Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal

Conteúdo duplicado

“Conteúdo duplicado” geralmente refere-se a blocos substanciais de conteúdo dentro de um ou mais domínios que correspondem totalmente a outro conteúdo ou são muito similares. Em geral, não é uma prática enganosa, a princípio. Estes são alguns exemplos de conteúdo duplicado não malicioso:

  • Fóruns de discussão que podem gerar páginas tanto regulares quanto reduzidas em dispositivos móveis.
  • Produtos exibidos ou relacionados por link por meio de vários URLs distintos.
  • Versões de páginas da Web somente para impressão.

Se o site contiver várias páginas com muito conteúdo idêntico, saiba que existem inúmeras maneiras de indicar o seu URL preferencial ao Google (isso é chamado de "canonicidade"). Mais informações sobre canonicidade.

Entretanto, em alguns casos, o conteúdo é deliberadamente duplicado entre domínios em uma tentativa de manipular a classificação de mecanismos de pesquisa ou conseguir mais tráfego. Práticas enganosas como essa podem resultar em uma experiência insatisfatória para o usuário quando um visitante vê constantemente o mesmo conteúdo repetido dentro de um conjunto de resultados de pesquisa.

O Google se esforça para indexar e exibir páginas com informações distintas. Essa filtragem significa, por exemplo, que, se o site tiver uma versão "normal" e uma "para impressão" de cada artigo e nenhuma delas estiver bloqueada com uma metatag noindex, nós escolheremos uma delas para colocar na lista. Nos raros casos em que o Google perceber que o conteúdo duplicado possa ser exibido com a intenção de manipular nossa classificação e enganar nossos usuários, faremos ajustes apropriados na indexação e na classificação dos sites envolvidos. Como resultado, a classificação do site poderá ficar prejudicada ou o site poderá ser completamente removido do índice do Google. Nesse caso, o site não aparecerá mais nos resultados de pesquisas.

Há alguns passos a serem seguidos para lidar, de maneira proativa, com problemas de conteúdo duplicado e assegurar que os visitantes vejam o conteúdo que você deseja.

  • Utilize 301s: se você tiver reestruturado seu site, use redirecionamentos 301 (“RedirectPermanent”) em seu arquivo .htaccess para redirecionar, de maneira inteligente, usuários, o Googlebot e outros spiders. No Apache, é possível fazer isso com um arquivo .htaccess; no IIS, execute essa ação usando o console administrativo.

  • Seja consistente: tente manter a consistência nos seus links internos. Por exemplo, não faça link entre http://www.example.com/pagina/ e http://www.example.com/pagina e http://www.example.com/pagina/index.htm.

  • Utilize domínios de nível superior: para nos ajudar a servir a versão mais apropriada de um documento, use domínios de nível superior sempre que possível para manipular conteúdo específico de um país. Estamos mais propensos a entender que http://www.example.br reúne conteúdo com foco no Brasil, por exemplo, do que http://www.example.com/br ou http://br.example.com.

  • Distribua com cuidado: se você distribuir seu conteúdo em outros sites, o Google sempre exibirá a versão considerada mais apropriada para os usuários em cada pesquisa, que pode não ser a sua versão preferida. No entanto, é importante verificar se cada site em que o seu conteúdo é distribuído incluirá um link de volta para o artigo original. Também é possível pedir a quem utiliza o seu material distribuído para usar a metatag noindex a fim de evitar que os mecanismos de pesquisa indexem a versão do conteúdo deles.

  • Use o Search Console para nos dizer como você prefere que seu site seja indexado: informe ao Google seu domínio preferido (por exemplo, http://www.example.com ou http://example.com).

  • Minimize repetições desnecessárias: por exemplo, em vez de incluir um longo texto de direitos autorais no final de cada página, inclua um resumo e depois insira um link para uma página com mais detalhes. Além disso, use a ferramenta de Manipulação dos parâmetros para especificar como você deseja que o Google trate os parâmetros de URL.

  • Evite publicar stubs: os usuários não gostam de ver páginas "vazias", então evite marcadores sempre que possível. Por exemplo, não publique páginas para as quais você ainda não tem conteúdo disponível. Se você criar páginas em branco, use a metatag noindex para impedir que essas páginas sejam indexadas.

  • Compreenda seu sistema de gerenciamento de conteúdo: conheça a forma como o conteúdo é exibido em seu site. Blogs, fóruns e sistemas relacionados sempre oferecem o mesmo conteúdo em diversos formatos. Por exemplo, um registro de blog pode aparecer na página do próprio blog, em uma página de arquivo e em uma página com outras entradas e com o mesmo marcador.

  • Diminua conteúdo semelhante: se você possuir diversas páginas parecidas, será recomendável expandir cada página ou consolidá-las em uma única página. Por exemplo, se você possuir um site de viagens com páginas separadas para duas cidades, mas com a mesma informação em ambas as páginas, una essas páginas em uma só, usando conteúdo das duas cidades, ou expanda-as com mais conteúdo exclusivo sobre cada localidade.

O Google não recomenda bloquear o acesso do rastreador ao conteúdo duplicado em seu site, seja com um arquivo robots.txt ou com outros métodos. Se os mecanismos de pesquisa não conseguirem rastrear páginas que tenham conteúdo duplicado, automaticamente não conseguirão detectar que esses URLs apontam para o mesmo conteúdo. Portanto, elas serão tratarão efetivamente como páginas separadas, únicas. É melhor permitir que os mecanismos de pesquisa rastreiem esses URLs, mas marcando-os como duplicados usando o elemento do link rel="canonical", a ferramenta de Manipulação dos parâmetros do URL ou os redirecionamentos 301. Nos casos em que o conteúdo duplicado levar a um rastreamento excessivo do site, será possível ajustar a configuração de taxa de rastreamento no Search Console.

Conteúdo duplicado em um site não é suficiente para que uma ação seja tomada, a não ser que o objetivo seja enganar e manipular os resultados de mecanismos de pesquisas. Se o site tiver problemas de conteúdo duplicado e você não seguir os avisos listados anteriormente, nós agiremos de maneira correta ao escolher uma versão do conteúdo para ser exibido nos resultados das pesquisas.

Entretanto, se a nossa análise indicar que você se envolveu em práticas enganosas e teve o site removido de resultados das pesquisas, examine-o cuidadosamente. Caso o seu site tenha sido removido dos resultados de pesquisas, leia as nossas Diretrizes para webmasters para mais informações. Após fazer as alterações e ter certeza de que seu site não viola mais nossas diretrizes, envie o site para reconsideração.

Em raras situações, nosso algoritmo pode selecionar um URL de um site externo que hospeda seu conteúdo sem sua permissão. Se você achar que outro site está duplicando seu conteúdo, violando as leis de direitos autorais, entre em contato com o host do site para fazer a solicitação de remoção. Além disso, é possível solicitar ao Google a remoção da página infratora dos resultados de pesquisa preenchendo uma solicitação de acordo com a Lei de Direitos Autorais do Milênio Digital.

Este artigo foi útil para você?
Como podemos melhorá-lo?