrer numa violação. Se violar uma destas políticas, também irá receber um email sobre a violação. O seu gestor de parceiros terá informações acerca dos detalhes específicos e dos passos seguintes. Se não tiver um gestor de parceiros, pode contactar a equipa de apoio técnico para criadores para obter mais informações.

Violações repetidas e flagrantes

Levamos estas políticas muito a sério. Os parceiros que violem de forma repetida e flagrante as nossas Políticas de Gestores de Conteúdos enfrentarão penalizações mais pesadas. Estas penalizações podem incluir perder o acesso a funcionalidades adicionais do CMS, perder funcionalidades específicas durante períodos de tempo mais longos ou perder totalmente o acesso ao CMS e rescindir quaisquer contratos com o YouTube.

Em alguns casos, podemos emitir um "aviso final" para cumprir as nossas políticas. Os gestores de conteúdos que recebam uma notificação de aviso final oficial perdem o acesso à maioria das funcionalidades do CMS até serem aprovados numa auditoria de abuso no ano seguinte. Quaisquer violações adicionais das nossas Políticas de Gestores de Conteúdos no ano seguinte, bem como a não solicitação e aprovação de uma auditoria de abuso, colocam os respetivos contratos em risco de rescisão.

Propriedade de vários proprietários do conteúdo

Tenha em atenção que, se tiver uma participação maioritária em vários gestores de conteúdos no YouTube, as violações incorridas por um deles podem resultar em penalizações para todos os gestores de conteúdos da sua propriedade. 

Políticas Gerais de Gestores de Conteúdos

Estas políticas aplicam-se a todos os parceiros com acesso ao CMS do YouTube.

Responsabilidade do canal
Os gestores de conteúdos são responsáveis por garantir que o conteúdo de todos os canais associados ao respetivo gestor de conteúdos cumpre as diretrizes e as Políticas de Conteúdos do YouTube. Isto inclui o conteúdo carregado em canais pertencentes e explorados (P&E), bem como afiliados. Se os canais de um gestor de conteúdos forem encerrados ou perderem os privilégios de rentabilização devido a violações de políticas, o parceiro em questão será penalizado em todas as respetivas contas de gestor de conteúdos.

Requisitos da política:

  • Os gestores de conteúdos têm de manter o número de eventos de abuso ao nível do canal (por exemplo, rescisão e anulação de rentabilização) em todas as respetivas contas de proprietário do conteúdo P&E e afiliadas abaixo dos 50 eventos distintos por período de 90 dias.
  • Se o número de eventos ultrapassar este limite, os proprietários do conteúdo perdem a capacidade de associar canais até o total final descer para menos de 50.

    Nota: os parceiros que continuem a acumular eventos de abuso adicionais além dos 50 iniciais podem enfrentar penalizações mais pesadas.

O que pode fazer para seguir a política:

  • Informe os canais que gere sobre as regras da comunidade do YouTube e as diretrizes para conteúdo adequado para publicidade, e certifique-se de que agem de acordo com os Termos de Utilização do YouTube.
  • Não associe mais canais às suas contas de proprietários do conteúdo do que aquelas que consegue gerir.
  • Certifique-se de que tem processos de controlo adequados para os novos canais no seu proprietário do conteúdo.
  • Se tiver problemas recorrentes com determinadas áreas de conteúdo, tente focar-se naquilo que faz bem
  • Se estiver a ter problemas com canais associados no cumprimento desta política, contacte o seu gestor de parceiros.

Pode saber mais sobre as advertências por violação das regras da comunidade e outros problemas ao nível do canal no Centro de Ajuda.

Política de Entrada de Canal
Espera-se que os gestores de conteúdos tenham relações com canais de criadores antes de adicionarem os canais em questão à respetiva rede. Os gestores de conteúdos que, entre outras coisas, integrem criadores através de formas de spam ou desonestas, ou abusem dos privilégios de associação de canais, podem perder o acesso a funcionalidades do CMS.

Requisitos da política:

  • Os gestores de conteúdos devem manter uma taxa de aceitação superior a 90% no que se refere aos convites de associação de canais em cada mês.
  • Os gestores de conteúdos que tenham uma taxa de aceitação inferior a 90% perdem o acesso à associação de canais durante 1 mês.

O que pode fazer para seguir a política:

  • Envie os seus convites no início do mês. Esta ação permite que os criadores tenham tempo suficiente para aceitar o convite.
  • Apenas envie convites a canais que conhece e com quem realmente tem uma relação comercial.
  • Contacte criadores e relembre que devem aceitar os convites, se necessário.
Contornar sistemas
Confiamos nos gestores de conteúdos para gerir os direitos e o conteúdo em nome dos proprietários do conteúdo, resolver os problemas na respetiva rede e utilizar o CMS do YouTube de forma responsável. Esta confiança estende-se às funcionalidades incorporadas no CMS do YouTube. Os gestores de conteúdos que abusem destas funcionalidades para contornar os processos e os sistemas estabelecidos do YouTube violam esta confiança e prejudicam todo o ecossistema do YouTube.

