Gerencie seu sitemap

Criar e enviar um sitemap

Esta página descreve como criar um sitemap e disponibilizá-lo para o Google. Saiba mais sobre sitemaps.

Criar e enviar um sitemap:

  1. Decida quais páginas do site devem ser rastreadas pelo Google e defina a versão canônica de cada página. 
  2. Decida qual formato de sitemap você deseja usar. É possível criar o sitemap manualmente ou escolher dentre uma série de ferramentas de terceiros aquela mais indicada para gerá-lo para você.
  3. Teste seu sitemap usando a ferramenta de teste de sitemaps do Search Console.
  4. Disponibilize seu sitemap ao Google. Para isso, adicione-o ao arquivo robots.txt ou envie-o diretamente ao Search Console.

Formatos de sitemap

O Google oferece suporte a vários formatos de sitemap, descritos abaixo. O Google espera o protocolo de sitemaps padrão em todos os formatos. No momento, o Google não usa o atributo <priority> em sitemaps.

Em todos os formatos, o limite de tamanho para cada sitemap é de 50 MB (não compactado) e 50 mil URLs. Se você tiver um arquivo maior ou mais URLs, terá que dividir sua lista em vários sitemaps. Como opção, crie um arquivo de índice de sitemaps (um arquivo que leva a uma lista de sitemaps) e envie esse arquivo único para o Google. É possível enviar vários sitemaps e/ou arquivos de índice de sitemaps para o Google.

XML

Veja um sitemap XML muito básico que inclui a localização de um único URL:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<urlset xmlns="http://www.sitemaps.org/schemas/sitemap/0.9"> 
  <url>
    <loc>http://www.example.com/foo.html</loc>
    <lastmod>2018-06-04</lastmod>
  </url>
</urlset>

Veja a documentação completa e exemplos mais complexos em sitemaps.org.

Você poderá ver exemplos de sitemaps que especificam páginas de idiomas alternativos e sitemaps para arquivos de imagem, vídeo ou notícias.

RSS, mRSS e Atom 1.0

Se você tiver um blog com um feed RSS ou Atom, envie o URL desse feed como um sitemap. A maioria dos softwares para blogs é capaz de gerar um feed para você, mas esse feed só fornece informações sobre URLs recentes.

  • O Google aceita feeds RSS 2.0 e Atom 1.0.
  • Use um feed mRSS (media RSS) para fornecer ao Google detalhes sobre o conteúdo de vídeo no seu site.
Texto

Se o sitemap incluir somente URLs de páginas da Web, forneça ao Google um arquivo de texto simples contendo um URL por linha. Por exemplo:

http://www.example.com/file1.html
http://www.example.com/file2.html

Diretrizes para sitemaps de arquivo de texto:

  • Codifique o arquivo usando a codificação UTF-8.
  • Seu arquivo de texto deve conter somente a lista de URLs.
  • Nomeie o arquivo de texto como quiser, desde que a extensão seja .txt (por exemplo, sitemap.txt).
Sites do Google

Se tiver criado e verificado um site usando o Google Sites, o serviço gerará um sitemap automaticamente para você. Não é possível modificar o sitemap, mas é possível enviá-lo ao Google caso você queira ler os dados de relatório do sitemap. O sitemap poderá não ser exibido corretamente se você tiver mais de 1.000 páginas em um único subdiretório.

  • Se o site estiver hospedado no Google Sites, o URL do sitemap será http://sites.google.com/site/nomedosite/system/feeds/sitemap
  • Se você tiver criado o site usando o Google Apps, o URL do sitemap será http://sites.google.com/yourdomain/nomedosite/system/feeds/sitemap

Extensões de sitemap para tipos de mídia adicionais

O Google oferece suporte à sintaxe de sitemap estendido para os seguintes tipos de mídia. Use essas extensões para descrever arquivos de vídeo, imagem e outros conteúdos de difícil análise no seu site para aprimorar a indexação.

