Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal

Usar URLs canônicos

Este artigo descreve como os URLs canônicos podem ser usados para aprimorar os sinais de vínculo e a classificação de conteúdo disponível por meio de distribuição ou de várias estruturas de URL.

No mundo do gerenciamento de conteúdo e sistemas de compra on-line, é comum que o mesmo conteúdo seja acessado por meio de vários URLs. Com a distribuição de conteúdo, também é fácil que este seja distribuído para URLs e domínios completamente diferentes. Por exemplo:

A mesma página de produto tem URLs dinâmicos como resultado de uma sessão de usuário e/ou uma preferência de pesquisa.
https://www.example.com/products?category=dresses&color=green

https://example.com/dresses/cocktail?gclid=ABCD 

https://www.example.com/dresses/green/greendress.html
Seu sistema de blog salva vários URLs automaticamente ao passo que você posiciona a mesma postagem em várias seções.
https://blog.example.com/dresses/green-dresses-are-awesome/

https://blog.example.com/green-things/green-dresses-are-awesome/
Seu servidor está configurado para exibir o mesmo conteúdo para o subdomínio www ou para o protocolo http.
http://example.com/green-dresses

https://example.com/green-dresses

http://www.example.com/green-dresses
O conteúdo que você fornece nesse blog para distribuição a outros sites é replicado parcial ou inteiramente em outros domínios.
https://news.example.com/green-dresses-for-every-day-155672.html (postagem distribuída)

https://blog.example.com/dresses/green-dresses-are-awesome/3245/ (postagem original)

Embora esses sistemas tornem o desenvolvimento e a distribuição de conteúdo mais convenientes, eles apresentam alguns desafios quando os usuários utilizam mecanismos de pesquisa para encontrar sua página. Por exemplo:

  • Consolidação de sinais de vínculo para conteúdo semelhante ou duplicado. Isso ajuda os mecanismos de pesquisa a consolidar as informações que possuem dos URLs individuais (como os links que levam até eles) em um único URL preferencial. Isso significa que os links de outros sites que levam a http://example.com/dresses/cocktail?gclid=ABCD são consolidados com os links que levam a https://www.example.com/dresses/green/greendress.html.
  • Rastreamento de métricas de um único produto/tópico. Com uma variedade de URLs, é mais desafiador consolidar métricas de um tipo de conteúdo específico.
  • Definição do URL que será exibido ao público. Você prefere que as pessoas cheguem à sua página de produtos por meio do link https://www.example.com/dresses/green/greendress.html, e não do link https://example.com/dresses/cocktail?gclid=ABCD.
  • Tratamento de conteúdo distribuído. Caso você distribua seu conteúdo para publicação em outros domínios, é recomendável consolidar a classificação de página para o URL preferencial.

Para abordar essas questões, recomendamos a definição de um URL canônico para conteúdo (ou conteúdo equivalente) disponível em vários URLs. É possível fazer isso para a Pesquisa Google de várias maneiras:

Embora seja recomendado usar um desses métodos, nenhum deles é obrigatório. Se você não desejar indicar um URL canônico, identificaremos o que consideramos ser a melhor versão ou o melhor URL.

Evite usar o arquivo robots.txt para fins de canonização.
Evite usar a ferramenta de remoção de URL para canonização, pois ela remove todas as versões de um URL da pesquisa.
Evite especificar diferentes URLs como canônicos para a mesma página. Por exemplo, um URL no sitemap e outro URL diferente para a mesma página, usando rel="canonical".

Definir o domínio preferencial

Informe ao Google a versão de sua preferência do URL do site para seu domínio:

  • https://www.example.com
  • https://example.com

Se você tiver definido o domínio preferencial como https://example.com, o Google tratará links para https://www.example.com exatamente da mesma forma que links para https://example.com.

Consulte Definir seu domínio preferencial para mais detalhes.

Indicar o URL preferencial com o elemento do link rel="canonical"

Suponha que você queira que https://blog.example.com/dresses/green-dresses-are-awesome/ seja o URL preferencial, embora vários URLs possam acessar o conteúdo. É possível indicar isso para os mecanismos de pesquisa da seguinte forma:

  • Marque a página canônica e outras variantes com um elemento do link rel="canonical".
    Adicione um elemento do <link> com o atributo rel="canonical" à seção <head> dessas páginas: 
    <link rel="canonical" href="https://blog.example.com/dresses/green-dresses-are-awesome" />

    Isso indicará o URL preferencial a ser usado para acessar a postagem sobre o vestido verde. Dessa forma, os resultados de pesquisa terão mais probabilidade de exibir essa estrutura de URL aos usuários. Observação: nós nos esforçamos para respeitar isso, mas não garantiremos isso para todos os casos.

