Fraudes e estornos

 

As transações do Google Pay são tratadas da mesma forma que as suas transações atuais em cartão de dinheiro virtual. Os comerciantes estão sujeitos às mesmas regras de responsabilidade e políticas de estornos. Assim, eles podem lidar com disputas e estornos de transações independentemente da origem delas.

O Google Pay tem recursos de prevenção de fraude destinados a proteger clientes e comerciantes, reduzir disputas e estornos, além de melhorar a experiência para todos que usam o serviço.  

Prevenção de fraude 

Quando um cliente tenta adicionar um cartão de crédito ou de débito ao app do Google Pay, o Google transmite as informações do cartão inseridas pelo usuário ao banco emissor do cartão. O banco avalia os dados de um cliente e outros sinais com base em critérios de risco por meio de um processo chamado de identidade e verificação (ID&V) para confirmar que ele é qualificado a digitalizar o cartão.

Resumindo, o processo de ID&V resulta na aprovação do cliente e na autorização para adicionar o cartão ao Google Pay. Ou então, esse processo autoriza a adição do cartão apenas depois de concluir etapas de autenticação adicionais.  Essas etapas podem incluir a verificação da identidade do cliente pelo banco por telefone ou por meio de uma senha única enviada por e-mail, SMS ou extrato bancário.

Estornos

As transações do Google Pay são tratadas da mesma maneira que suas transações de crédito e de débito atuais. Os comerciantes estão sujeitos às mesmas regras de responsabilidade e políticas de estornos. Assim, os comerciantes podem lidar com disputas e estornos de transações quer sejam feitas por meio do GooglePay ou não.  

Os comerciantes recebem do adquirente ou do processador de pagamento uma notificação sobre disputas de clientes. Depois, eles respondem à cobrança disputada enviando as provas exigidas nas regras de associação do cartão. O banco emissor do cartão é o responsável pela resolução final de um estorno.  
 

Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?