Carregue vídeos de elevada amplitude dinâmica (HDR)

Pode carregar vídeos de elevada amplitude dinâmica (HDR) para o YouTube. Os vídeos HDR apresentam um maior contraste com mais cores do que os vídeos digitais padrão.

Os visitantes podem ver vídeos HDR em dispositivos compatíveis e TVs HDR. Podem também fazer stream de vídeos HDR com o Chromecast Ultra para uma TV HDR. Os visitantes veem "HDR" após cada uma das opções de qualidade no leitor de vídeo (por exemplo, 1080p HDR).

Para os visitantes que utilizem dispositivos não HDR, o vídeo aparece como um vídeo de amplitude dinâmica padrão (SDR).

Carregue vídeos HDR

Os vídeos HDR devem ter metadados HDR no codec ou contentor para permitir a reprodução correta no YouTube. A forma mais segura de registar corretamente os metadados é exportá-los de uma aplicação suportada.

Se não for possível exportar os metadados HDR padrão, pode utilizar a ferramenta de metadados HDR do YouTube para adicionar metadados HDR a um vídeo. Esta ferramenta apenas funciona corretamente se a correção do vídeo tiver sido realizada com uma função de transferência HDR. 

Nota: se não tiver a certeza se a correção do vídeo foi realizada com uma função de transferência HDR, a utilização desta ferramenta pode distorcer significativamente o vídeo. Muitos vídeos que incluem "HDR" no título não foram corrigidos com uma função de transferência HDR. Esta ferramenta não funciona nesses vídeos. Não utilize a ferramenta de metadados HDR do YouTube se não estiver familiarizado com a correção de cores ou não tiver corrigido o seu próprio vídeo em HDR.

Se estiver a corrigir o seu vídeo, corrija em Rec. 2020 com PQ ou HLG. A utilização de uma configuração diferente, incluindo DCI P3, irá produzir resultados incorretos.

Após a identificação adequada de um vídeo como HDR, o carregamento segue o processo habitual de carregamento de um vídeo. O YouTube deteta e processa os metadados HDR, e produz a transcodificação HDR para dispositivos HDR e uma conversão em SDR para outros dispositivos.

Nota: atualmente, não é possível editar vídeos HDR com o editor Web do YouTube.

Requisitos de vídeo HDR 

Quando carrega um vídeo, o YouTube suporta todas as resoluções e converte automaticamente os vídeos HDR em vídeos SDR quando necessário.

Requisitos de carregamento

Resolução 720p, 1080p, 1440p, 2160p
Para obter os melhores resultados, utilize tamanhos UHD em vez de DCI (por exemplo, 3840 x 1600 em vez de 4096 x 1716).
Velocidade de frames 23,976; 24; 25; 29,97; 30; 48; 50; 59,94; 60 
Profundidade de cor 10 ou 12 bits
Cores primárias Rec. 2020
Matriz de cor Luminância não constante Rec. 2020
EOTF PQ ou HLG (Rec. 2100)
Taxa de bits de vídeo Para H.264, utilize a definição de codificação de carregamento recomendada
Áudio Igual à definição de codificação de carregamento recomendada.

Codificação de ficheiros de vídeo HDR

Os pares de contentor e codec abaixo foram testados e funcionam. Outros codecs de 10 bits de alta qualidade com metadados HDR também podem funcionar. 