Evite erros: use caminhos absolutos em vez de relativos no caso do elemento do link rel="canonical".

Use esta estrutura:  https://www.example.com/dresses/green/greendresss.html
Evite usar esta estrutura: /dresses/green/greendress.html).

Usar um sitemap para indicar os URLs preferenciais ao mesmo conteúdo

Escolha um URL canônico (preferencial) para cada uma das suas páginas e informe-nos sobre sua preferência enviando esses URLs canônicos em um sitemap.

Não garantimos que usaremos os URLs que você enviar em um sitemap, mas enviar um URL é um jeito prático de informar ao Google as páginas de seu site que você considera mais importantes.

Use redirecionamentos 301 para URLs que não são canônicos

Digamos que sua página possa ser encontrada de várias maneiras:

  • https://example.com/home
  • https://home.example.com
  • https://www.example.com

É recomendável escolher um desses URLs como o destino de preferência (canônico) e usar os redirecionamentos 301 para enviar o tráfego dos outros URLs para seu URL preferencial. Um redirecionamento 301 do lado do servidor é a melhor forma de garantir que os usuários e os mecanismos de pesquisa sejam direcionados para a página correta. O código de status 301 significa que a página foi permanentemente movida para um novo local.

Indique como gerenciar os parâmetros dinâmicos

Use a Manipulação dos parâmetros para informar ao Google quais parâmetros devem ser ignorados. Ignorar determinados parâmetros pode reduzir o conteúdo duplicado no índice do Google e tornar seu site mais rastreável. Por exemplo, se você especificar que o parâmetro sessionid deve ser ignorado, o Google considerará https://www.example.com/dresses/green.php?sessionid=273749 como o mesmo que https://www.example.com/dresses/green.php.

Especificar um link canônico em seu cabeçalho HTTP

Se você configurar seu servidor, será possível usar cabeçalhos HTTP rel="canonical" para indicar o URL canônico de documentos HTML e outros arquivos, como PDFs. Suponhamos que seu site disponibilize o mesmo PDF por meio de diferentes URLs (por exemplo, para fins de rastreamento) desta maneira:

https://www.example.com/downloads/white-paper.pdf
https://www.example.com/downloads/partner-1/white-paper.pdf
https://www.example.com/downloads/partner-2/white-paper.pdf
https://www.example.com/downloads/partner-3/white-paper.pdf

Nesse caso, é possível usar um cabeçalho HTTP rel="canonical" para especificar ao Google o URL canônico do arquivo PDF da seguinte forma:

Link: <http://www.example.com/downloads/white-paper.pdf>; rel="canonical"

No momento, o Google oferece suporte a esses elementos de cabeçalho de link somente para a Pesquisa Google na Web 

Dar preferência ao uso de HTTPS em vez de HTTP para URLs canônicos

O Google prefere páginas HTTPS em vez das equivalentes em HTTP para links canônicos, exceto quando há sinais conflitantes, como os seguintes:

  • A página HTTPS tem um certificado SSL inválido.
  • A página HTTPS contém dependências inseguras.
  • A página HTTPS é robotizada (e a página HTTP não é).
  • A página HTTPS redireciona os usuários para ou por meio de uma página HTTP.
  • A página HTTPS tem um link rel="canonical" que leva à página HTTP.
  • A página HTTPS contém uma metatag noindex em robots.

Embora por padrão nossos sistemas prefiram as páginas HTTPS em vez das HTTP, é possível assegurar esse comportamento tomando qualquer uma das seguintes medidas:

  • Redirecionamentos 301, 302, JavaScript ou meta da página HTTP para a HTTPS.
  • Adicionar um link rel="canonical" da página HTTP para a HTTPS.
  • Implementar o HSTS.

Para impedir que o Google canonize incorretamente a página HTTP, é preciso evitar as seguintes práticas:

  • Certificados de SSL com falhas e redirecionamentos "HTTPS para HTTP" fazem com que o Google tenha uma preferência muito maior por páginas HTTP. Implementar o HSTS não modifica essa preferência.
  • Incluir a página HTTP no sitemap ou nas entradas hreflang, e não a versão em HTTPS.
  • Implementar seu certificado SSL/TLS para a variante errada do host: por exemplo, example.com exibindo o certificado de www.example.com.  O certificado precisa ser o mesmo do URL completo do site ou ser um certificado curinga que pode ser usado para vários subdomínios em um domínio.
Se você bloquear um recurso com um arquivo robots.txt, não deixe de bloquear tanto a versão HTTP como a HTTPS desse recurso.

 

 

Este artigo foi útil para você?
Como podemos melhorá-lo?