Feedback Loop

Se você é remetente de grandes volumes, pode usar o FeedBack Loop (FBL) para identificar campanhas no seu tráfego que estão recebendo muitas reclamações dos usuários do Gmail. O FBL é muito útil para os provedores de serviço de e-mail detectarem abusos nos serviços deles.

Observação: os dados do FBL serão referentes somente aos destinatários @gmail.com.

How to implement the FBL

Senders will need to embed a new header called the Feedback-ID, consisting of parameters (called Identifiers) that uniquely identify their individual campaigns. Any Identifiers with an unusual spam rate and that might cause deliverability issues will be reported in the Postmaster Tools FBL dashboard.

Header format

Feedback-ID: a:b:c:SenderId

Feedback-ID: nome do cabeçalho a ser incorporado.

a, b, c: campos opcionais que podem ser usados pelo remetente para incorporar até três identificadores (campanha/cliente/outro).

SenderId: identificador único obrigatório (5 a 15 caracteres) escolhido pelo remetente. Ele deve ser consistente em todo o fluxo do e-mail.

About the data

Os dados agregados serão gerados para os quatro primeiros campos (separados por ":") do Feedback-ID:, a partir do lado direito. Se o campo SenderId não estiver preenchido, nenhum dado será gerado. Se outro campo não estiver preenchido, os dados serão gerados para o restante dos campos.

Para evitar spoofing do Feedback-ID, o tráfego enviado ao Gmail precisa ter uma assinatura DKIM por um domínio de propriedade (ou controlado) pelo remetente, após a inclusão desse cabeçalho. Esse domínio deve ser adicionado e verificado no Gmail Postmaster Tools, para que o remetente possa acessar os dados do FBL.

  • Os remetentes precisam garantir que o tráfego tenha apenas um cabeçalho verificado.
  • Os remetentes precisarão publicar os IPs pelos quais estão enviando e-mails nos registros SPF dos domínios de assinatura deles. Os IPs de envio precisam ter registros PTR e indicar um nome de host válido (preferencialmente um dos domínios DKIM).
  • Para o tráfego de um dia específico, os relatórios do FBL são gerados somente se um determinado identificador estiver presente em um certo volume de e-mails, bem como em diferentes relatórios de spam do usuário.
  • Os dados do FBL serão agregados em cada identificador de forma independente. Isso também permite o uso de menos de três identificadores, se necessário.
  • Para o tráfego de um dia específico, o remetente precisa garantir que os identificadores nos campos não sejam repetidos, para que os dados não sejam agregados em identificadores não relacionados. Se houver uma preocupação sobre a exclusividade do namespace do identificador ou se o remetente preferir que os dados sejam agrupados entre dois identificadores, o hash de um identificador pode ser anexado ao outro.
  • Ao escolher os identificadores, o remetente não deve usar um parâmetro que será único em todos os e-mails (por exemplo, um Message-ID único).

Veja abaixo um exemplo:

Feedback-ID: CampaignIDX:CustomerID2:MailTypeID3:SenderId

CampaignIDX: o identificador da campanha é específico do campo Customer2 e é único em todo o fluxo, ou seja, dois clientes não compartilham o mesmo ID da campanha.

CustomerID2: identificador único do cliente.

MailTypeID3: identificador do tipo de e-mail (por exemplo, uma newsletter ou atualização de produto). Pode ser único ou comum entre os clientes, baseado em como o remetente quer ver os dados.

SenderId: identificador único do remetente. Pode ser usado para estatísticas gerais.

No caso acima, enviaríamos as porcentagens de spam para cada um dos quatro identificadores de forma independente, caso eles apresentassem uma taxa de spam incomum.

Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?