Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal

Sites multilíngues e multirregionais

Um site multilíngue é qualquer site que oferece conteúdo em mais de um idioma. Por exemplo, os sites multilíngues podem incluir uma empresa canadense com uma versão em inglês e uma versão em francês do seu siteou um blog sobre um jogador de futebol latino-americano que está disponível em espanhol e em português.

Um site multirregional segmenta explicitamente usuários em países diferentes. Alguns sites são multirregionais e multilíngues (por exemplo, um site pode ter versões diferentes para os EUA e para o Canadá, além de versões em francês e em inglês do conteúdo canadense).

A expansão de um site para abranger vários países e/ou idiomas pode ser um desafio. Como você tem várias versões do seu site, qualquer problema será multiplicado. Desse modo, teste o site original o mais detalhadamente possível e verifique se você tem a infraestrutura apropriada para gerenciar esses sites. Veja abaixo algumas diretrizes e práticas recomendadas para a criação de sites multilíngues e/ou multirregionais.

Como gerenciar versões multilíngues de seu site Saiba mais…
Como segmentar conteúdo do site para um país específico Saiba mais…
Conteúdo duplicado e sites internacionais Saiba mais…
 

Como gerenciar versões multilíngues de seu site

Veja algumas dicas para garantir que seu conteúdo localizado apareça nos resultados da pesquisa para o idioma apropriado.

Verifique se o idioma da página é óbvio

O Google usa somente o conteúdo visível da página para determinar seu idioma. Não usamos informações de idioma no nível do código, como os atributos lang. É possível ajudar o Google a determinar o idioma corretamente usando apenas um idioma para o conteúdo e a navegação de cada página e evitando usar traduções lado a lado. Traduzir somente o texto padrão das suas páginas e manter o conteúdo em massa em um único idioma (como geralmente acontece nas páginas que possuem conteúdo gerado pelo usuário) pode proporcionar uma experiência ruim para o usuário, caso o mesmo conteúdo apareça várias vezes nos resultados de pesquisa com vários idiomas padrão.

Use o robots.txt para impedir que os mecanismos de pesquisa rastreiem automaticamente as páginas traduzidas do seu site. As traduções automáticas nem sempre fazem sentido e podem ser classificadas como spam. Mais importante, uma tradução insatisfatória ou que pareça artificial pode prejudicar a imagem do seu site.

Verifique se cada versão em outro idioma pode ser descoberta com facilidade

Mantenha o conteúdo para cada idioma em URLs separados. Não use cookies para mostrar versões traduzidas da página. Avalie a possibilidade de usar links cruzados para cada versão em outro idioma de uma página. Desse modo, um usuário francês que acessa a versão em alemão da sua página pode ver a versão no idioma certo com um único clique.

Evite o redirecionamento automático com base no idioma usado pelo usuário. Esses redirecionamentos podem impedir que os usuários (e os mecanismos de pesquisa) visualizem todas as versões do seu site.

Escolha o URL com cuidado

O Google usa o conteúdo da página para determinar seu idioma, mas o URL propriamente dito fornece aos usuários humanos pistas úteis sobre o conteúdo da página. Por exemplo, os seguintes URLs .ca usam fr como um subdomínio ou subdiretório para indicar claramente o conteúdo em francês: http://example.ca/fr/vélo-de-montagne.html e http://fr.example.ca/vélo-de-montagne.html.

Indicar o idioma no URL também pode ajudar você a detectar problemas com o conteúdo multilíngue no seu site.

É uma boa ideia traduzir palavras no URL ou usar um Nome de domínio internacional (IDN, na sigla em inglês). Use a codificação UTF-8 no URL (na realidade, recomendamos o uso de UTF-8 sempre que possível) e não se esqueça do escape correto dos URLs ao vinculá-los.

Como segmentar conteúdo do site para um país específico

Se o Google souber que o país foi segmentado por um site, usaremos essas informações para melhorar a qualidade de nossos resultados da pesquisa em países diferentes. O Google normalmente usa os seguintes elementos para determinar o país segmentado por um site:

