Plug-ins bloqueados

O Google Chrome bloqueia plug-ins que estão desatualizados ou que não são amplamente utilizados, pois eles podem, ocasionalmente, ser um risco para a segurança. Os plug-ins ajudam o navegador a processar tipos especiais de conteúdo da web, como arquivos Flash ou do Windows Media. Alguns plug-ins, como o Flash, são usados por muitos websites na Internet. Já outros plug-ins são usados por um pequeno número de sites.

Exemplos de plug-ins que o Chrome bloqueia:

  • Java
  • RealPlayer
  • QuickTime
  • Shockwave
  • Windows Media Player
  • Adobe Reader antes do Adobe Reader X
  • Unity
  • Google Update
  • VLC

Executar plug-ins bloqueados

Você pode executar alguns plug-ins, mesmo se eles são bloqueados pelo Chrome. Ele irá pedir permissão para executar um plug-in e você só deve aceitar em sites que você confia.

Para permitir que o plug-in seja executado no site, siga estas etapas:

  • Para executar o plug-in somente uma vez, clique em Executar desta vez. O plug-in será executado, mas se você visitar o site novamente, deverá permitir a execução dele mais uma vez.
  • Para permitir que o site atual sempre execute o plug-in, clique em Sempre executar neste site. Visitas posteriores ao site permitirão que o plug-in seja executado sem perguntar novamente.
  • Para permitir sempre a execução desse tipo de plug-in, acesse chrome://plugins, encontre o plug-in e marque a caixa ao lado de Sempre permitido.

Saiba mais sobre como gerenciar plug-ins

Se você não deseja que o Google Chrome peça permissão antes de executar os plug-ins menos usados, use a sinalização de linha de comando --always-authorize-plugins. As instruções sobre como adicionar uma sinalização de linha de comando podem ser encontradas em nosso site Chromium