Diretrizes gerais dos sitemaps

  • Use URLs consistentes e totalmente qualificados. O Google rastreará os URLs exatamente como eles foram listados. Por exemplo, caso seu site esteja em https://www.example.com/, não especifique um URL como https://example.com/ (sem www) ou ./mypage.html (URL relativo).
  • Não inclua códigos de sessão de URLs no seu sitemap para reduzir o rastreamento duplicado desses URLs.
  • Informe o Google sobre URLs de versões de idiomas alternativos usando as anotações hreflang.
  • Arquivos de sitemaps devem ser codificados com UTF-8 e ter URLs codificados com escape de maneira adequada.
  • Divida sitemaps grandes em menores para evitar que o servidor seja sobrecarregado caso o Google solicite seu sitemap com frequência. Um arquivo de Sitemap pode ter no máximo 50 mil URLs e precisa ter até 50 MB quando não compactado. Use um arquivo de índice de sitemap para listar todos os sitemaps e envie esse arquivo único para o Google em vez de enviar sitemaps individuais.
  • Use métodos de conversão em formato canônico recomendados para informar ao Google se o site pode ser acessado nas versões www e não www do seu domínio. Você precisa enviar um sitemap somente para seu domínio de preferência.
  • Use as extensões de sitemap para direcionar o usuário a tipos de mídia adicionais, como vídeos, imagens e notícias.
  • Se os URLs das versões para computador e para dispositivos móveis de uma página forem diferentes, direcione o usuário somente a uma versão. No entanto, se você sentir necessidade de direcionar o usuário aos dois URLs, use anotações e indique as versões para computador para e dispositivos móveis.
  • Se você tiver páginas alternativas para diferentes idiomas ou regiões, use hreflang em um sitemap ou em tags HTML para indicar os URLs alternativos.
  • Caracteres não alfanuméricos e não latinos: é necessário que o arquivo de sitemap use a codificação UTF-8. Esse procedimento pode ser feito no momento em que você salva o arquivo. Assim como em todos os arquivos XML, todos os valores de dados (inclusive os URLs) precisam usar códigos de escape de entidade para os caracteres listados na tabela abaixo.  Os sitemaps só podem ter caracteres ASCII. Não é possível usar caracteres ASCII maiúsculos nem determinados caracteres de controle ou especiais, como * e {}. Se o URL do sitemap tiver esses caracteres, ocorrerá um erro quando você tentar adicioná-lo.
    Caractere Código de escape
    E comercial & &amp;
    Aspas simples ' &apos;
    Aspas duplas " &quot;
    Maior que > &gt;
    Menor que < &lt;
    Além disso, todos os URLs (inclusive o URL do seu sitemap) precisam ser codificados para leitura pelo servidor da Web em que estão localizados e incluir o escape do URL. No entanto, caso você use qualquer tipo de script, ferramenta ou arquivo de registros para gerar os URLs (qualquer mecanismo que não seja digitá-los manualmente), esse processo costuma ser automático. Se você enviar o sitemap e receber um erro informando que o Google não encontrou alguns dos URLs, confira se eles seguem o padrão RFC-3986 para URIs e o padrão RFC-3987 para IRIs, além do padrão XML (páginas em inglês).

    Veja um exemplo de um URL que usa um caractere não ASCII (ü) e um caractere que requer código de escape de entidade (&):
    http://www.example.com/ümlat.html&q=name
    Veja o mesmo URL com a codificação ISO-8859-1 (para a hospedagem em um servidor que usa essa codificação) e com escape do URL:
    http://www.example.com/%FCmlat.html&q=name
    Este é o mesmo URL com a codificação UTF-8 (para a hospedagem em um servidor que usa essa codificação) e com escape do URL:
    http://www.example.com/%C3%BCmlat.html&q=name
    Observe o mesmo URL com escape de entidade:
    http://www.example.com/%C3%BCmlat.html&amp;q=name

Disponibilizar seu sitemap para o Google (enviar o sitemap para o Google)

Existem algumas maneiras diferentes de disponibilizar o sitemap para o Google:

  • Envie-o ao Google usando a ferramenta de sitemaps do Search Console
  • Insira a seguinte linha em qualquer parte do seu arquivo robots.txt, especificando o caminho para o sitemap:
    Sitemap: http://example.com/sitemap_location.xml
  • Use a função "ping" para solicitar o rastreamento do seu sitemap. Envie uma solicitação HTTP GET desta forma:
      http://www.google.com/ping?sitemap=<url_completo_do_sitemap>
    Por exemplo:
      http://www.google.com/ping?sitemap=https://example.com/sitemap.xml

Solução de problemas de sitemaps

Confira o guia de solução de problemas de sitemaps.

Este artigo foi útil para você?
Como podemos melhorá-lo?