Dispositivos incompatíveis com o Google Wifi

Embora a maioria dos dispositivos seja compatível com o Google Wifi, alguns não o são. Geralmente, é porque não têm o hardware ou o software suportado pelo Google Wifi. Veja abaixo uma lista dos dispositivos incompatíveis.

Se tiver alguma dúvida, não hesite em contactar-nos. Faremos o nosso melhor para ajudar.

Dispositivos WPA e WEP

O Google Wifi apenas suporta dispositivos com WPA2 + PSK, que é o método mais popular para proteger a sua rede. Os dispositivos mais antigos que apenas têm uma encriptação WPA ou WEP (tais como as impressoras antigas) não conseguem estabelecer ligação aos seus pontos Wi-Fi.

Não suportamos protocolos mais antigos porque foram considerados desprotegidos pela Wi-Fi Alliance, pela comunidade de pesquisa de segurança e pelos especialistas do setor. O Google Wifi mantém-no protegido e o protocolo WPA2 é uma das várias formas através das quais asseguramos essa proteção.

Solução: atualize o hardware Wi-Fi do dispositivo (por exemplo, pode atualizar a placa Wi-Fi de um portátil antigo). Se não for possível atualizar o hardware do Wi-Fi, o dispositivo pode ter de ser substituído por uma versão mais recente que suporte os protocolos mais recentes e seguros.

SkyBell

Infelizmente, a SkyBell não consegue estabelecer ligação à rede Google Wifi. Tal deve-se ao facto de o Google Wifi criar uma rede única que utiliza bandas de 2,4 e 5 GHz. A SkyBell apenas estabelece ligação a redes de 2,4 GHz. Quando há uma única rede que se divide em ambas as bandas, a SkyBell não consegue estabelecer ligação à rede de 2,4 GHz. Saiba mais acerca das bandas do Google Wifi.

Solução: infelizmente, de momento, não há qualquer solução.

Circle (incompatível apenas com dispositivos OnHub)

A Circle utiliza uma técnica denominada ARP spoofing, que não é suportada pelo OnHub nem faz parte do padrão ARP. A Circle é compatível com dispositivos Google Wifi.

O que é o ARP spoofing? É uma técnica que permite que um dispositivo intercete e inspecione o tráfego da Internet entre o router e os dispositivos ligados (tais como um computador, um smartphone ou um tablet).

Eis como funciona: a Circle deteta os endereços MAC e IP dos dispositivos pessoais na sua rede. Rouba a identidade (ou efetua um ataque de "spoofing") do router ao assumir o respetivo endereço MAC. Além disso, faz-se passar pelo seu telemóvel ou computador ao utilizar os respetivos endereços IP. Em seguida, a Circle inspeciona o tráfego da Internet e concede ou nega o acesso a determinados dispositivos.

Contudo, os dispositivos não autorizados também podem utilizar o ARP spoofing para comprometer a sua rede doméstica.

Solução: infelizmente, de momento, não há qualquer solução.

A informação foi útil?
Como podemos melhorá-la?