Requisitos da política:

  • Os gestores de conteúdos estão proibidos de participar em práticas que tentem contornar ou interferir nos sistemas, processos ou políticas do YouTube.
  • A violação desta política é considerada um abuso flagrante e pode resultar na cessação de toda a família do proprietário do conteúdo.

Exemplos de violações desta política podem incluir:

  • Utilizar o CMS para rentabilizar de forma inadequada conteúdos que não são elegíveis para rentabilização no YouTube. Isto inclui conteúdo que viole as nossas diretrizes de segurança da comunidade e da marca, bem como conteúdo proibido pelas leis e regulamentos aplicáveis.
  • Adicionar manualmente a sua propriedade a recursos do Content ID sobre os quais não tem um interesse legítimo na propriedade intelectual, mesmo que temporariamente.
  • Utilizar a reivindicação manual do Content ID para contornar o processo de resolução de conflitos de reivindicação.
Política de Advertências por Violação de Direitos de Autor aos Gestores de Conteúdos
Quando um canal recebe uma advertência por violação de direitos de autor, aplicam-se penalizações ao nível do canal. Os parceiros devem evitar acumular advertências por violação de direitos de autor nos canais que gerem. Caso contrário, aplicam-se penalizações aos seus gestores de conteúdos, além das que resultam de Políticas de Advertências do Canal existentes. As penalizações por advertências a parceiros limitam o acesso a funcionalidades. Isto afeta tanto o proprietário do conteúdo como os proprietários do conteúdo associados.

Requisitos da política:

Se um parceiro receber 10 advertências por violação de direitos de autor nos canais geridos num período de 90 dias, fica sujeito a uma revisão mais detalhada, cujos resultados podem incluir a perda da capacidade de associar canais e carregar vídeos, e a cessação do contrato de parceria. Após 90 dias, as advertências por violação de direitos de autor expiram e são removidas do canal e do total do proprietário do conteúdo. O YouTube também se reserva o direito de, em qualquer momento e a seu critério, avaliar e tomar medidas em relação a abusos.

O que pode fazer para seguir a política:

  • Tenha cuidado ao escolher os canais que gere. Evite adicionar canais que possam representar riscos para o seu total de advertências.
  • A maioria dos parceiros tem um melhor desempenho quando mantém o número de canais num proprietário do conteúdo P&E abaixo dos 120.
  • Informe os canais que gere sobre os direitos de autor e certifique-se de que agem em conformidade com as políticas do YouTube.
  • Mantenha sempre o devido controlo interno à medida que aumenta o número de canais que gere.
Pode consultar as advertências de parceiros em qualquer momento na sua conta do YouTube. Se considerar que qualquer das advertências por violação de direitos de autor é inválida, pode saber mais sobre contranotificações ou pedidos de retirada de reivindicações.
Pode saber mais sobre as advertências por violação de direitos de autor no Centro de Ajuda.

Políticas do Content ID

Estas políticas aplicam-se aos parceiros que têm acesso ao sistema de correspondência do Content ID. Pode saber mais sobre a qualificação para o Content ID no Centro de Ajuda.

Política de Fornecimento de Referências para o Content ID
Os gestores de conteúdos apenas devem fornecer ficheiros de referência que sejam adequados para a correspondência do Content ID. As referências inválidas são prejudiciais para os criadores e para o ecossistema de gestão de direitos do YouTube. Pode ler mais sobre que tipo de conteúdo é elegível para o Content ID no Centro de Ajuda.

Requisitos da política:

  • Todos os gestores de conteúdos devem manter as referências do Content ID inválidas num nível < 1% do respetivo catálogo do proprietário do conteúdo e não devem exceder as 500 referências inválidas num período de 30 dias.
  • Os proprietários do conteúdo que ultrapassem este limite podem ter o fornecimento de referências limitado ou desativado.
Política de Reivindicação Manual do Content ID
A reivindicação manual é uma funcionalidade que permite aos proprietários do conteúdo reivindicarem manualmente vídeos que contenham conteúdo dos mesmos, quando tal não ocorre automaticamente com o sistema do Content ID. O acesso à reivindicação manual é um privilégio concedido a parceiros que demonstrem uma grande necessidade numa base seletiva. Para garantir um ecossistema saudável e justo, que seja consistente com as quatro liberdades do YouTube, esta ferramenta sensível tem requisitos estritos que regem o respetivo uso autorizado.