Contentor Codificação
MOV/QuickTime

H.264 10 bits

Perfil 2 de VP9

ProRes 422

ProRes 4444

DNxHR HQX 

MP4

H.264 10 bits

Perfil 2 de VP9

DNxHR HQX

MKV

H.264 10 bits

Perfil 2 de VP9

ProRes 422

ProRes 4444

DNxHR HQX

Metadados HDR

Para serem processados, os vídeos HDR têm de ser etiquetados com as seguintes opções corretas:
  • Função de transferência (PQ ou HLG)
  • Cores primárias (Rec. 2020)
  • Matriz (luminância não constante Rec. 2020)
Os vídeos HDR com sinalização PQ também devem conter informações sobre o ecrã em que foram masterizados (metadados de masterização SMPTE ST 2086). Devem também conter detalhes acerca da luminosidade (CEA 861-3 MaxFALL e MaxCLL). Se estas informações estiverem em falta, utilizamos os valores para o ecrã de masterização Sony BVM-X300.
Em alternativa, os vídeos HDR podem conter metadados dinâmicos (HDR10+) como códigos de terminal ITU-T T.35 ou cabeçalhos SEI.

Ferramentas de criação de conteúdo HDR 

Seguem-se exemplo de ferramentas que pode utilizar para carregar vídeos HDR para o YouTube:

  • DaVinci Resolve
  • Adobe Premiere Pro
  • Adobe After Effects
  • Final Cut Pro X

Problemas comuns

Marcação incorreta do espaço de cores

No cinema, é comum masterizar vídeos HDR no espaço de cores DCI P3, com os pontos brancos DCI (~ D50) ou D65. Este não é um formato suportado para apresentação em produtos eletrónicos de consumo. Durante a masterização, escolha as cores primárias Rec. 2020 (o padrão Rec. 2100 implica cor Rec. 2020 em muitas aplicações).
Um erro comum é masterizar em P3 e depois etiquetar o resultado com primários Rec. 2020. Isto resulta num aspeto demasiado saturado com tonalidades desfasadas.

Mais controlo sobre a conversão SDR

O sistema automatizado de conversão em SDR do YouTube é uma escolha prática que pode oferecer bons resultados sem esforço. No entanto, em clipes complicados, pode não apresentar o resultado perfeito. Estamos a tratar de melhorar a conversão automatizada em SDR para que funcione perfeitamente em todo o tipo de material.
É possível enviar um acionador para a conversão em SDR do YouTube sob a forma de uma 3D Look-Up Table ou LUT. Para produzir esta LUT:
  1. Carregue o vídeo HDR numa aplicação de correção de cor sem aplicar qualquer gestão de cores.
  2. Defina o ecrã de masterização para a cor Rec. 709 e a função de transferência Gamma 2.4.
  3. Aplique uma LUT existente que converta Rec. 2020 + ST. 2084 em Rec. 709 e, em seguida, altere os corretores, as curvas e as chaves primárias em nós subsequentes para obter o aspeto pretendido.
  4. Exporte a LUT no formato .cube para a mesma pasta que o vídeo HDR.
  5. Selecione a LUT e o vídeo HDR e, em seguida, arraste-os e largue-os na ferramenta de metadados.

A ferramenta aplica os metadados para o BVM-X300 e também inclui a LUT para fornecer acionadores para a conversão em SDR. 

Nota: atualmente, não existe nenhum controlo espacial ou temporal para acionar a conversão em SDR. As chaves e as janelas de exposição que envolvam controlos, como o efeito esbatido, bem como os ajustes que se apliquem a cenas individuais, não irão funcionar corretamente.

Ruído nas sombras

Durante a masterização em PQ (ST 2084), uma grande parte do alcance do sinal é dedicada aos detalhes de sombra. Os codecs intermédios digitais como o ProRes e o DNxHR retêm detalhes ao longo do alcance da imagem. Os vídeos podem ter ruído em regiões mais escuras da imagem, que é visualmente oculto por realces na imagem.
O processamento de vídeo do YouTube pode remover algum ruído para alcançar taxas de bits de streaming. Pode obter mais controlo se eliminar o ruído do vídeo antes de o renderizar para carregamento. A eliminação do ruído também pode ser útil se o vídeo parecer demasiado "comprimido" durante a stream.
Esforçamo-nos continuamente por melhorar a qualidade dos vídeos do YouTube, bem como simplificar a gestão desta questão.
A informação foi útil?
Como podemos melhorá-la?