O Data Studio agora se chama Looker Studio. Ele continua gratuito, com os mesmos recursos que você já conhece. O Looker Studio Pro oferece gerenciamento aprimorado de recursos para empresas, novas funções de colaboração em equipe e acesso ao suporte técnico. Saiba mais.

Modelar seus dados

Entenda como as dimensões e métricas são definidas no Looker Studio.

A modelagem de dados significa manipular as informações para atender aos seus objetivos de negócio.

No Looker Studio, os campos de uma fonte de dados têm determinadas propriedades, como nome, tipo de dados e agregação. Essas propriedades são fornecidas pelo conector que era usado quando a fonte de dados foi criada. Neste artigo, descrevemos as propriedades de campo para você entender melhor como personalizar cada uma delas e apresentar seus dados como preferir.

Antes de começar, você precisa conhecer bem estes tópicos:
Neste artigo:

Tipos de campo

Uma fonte de dados pode conter os seguintes tipos de campo:

  • As dimensões descrevem ou categorizam seus dados, além de conter dados não agregados. Elas aparecem como campos verdes no editor da fonte de dados e no painel de propriedades do relatório.

    Quando você adiciona dimensões a um gráfico, os dados são agrupados de acordo com elas. Nome da campanha, ID do produto e País são exemplos de dimensões que podem ser usadas para agrupar informações em um gráfico. Qualquer tipo de dados pode ser uma dimensão, incluindo uma coluna de números não agregados.
  • As métricas medem as dimensões e contêm dados agregados. Elas aparecem como campos azuis no editor da fonte de dados e no painel de propriedades do relatório.

    Uma métrica é o resultado de uma agregação de um conjunto de valores. Essa agregação pode vir do conjunto de dados subjacente ou ser o resultado da aplicação implícita ou explícita de uma função de agregação, como COUNT(), SUM() ou AVG().
  • Os campos calculados são aqueles que você cria aplicando funções, operadores e/ou lógica de ramificação aos seus dados. Um campo calculado aparece como métrica ou dimensão, dependendo do resultado.
  • Os parâmetros armazenam os dados definidos pelo usuário. Eles podem ser usados para personalizar seus relatórios e fontes de dados com base na entrada do usuário ou em variáveis definidas no conjunto de dados subjacente, como um parâmetro de consulta personalizado do BigQuery.

Propriedades de campo

Todos os campos têm as seguintes propriedades, derivadas do conjunto de dados subjacente:

Nome

Aparece em qualquer gráfico que usa esse campo. Se o nome for muito longo para ser exibido por inteiro, passe o cursor sobre ele até que o nome completo apareça.

Para alterar o nome, clique no campo e digite um novo.

Tipo de dado

O tipo de dado de um campo informa ao Looker Studio o que esperar ao processar o campo. Ele determina como os dados aparecem no seu relatório e quais operações são permitidas ou não com eles. Por exemplo, não é possível aplicar uma função aritmética a um campo "Texto" ou usar um campo "Número" como a dimensão de período em um relatório.

Use o menu suspenso para alterar o tipo de dado de um campo.

Saiba mais sobre os tipos de dado.

Agregação padrão

A agregação é o método utilizado para resumir os dados de um campo. O método de agregação padrão de um campo na fonte de dados é aplicado quando esse campo é usado como uma métrica em um gráfico. Quando você usa o campo como uma dimensão, o gráfico é agrupado por ele. Os editores de relatórios podem alterar esse método no nível do gráfico.

Existem três tipos possíveis de agregações padrão, dependendo da origem dos dados e de como são definidos no conjunto subjacente:

Nenhum. Essa é a agregação padrão para todas as dimensões que contêm dados não numéricos. Os campos com agregação "Nenhum" são considerados dimensões no Looker Studio.

Você pode criar métricas com base em dimensões usando uma função de agregação em um campo calculado. Por exemplo, COUNT(Nome do cliente) retorna o número de clientes não exclusivos nos seus dados. No entanto, não é possível aplicar funções matemáticas a dimensões não numéricas: SUM(Nome do cliente) retorna um erro.

Soma. É a agregação padrão para todas as dimensões que contêm dados numéricos não agregados. Geralmente, é adequada a colunas de números de conjuntos de dados tabulares, como Planilhas Google, arquivos CSV e tabelas do BigQuery. Os campos com agregação "Soma" podem ser usados como dimensões ou como métricas no Looker Studio.

Automático. É a agregação padrão para todas as métricas provenientes do conjunto de dados, do conector ou de um campo calculado. Significa que o método de agregação do campo está fixado e não pode ser mudado. Os campos automáticos sempre são métricas no Looker Studio.

Saiba mais sobre agregação.

Descrição

Algumas fontes de dados disponibilizam anotações, como o nome do campo subjacente em uma fonte do Google Analytics. Para editar a descrição, clique nela. As descrições aparecem apenas na fonte de dados.

Campos calculados, tipo e agregação

Com os campos calculados, é possível criar novos campos derivados dos seus dados. Eles aparecem na lista de campos com fx no fim.

A fórmula utilizada para criar o campo determina o tipo de dado e se o resultado é uma dimensão não agregada ou uma métrica agregada. Por exemplo, uma fórmula que usa CONCAT() para criar um URL com base em códigos de produtos cria uma dimensão do tipo URL com a agregação "Nenhum". Para criar um campo Margem de lucro, você poderia usar a fórmula SUM(Lucro) / SUM(Vendas). O campo criado seria um número com a agregação "Automático".

Saiba mais sobre os campos calculados.

Dimensões e métricas dos relatórios

Ao adicionar uma fonte de dados a um relatório, qualquer pessoa com direito de edição pode usar os campos da fonte para criar gráficos e configurar controles.

Dimensões e métricas em gráficos

As dimensões agrupam os dados, e cada dimensão em um gráfico disponibiliza dados cada vez mais detalhados. As métricas nos gráficos são sempre números agregados: o nível de agregação depende das dimensões presentes, se houver.

Saiba como adicionar, substituir ou remover campos.

Por exemplo, uma tabela com a dimensão País e uma única métrica agrupa essa métrica por país. Ao adicionar a dimensão Cidade, mais detalhes são disponibilizados, primeiro por país e depois por cidade.

Gráficos sem dimensões, como a visão geral ou uma tabela com todas as dimensões removidas, exibem o valor não agrupado de uma métrica.

Substituir o tipo padrão e a agregação nos gráficos

É possível alterar as definições de campo padrão no nível do gráfico das seguintes maneiras:

Usar uma dimensão como métrica

  • Ao usar um campo de dimensão não numérico como uma métrica, o método de agregação "Contar diferentes" (CTD, na sigla em inglês) é aplicado a essas informações.
  • Já utilizar um campo de dimensão numérico aplica a agregação padrão que foi especificada na fonte de dados ou "Sum" se essa agregação não tiver sido definida.

Editar manualmente o campo

No painel de propriedades, clique no lápis de edição para modificar a definição de um campo. Você pode alterar o tipo de dados, o método de agregação (para campos agregados não automáticos) e implementar cálculos de comparação e em execução.

Para evitar que editores de relatórios mudem esses padrões, edite a fonte de dados e desative Edição dos campos nos relatórios. Saiba mais sobre a edição de campos.

Isso foi útil?
Como podemos melhorá-lo?
Pesquisa
Limpar pesquisa
Fechar pesquisa
Google Apps
Menu principal
Pesquisar na Central de Ajuda
false
false
true
102097
false
false