  • Nomes de domínio de nível mais alto dos códigos de países (ccTLDs, na sigla em inglês). Estão associados a um país específico (por exemplo, .de para Alemanha, .cn para China) e, desse modo, são um sinal claro tanto para usuários quanto para mecanismos de pesquisa de que seu site foi desenvolvido explicitamente para um determinado país. Alguns países têm restrições sobre quem pode usar ccTLDs, por isso pesquise primeiro. Além disso, tratamos alguns ccTLDs não convencionais (como .tv, .me etc.) como gTLDs, pois percebemos que usuários e webmasters consideram esses domínios mais genéricos do que os direcionados a países. Não temos uma lista completa desses ccTLDs não convencionais que tratamos como gTLDs porque essa lista mudaria ao longo do tempo. Veja uma lista completa dos domínios que o Google trata como genéricos.
  • Configurações de segmentação geográfica. Use a ferramenta de segmentação por país no Search Console para indicar ao Google que seu site é segmentado a um país específico. Faça isso somente se o site tiver um nome de domínio de nível mais alto genérico. No entanto, não use essa ferramenta caso seu site seja segmentado para mais de um país. Por exemplo, seria útil segmentar o Canadá para um site sobre restaurantes em Montreal, mas não faria sentido segmentar para o mesmo país um site voltado para os falantes de francês que vivem na França, no Canadá e em Mali.

    Observação: como os domínios de nível mais alto regionais como .eu ou .asia não são específicos a um só país, o Google os trata como domínios de nível mais alto genéricos. 

  • Local do servidor (por meio do endereço IP do servidor). O local do servidor costuma estar fisicamente perto dos usuários e pode ser um sinal sobre o público-alvo de seu site. Alguns sites usam Redes de fornecimento de conteúdo (CDNs, na sigla em inglês) distribuídas ou são hospedados em um país com uma infraestrutura de servidores da Web melhor, de modo que esse sinal não é definitivo.
  • Outros sinais. Outras pistas sobre o público-alvo de seu site podem incluir endereços locais e números de telefone nas páginas, o uso do idioma e da moeda locais, links de outros sites locais e/ou o uso do Google Meu Negócio (onde estiver disponível).

O Google não usa metatags de localização (como geo.position ou distribution) nem atributos HTML para segmentação geográfica.

Estruturas de URL

Avalie a possibilidade de usar uma estrutura de URL que facilite segmentar geograficamente partes do seu site para regiões diferentes. A tabela a seguir descreve suas opções:

Estrutura do URL Exemplo Vantagens Desvantagens
Específico a país example.ie
  • Segmentação geográfica clara
  • Localização do servidor irrelevante
  • Fácil separação de sites
  • Caro (pode ter disponibilidade limitada)
  • Requer mais infraestrutura
  • Requisitos de ccTLD restritos (às vezes)
Subdomínios com gTLDS de.example.com
  • Fácil configuração
  • Pode usar segmentação geográfica no Search Console
  • Permite localizações de servidores diferentes
  • Fácil separação de sites
  • Os usuários podem não reconhecer a segmentação geográfica somente a partir do URL ("de" faz referência ao idioma ou ao país?)
Subdiretórios com gTLDs example.com/de/
  • Fácil configuração
  • Pode usar segmentação geográfica no Search Console
  • Pouca manutenção (o mesmo host)
  • Os usuários podem não reconhecer a segmentação geográfica somente a partir do URL
  • Único local de servidor
  • Maior dificuldade para separar sites
Parâmetros de URL site.com?loc=de
  • Não recomendado.
  • Dificuldade de segmentação baseada em URL
  • Os usuários podem não reconhecer a segmentação geográfica somente a partir do URL
  • A segmentação geográfica no Search Console não é possível

A segmentação geográfica não é uma ciência exata. Desse modo, é importante considerar os usuários que acessarão a versão "errada" do seu site. Uma maneira de fazer isso é mostrar links em todas as páginas para que os usuários selecionem a região e/ou idioma de sua preferência.

Conteúdo duplicado e sites internacionais

Os sites que fornecem conteúdo para regiões diferentes e em idiomas diferentes às vezes criam um conteúdo que é igual ou parecido, mas está disponível em URLs distintos. Normalmente, isso não é um problema, desde que o conteúdo esteja direcionado para usuários diferentes em países variados. Embora seja recomendado que você forneça um conteúdo exclusivo para cada grupo de usuários diferente, sabemos que isso nem sempre será possível. Normalmente, não é necessário "ocultar" as duplicações impedindo o rastreamento em um arquivo robots.txt ou usando uma metatag "noindex" em robots. No entanto, se fornecer o mesmo conteúdo para os mesmos usuários em URLs diferentes (por exemplo, se example.de/ e example.com/de/ mostrarem conteúdo em alemão para usuários na Alemanha), você deverá escolher uma versão preferencial e redirecionar (ou usar o elemento do link rel=canonical) de forma apropriada. Além disso, siga as diretrizes em rel-alternate-hreflang para que o idioma correto ou o URL regional seja veiculado para os usuários que fazem pesquisas.

Este artigo foi útil para você?
Como podemos melhorá-lo?