Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal

Flash e outros arquivos de rich media

Flash Saiba mais…
Silverlight Saiba mais…
Vídeo Saiba mais…
Iframes Saiba mais...
Práticas recomendadas Saiba mais...

O Google pode indexar a maioria dos tipos de páginas e arquivos (lista detalhada).

No entanto, em geral os mecanismos de pesquisa são baseados em texto. Isso significa que para ser rastreado ou indexado, seu conteúdo precisará estar em formato de texto. Agora, o Google pode indexar o conteúdo de texto presente em arquivos Flash, mas outros mecanismos de pesquisa talvez não consigam.

 

Isso não significa que é impossível incluir conteúdo de rich media, como Flash, Silverlight ou vídeos em seu site. Significa simplesmente que qualquer conteúdo incorporado a esses arquivos deverá ficar disponível também em formato de texto ou não será acessível para os mecanismos de pesquisa. Os exemplos abaixo têm como foco os tipos mais comuns de conteúdos que não são textos, mas as diretrizes são semelhantes para qualquer outro tipo: fornecem textos equivalentes para arquivos que não são textos.

Isso aumenta a capacidade do Googlebot de rastrear e indexar o seu conteúdo, além de torná-lo mais acessível. Muitas pessoas, como usuários com deficiência visual, que usam leitores de tela, ou que possuem conexões com baixa largura de banda, não podem ver imagens em páginas da Web. Desse modo, proporcionar equivalentes de texto aumenta sua audiência.

Flash

O Googlebot pode indexar quase todos os textos que um usuário pode ver ao interagir com qualquer arquivo Flash SWF em seu site e pode usar esse texto para gerar um snippet ou termos de correspondência de consultas em pesquisas do Google. Além disso, o Googlebot também pode descobrir URLs em arquivos SWF (por exemplo, links para outras páginas no seu site) e seguir esses links.

Rastreamos e indexamos esse conteúdo da mesma forma como rastreamos e indexamos outros conteúdos no seu site: você não precisa executar qualquer ação especial. No entanto, não podemos garantir o rastreamento ou a indexação de todo o conteúdo, seja ele Flash ou não.

Quando um arquivo SWF carrega conteúdo de outro arquivo, seja texto, HTML, XML, outro SWF etc.—o Google também pode indexar esse conteúdo externo e associá-lo ao arquivo SWF principal e todos os documentos que o incorporam.

Aperfeiçoamos continuamente nossa indexação de arquivos Flash, mas existem algumas limitações. Por exemplo, no momento não podemos indexar o conteúdo em idioma bidirecional (por exemplo, hebraico ou árabe) de arquivos Flash.

O Google pode indexar o conteúdo de arquivos Flash, mas outros mecanismos de pesquisa talvez não possam. Portanto, recomendamos que você use tecnologias de rich media como o Flash, principalmente para finalidades decorativas, e que use HTML para conteúdo e navegação. Isso torna seu site mais facilmente rastreável e também o torna acessível para um público maior, como leitores que possuem deficiência visual que usam leitores de tela, usuários que utilizam navegadores antigos ou fora do padrão e usuários de conexões com largura de banda limitada ou baixa, como telefones celulares ou dispositivos móveis. Um bônus adicional? O uso do HTML para navegação permitirá que os usuários adicionem o conteúdo como favorito e enviem links direto por e-mail.

Também é possível usar osIFR (Scalable Inman Flash Replacement). O sIFR (um projeto de código aberto) permite que os webmasters substituam elementos de texto por equivalentes em Flash. Com o uso dessa técnica, o conteúdo e a navegação são exibidos por um objeto Flash. Porém, como o conteúdo está na fonte HTML, ele pode ser lido por usuários que não utilizam Flash (inclusive mecanismos de pesquisa).

Você também pode melhorar a indexação de seu aplicativo Flash ou rich media oferecendo suporte ao esquema de rastreamento de AJAX do Google. Esse esquema funciona para JavaScript e também para Flash e qualquer outra tecnologia de navegador.

Silverlight e outros formatos de rich media

O Google pode rastrear e indexar o conteúdo de arquivos em Flash, mas ainda temos problemas em acessar o conteúdo de outros formatos de rich media, como Silverlight. Esses formatos de rich media são inerentemente visuais, o que pode causar alguns problemas para o Googlebot. Diferentemente de alguns spiders da Internet, o Googlebot consegue ler alguns tipos de arquivos de rich media e extrair o texto, bem como os links presentes neles, mas a estrutura e o contexto ficam faltando. Além disso, os designers de rich media geralmente incluem conteúdo em forma de gráficos, e como o Google não detecta palavras inseridas em gráficos, ele pode perder palavras-chave importantes. Em outras palavras, mesmo se conseguíssemos rastrear seu conteúdo e se estivesse em nosso índice, faltaria algum texto, conteúdo ou alguns links.

Vídeo

O Googlebot não pode rastrear o conteúdo de arquivos de vídeo. Desse modo, é importante fornecer informações sobre os vídeos que você incluir. Crie uma transcrição do vídeo que deseja incluir ou forneça informações detalhadas do vídeo em HTML. Se tiver conteúdo de vídeo, você poderá hospedá-lo no Google Video, no YouTube ou em vários outros provedores de hospedagem de vídeo. Os usuários podem visualizar vídeos no Google Videos ou no YouTube, diretamente da página de resultados da pesquisa do Google.

Iframes

Algumas vezes, os iframes são usados para exibir o conteúdo em páginas da Web. O conteúdo exibido através de iFrames pode não estar indexado, nem disponível para aparecer nos resultados de pesquisa do Google. É recomendável evitar o uso de iFrames para exibir conteúdo. Se você incluir iframes, forneça links com base em textos adicionais ao conteúdo exibido, assim o Googlebot poderá rastrear e indexar esse conteúdo.

Práticas recomendadas

Se você planeja usar rich media em seu site, existem algumas recomendações que podem ajudar a evitar problemas.

  • Tente usar rich media somente onde for necessário. Recomendamos usar HTML para conteúdo e navegação.
  • Forneça versões das páginas em texto. O Silverlight geralmente é usado como uma tela inicial na página inicial, em que o URL raiz de um website tem uma introdução em rich media que leva ao conteúdo em HTML no resto do site. Se você usar essa abordagem em seu site, verifique se há um link comum em HTML na página principal para uma página baseada em texto, na qual um usuário (ou o Googlebot) possa navegar em seu site sem precisar de rich media.
Este artigo foi útil para você?
Como podemos melhorá-lo?