Restrições sobre como reivindicar o conteúdo:

  • É necessário realizar uma revisão humana do conteúdo do utilizador antes de enviar uma reivindicação manual.
    • Não é permitido automatizar o processo de reivindicação manual.
  • Todos os recursos utilizados para efetuar reivindicações manuais devem conter metadados precisos e legíveis, e conteúdo de referência válido. 
    • A única exceção a isto é quando o material de referência para o conteúdo reivindicado é impróprio para correspondência e/ou proibido pela nossa política de referência. 
    • Embora estes recursos não necessitem de referências, todas as reivindicações têm de ser efetuadas para o mesmo conteúdo distinto e descritas com precisão pelos metadados (por exemplo, nenhum recurso "em massa" nem "abrangente").
  • Os recursos utilizados em reivindicações manuais têm de refletir com exatidão o âmbito da sua propriedade.
    • Por exemplo, se for uma emissora regional e estiver a reivindicar novos carregamentos de conteúdo licenciado, não pode utilizar a reivindicação manual para aplicar uma política de bloqueio global se não tiver os direitos globais desse conteúdo.
    • Além disso, as emissoras podem ter direitos para apresentar conteúdo licenciado numa região, mas isso nem sempre significa que têm direitos para reivindicar vídeos que contenham esse conteúdo nessa região.
  • Todas as reivindicações manuais têm de incluir informações de data/hora precisas que identifiquem o momento no qual o conteúdo reivindicado aparece no vídeo. 
    •  Os segmentos individuais correspondentes têm de ser especificados com informações de data/hora precisas.
    • Fornecer intencionalmente ou repetidamente informações de data/hora enganadoras pode ser considerado uma violação séria das nossas políticas.
  • As reivindicações manuais sobre áudio presente apenas numa pequena porção do vídeo não podem utilizar a política de rentabilização, mas pode aplicar geralmente as políticas de monitorização ou de bloqueio em qualquer utilização do seu conteúdo.
    • Os parceiros podem considerar a duração combinada de todos os segmentos com carimbo de data/hora de um único recurso ao realizar uma reivindicação de áudio manual.
    • As exceções a destacar incluem casos em que o vídeo reivindicado é um único ou uma compilação de clipes breves com conteúdo de áudio. Os exemplos incluem, entre outros:
      • Listas de Melhores 10 de conteúdo de música ou áudio.
      • Compilações de clipes breves de aplicações de redes sociais centradas na música.
  • As reivindicações manuais relacionadas com "utilização não intencional " de conteúdo de áudio não podem utilizar a política de rentabilização, mas pode aplicar geralmente as políticas de monitorização ou de bloqueio em qualquer utilização do seu conteúdo.
    • ​Para efeitos desta política, descrevemos "utilização não intencional" como instâncias onde:
      • O conteúdo não foi adicionado ao vídeo pelo criador.
      • E não ocorre interação entre o criador e o conteúdo.
    • Alguns exemplos de "utilização não intencional":
      • Som de uma televisão que se ouve de outra divisão da casa ou do escritório do criador.
      • Música de um carro que passa.
    • Exemplos onde a utilização não é considerada não intencional incluem:
      • Cantar, dançar ou tocar ao som da música.
      • Qualquer conteúdo adicionado em software de pós-produção ou edição.
      • Música de fundo num local onde o criador tem controlo direto sobre a música ou onde a intenção do vídeo é captar o áudio, como num concerto.

Restrições sobre que conteúdo pode reivindicar:

  • Reivindique apenas vídeos que contenham conteúdo protegido por direitos de autor que seja sua propriedade exclusiva.
    • Não reivindique manualmente conteúdo que não está presente no vídeo.
    • Não utilize reivindicações manuais para gerir problemas de marca comercial, privacidade ou outros problemas não relacionados com direitos de autor. 
    • Abusar da reivindicação manual para efeitos de censura pode resultar na perda imediata e/ou permanente da funcionalidade, além de outras possíveis penalizações.
  • Não reivindique manualmente conteúdo que viola as diretrizes de segurança da comunidade ou da marca do YouTube com uma política de rentabilização.
    • Isto pode ser considerado uma violação da nossa Política de Contorno de Sistemas. Saber mais aqui.
  • Não reivindique manualmente vídeos que estão atualmente reivindicados ou tenham sido reivindicados por um recurso para o mesmo conteúdo.
    • Isto inclui reivindicar manualmente vídeos que tenham uma reivindicação anterior bem-sucedida para o mesmo conteúdo.
    • Criar manualmente reivindicações duplicadas concorrentes pode ser considerado uma violação flagrante da nossa Política de Contorno de Sistemas. 
  • Não utilize reivindicações manuais para criar um acordo de partilha de receita inválido entre reivindicações existentes no vídeo.
    • Isto pode ser considerado uma violação da nossa Política de Contorno de Sistemas.
     
Content ID e censura política
Não é permitido utilizar o Content ID para censura política no YouTube. Qualquer tentativa nesse sentido pode resultar na cessação de toda a família do proprietário do conteúdo.

Sugestões para evitar problemas:

  • Monitorize as suas reivindicações "bloquear apenas" e comunique diretamente ao seu gestor de parceiros quaisquer problemas que encontre.
Política de Ação Manual do Content ID
O Content ID baseia-se num número de ações de revisões manuais de gestores de conteúdos incluindo, entre outras:
  • Solucionar dúvidas na propriedade de recursos, reivindicações e material de referência
  • Solucionar notificações de violação de propriedade intelectual potenciais e contestadas contra vídeos carregados para precisão técnica, legal e de licenças

Requisitos da política

  • As ações manuais requerem revisão humana e não podem ser utilizados sistemas automáticos ou com scripts, sob qualquer forma, sem aprovação prévia do YouTube.
A informação foi útil?
Como podemos melhorá-la?