Enviar vídeos em High Dynamic Range (HDR)

É possível enviar conteúdo de vídeo em HDR para o YouTube. Os vídeos em HDR têm maior contraste e mais cores do que um vídeo digital padrão.

Os espectadores podem assistir vídeos em HDR nos dispositivos móveis compatíveis e em TVs HDR. Eles também podem transmitir esse tipo de vídeo para uma TV HDR com o Chromecast Ultra. Além disso, eles podem confirmar a reprodução em HDR enquanto assistem um vídeo caso vejam o selo "HDR" nos controles de reprodução ou no menu de qualidade de vídeo.

Ao reproduzir esse conteúdo em dispositivos não compatíveis com HDR, os espectadores assistirão o vídeo na escala dinâmica padrão (SDR, na sigla em inglês).

Enviar vídeos em HDR

Para que esse tipo de vídeo possa ser reproduzido no YouTube, ele precisa ter metadados HDR no codec ou no contêiner. A maneira mais confiável de salvar adequadamente os metadados é exportá-los de um aplicativo compatível.

Se você usa um fluxo de trabalho para gradação de cores que não exporta metadados HDR padrão, use a ferramenta de metadados HDR do YouTube para adicionar metadados HDR a um vídeo. Essa ferramenta só funcionará corretamente se o vídeo tiver recebido a gradação de cores por meio de uma função de transferência HDR. 

Observação: se você não tem certeza se o vídeo recebeu a gradação usando uma função de transferência HDR, usar essa ferramenta distorcerá seus vídeos. Muitos vídeos que têm "HDR" no título não receberam gradação por meio de uma função de transferência HDR. A ferramenta de metadados do YouTube não funcionará nesses vídeos. Se você não aplicar HDR no seu conteúdo ou não souber o que é gradação de cores, não use a ferramenta de metadados de HDR do YouTube.

Ao aplicar a gradação nos seus vídeos, use Rec. 2020 com tecnologia PQ ou HLG. Usar uma configuração diferente, incluindo DCI P3, produzirá resultados inadequados.

Após aplicar corretamente as configurações de HDR ao vídeo, o processo de envio segue as etapas normais. O YouTube detectará os metadados HDR e processará o vídeo, criando transcodificações HDR para dispositivos HDR e uma downconversion para SDR para outros dispositivos.

Observação: no momento, não é possível editar vídeos em HDR com o editor do YouTube para Web.

Requisitos de vídeo em HDR 

Após o envio do vídeo, o YouTube oferece suporte a todas as resoluções e converte automaticamente vídeos em HDR em vídeos em SDR, quando necessário.

Requisitos de envio

Resolução 720p, 1080p, 1440p, 2160p
Para melhores resultados, use resoluções UHD em vez de DCI (por exemplo, 3840x1600 em vez de 4096x1716).
Frame rate 23.976, 24, 25, 29.97, 30, 48, 50, 59.94, 60 
Profundidade da cor 10 ou 12 bits
Cores primárias Rec. 2020
Matriz de cores Rec. 2020 luminância não constante
EOTF PQ ou HLG (Rec. 2100)
Taxa de bits do vídeo Para H.264, use a configuração recomendada de codificação de envio
Áudio Igual à configuração recomendada de codificação de envio

Codificação de arquivo de vídeo em HDR

Os pares de contêineres e codecs abaixo foram testados. Pode ser que outros codecs de 10 bits de alta qualidade com metadados HDR também funcionem. 

Contêiner Codificação
MOV/QuickTime

H.264 10 bits

VP9 perfil 2

ProRes 422

ProRes 4444

DNxHR HQX 

MP4

H.264 10 bits

VP9 perfil 2

DNxHR HQX

MKV

H.264 10 bits

VP9 perfil 2

ProRes 422

ProRes 4444

DNxHR HQX

Metadados de HDR

Para que sejam processados, os vídeos em HDR precisam ser configurados com a função de transferência (PQ ou HLG), cores primárias (Rec. 2020) e matriz (Rec. 2020 luminância não constante) corretos.
Os vídeos em HDR que usam a tecnologia PQ precisam conter informações sobre o monitor em que foram masterizados (metadados de masterização SMPTE ST 2086) e o brilho do conteúdo (MaxFALL e MaxCLL CEA 861-3). Se esses dados estiverem faltando, usaremos os valores para o monitor de masterização Sony BVM-X300, que é o monitor de masterização HDR mais usado atualmente.

Ferramentas de criação de HDR 

Veja exemplos de ferramentas que você pode usar para enviar vídeos em HDR para o YouTube:

  • DaVinci Resolve
  • Adobe Premiere Pro
  • Adobe After Effects
  • Final Cut Pro X

Problemas comuns

Marcação incorreta do espaço de cores

Na indústria cinematográfica, é comum masterizar conteúdo em HDR no espaço de cores DCI P3 com DCI (~D50) ou pontos brancos D65. Este formato não é compatível com aparelhos eletrônicos comuns. Ao fazer a masterização, escolha cores primárias Rec. 2020 (o padrão Rec. 2100 indica cores Rec. 2020 em muitas aplicações).
Um erro comum é masterizar em P3 e depois marcar o resultado usando cores primárias Rec. 2020. Isso resulta em uma imagem saturada com tons borrados.

Mais controle sobre a conversão para SDR

A downconversion automática para SDR do YouTube é uma escolha conveniente que oferece bons resultados sem esforço. No entanto, em vídeos complexos, ela pode não fornecer o melhor resultado. Estamos trabalhando para que a downconversion automática para SDR funcione bem para todos os materiais.
É possível adicionar um acionador para a downconversion do YouTube na forma de uma Tabela de pesquisa 3D (LUT, na sigla em inglês). Para criar uma LUT:
  1. primeiro, abra o material em HDR em um aplicativo de gradação de cores sem aplicar o gerenciamento de cores;
  2. defina seu monitor de masterização na cor Rec. 709 e a função de transferência como Gamma 2.4;
  3. aplique uma LUT existente que converta o parâmetro Rec. 2020 + ST. 2084 em Rec. 709. Depois, ajuste os corretores primários, as curvas e as color keys para definir a aparência desejada;
  4. exporte a LUT no formato .cube para a mesma pasta do material de HDR;
  5. selecione a LUT e o vídeo HDR e arraste e solte-os na ferramenta de metadados.

A ferramenta aplicará metadados para o BVM-X300 e os compactará na LUT para fornecer acionadores para a downconversion. 

Observação: no momento, não há controle espacial ou temporal para acionar a downconversion para SDR. Isso significa que os ajustes que se aplicam a cenas individuais, às janelas de energia e as color keys que incluem controles como o "Desfoque" não funcionarão adequadamente.

Ruído em locais com sombra

Ao masterizar com PQ (ST 2084), grande parte do intervalo de sinal se dedica aos detalhes de sombra. Os codecs intermediários digitais como ProRes e DNxHR mantêm os detalhes em todo o intervalo de imagem. Isso significa que muitos ruídos nas regiões mais escuras da cena podem ser visualmente mascarados por destaques na imagem.
O processamento de vídeo do YouTube pode remover os ruídos para alcançar as taxas de bits de streaming. Você pode ter mais controle sobre a remoção de ruído do seu vídeo antes da renderização para envio. A remoção de ruído também pode ajudar se o seu vídeo parecer muito "compactado" durante a transmissão.
Estamos sempre trabalhando para melhorar a qualidade dos vídeos do YouTube, incluindo como lidar com esses casos.
Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?